sexta-feira, 13 de maio de 2016

Como será o contra-golpe



Nada mais dialético do que o provérbio DEUS ESCREVE CERTO POR LINHAS TORTAS.
O medíocre Michel Temer e os miquinhos amestrados do Eduardo Cunha, pinçados de uma safra transgênica de parlamentares idiotas, que não têm o menor preparo para exercer o Poder Legislativo, pois só estão lá para levar vantagem em tudo, vão mostrar o que é bom para tosse aos buchas aos palermas que foram para as ruas chos de ódio e sede de vingança.

Essa turma da pesada não tem estofo para segurar a barra. Vai meter a mão em cumbuca e sair mal na fita.
Na sequência, o pessoal do contra vai rasgar a garganta com aquela de que se arrependimento matasse não sobraria um para contar o logro. ESSE FILME EU JÁ VI ANTES. VAI SER COBRA ENGOLINDO COBRA.
Michel Temer é uma toupeira sem o menor carisma, sem convicções, sem votos e sem credibilidade. Assumirá num conchavo com a marca de traição e, ainda por cima, tem rabo preso.
Será bom também para os sectários do PT baixarem a bota e fazerem sua própria autocrítica. Os primos aparelhadores, que se consideravam a fina flor de uma hegemônica nova esquerda também vão tirar uma boa lição desse golpe redondo, dado com a estratégia mais bem explorada.
Como diz o outro, as coisas ruins que acontecem acabam dando os elementos mais consistentes dos dias melhores.
Vai ser uma graça: o inevitável fracasso do governo provisório reanimará os derrubados que, por sua vez, não poderão jogar fora a nova oportunidade com a rendição ao conchavo fisiológico, a aliança primária do dá lá – toma cá.
Não vai demorar muito e você verá que não estou brincando com fogo.

Um comentário:

  1. Falando em CORRUPÇÃO, que é a tônica no Brasil no momento, gostaria de denunciar o banco Espanhol SANTANDER como o causador do drama que nós, idosos aposentados do extinto BANESPA (75 ANOS), estamos sofrendo desde a privatização em novembro-2000. Éramos 15 mil, hoje aproximadamente 12 mil. Depois que o Santander tomou posse do BANESPA, impôs-nos “REAJUSTE ZERO”. O ex-presidente do sindicato dos Bancários, VACCARI, mancomunado com o ex-presidente do TST, ALMIR PAZZIANOTTO PINTO, muitos sindicalistas do Brasil, mais CUT, FETEC e Federações, nos impuseram; e foram regiamente pagos pelo dono do banco Espanhol SANTANDER, EMILIO BOTÍN (falecido). Acordo esse, assinado em 28 de novembro de 2001. VACCARI fretou um avião e foi acompanhado por Sindicalistas, assistir Pazzianotto assinar nossa desgraça.
    Apesar de constar na ATA do famigerado acordo que os aposentados estariam de fora, amargamos cinco longos anos de reajuste ZERO. Por causa do “Reajuste Zero” perdemos 35,69% do valor de nossas aposentadorias em relação aos reajustes do BANCÁRIOS, de set-2001 a ago-2006. Isto representa mais de 60% do COMPLEMENTO que o Santander me paga mensalmente. Isto porque, além dessa perda, o Santander – USURPA - o reajuste que o INSS nos dá em janeiro de cada ano. Em dezembro-2015 o banco me pagava R$ 3.419,00. Em janeiro-2016 diminuiu para 3.242,00 – (PERDA DE 177,00).
    De posse do BANESPA, Emilio Botín reclamou que nossas aposentadorias eram muito altas. Botín recebeu do governo FHC DOIS bilhões e 700 milhões referentes a Imposto de Renda descontados das folhas de pagamento e não repassados à Receita Federal pelo BACEN, antes da privatização; mais LUCROS DE BALANÇOS NÃO PUBLICADOS (aqueles balanços escondidos para provar na justiça que o Banespa era deficitário e poder PRIVATIZÁ-LO), MAIS “TÍTULOS INEGOCIÁVEIS” no valor de quatro BILHÕES, 140 milhões, com correção pelo IGP-DI (renderam até hoje 271%) e juros 12% a.a. (560%) que pertenciam aos aposentados.
    O Santander pagou pelo BANESPA sete bilhões e recebeu mais de
    NOVE BILHÕES do governo FHC.
    UM VERDADEIRO NEGÓCIO DA CHINA !!!
    O saldo atuarial hoje dos TÍTULOS INEGOCIÁVEIS é de mais de TRINTA BILHÕES. Se o Vaccari abrisse o bico na prisão, poderia explicar ao Ministério Público toda essa PATIFARIA; provavelmente o banco seria obrigado a cumprir o processo coletivo que corre na Justiça Federal de São Paulo.
    E nós teríamos o dinheiro que nos FOI USURPADO pelo Santander, que teve sua AJUDA, PAZZIANOTO, CUT, FETEC e SINDICATOS.
    Agradeço, desde já, em nome de todos os aposentados do BANESPA. Orly Guerra -(orlyguerra@gmail.com)
    Obrigado pela PUBLICAÇÃO!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.