sábado, 2 de abril de 2016

No vale tudo para derrubar Dilma um acordo para poupar os corruptos

Alguém acredita que o capo Eduardo Cunha está forçando prazos para a votação do impeachment da presidente Dilma a troco de nada? Como os partidários do golpe em nome do combate à corrupção se sentem sob a batuta desse que está envolvido até a medula em todas as maracutaias da lava jato e adjacências? Ou tem algum cara pálida aí disposto a qualquer acordo para impor o retrocesso social e sacrificar o veredicto das urnas?


Que estamos diante de uma quadrilha golpista inconsequente e irresponsável não há dúvida. A decisão do PMDB de retirar-se da chamada base aliada, tomada em menos de 5 minutos, sem qualquer espaço para o contraditório, foi um movimento sorrateiro de uma máfia sedenta de poder, sem escrúpulos e disposta a qualquer negócio para assaltar o Planalto e colocar lá quem vai abrir o cofre para ela.

Não tem moral quem procura chifre em cabeça de burro para derrubar Dilma, reconhecidamente honesta, e dá os braços a um corrupto de carteirinha, expondo mais do que interesses sujos que ficaram sem espaço diante da firmeza e coragem com que a presidenta assegurou investigações, independente do direcionamento despudorado de um juiz medíocre, cujas manchas começam a aparecer e a assustar o mundo jurídico e o próprio Supremo.  

Até pela encenação nada republicana do PMDB, que espera emplacar a qualquer preço Michel Temer na Presidência,  boa parte dos cidadãos que até agora incorporava-se sem pensar como massa de manobra do golpe está tendo uma boa oportunidade para conhecer os verdadeiros objetivos dos políticos que querem ver Dilma pelas costas.  

Está claro que muitos brasileiros entraram de gaiatos, de boa fé, num movimento que paradoxalmente poderia repactuar e consolidar as velhas práticas de corrupção, preservando inclusive o mandato de Eduardo Cunha e prolongando sua permanência na Presidência da Câmara.

Para um bom entendedor duas declarações são reveladoras desse jogo de cumplicidade nada discreto. O esperto ex-presidente FHC fez questão de livrar sua cara ao dizer-se contra acordo entre Michel Temer e duas centenas de deputados já identificados na lista de propinas da Odebrecht, pelo qual as investigações seriam abortadas como nos tempo do tucanato e todos voltariam a dormir em paz.

Por sua vez, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, uma das "estrelas" dessas investigações, falando na Câmara Americana de Comércio Brasil - Estados Unidos, já cantou a pedra:   

"Torço para que a independência das investigações não seja afetada em caso de eventual impedimento de Dilma Rousseff pelo Congresso Nacional".

E acabou dando um depoimento importantíssimo:
"Aqui temos um ponto positivo que os governos investigados do PT têm a seu favor. Boa parte da independência atual do Ministério Público decorre de uma não intervenção do poder político. Isso foi importante e é fato que tem que ser reconhecido como algo deste governo. Governos anteriores realmente mantinham controle sobre as instituições. as esperamos que isso esteja superado" — afirmou, em referência ao governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).


Os golpistas não têm limites. Querem por que querem o poder que não ganharam nas urnas. E contam com os milhões de dólares do Eduardo Cunha e dos grandes corruptores que gozavam de toda impunidade naqueles tempos que querem trazer de volta.

8 comentários:

  1. Anônimo5:48 PM

    NÃO PASSARÃO !!!
    O Cunha será preso, e, o Temer pulou do avião, sem para-quedas ...

    ResponderExcluir
  2. Sérgio Amorim3:35 PM

    Isso mesmo Porfírio. O PT está sendo vítima de uma campanha difamatória. Ninguém no PT roubou nada. São todos honestíssimos e preocupados com a Pátria. Tudo isso a que assistimos é invenção da Globo e dessa mídia golpista. E nós, idiotas, acreditamos. Como é bom que existam jornalistas esclarecidos como você.
    Mensalão? Petrolão? Tudo mentira!
    A economia vai muito bem, tem emprego às pampas, só não trabalha quem não quer, bando de vagabundos!
    A saúde no Brasil está ótima! Nos hospitais públicos, não falta nada. É exemplo para o mundo. Já tem holandeses e suecos viajando para o Brasil para serem atendidos aqui pelo SUS!!!
    E a Educação? Nessa, então, nem se fala! O sistema implantado pelo PT é o melhor do mundo. Nossas universidades, onde nada falta, os professores ganham muito bem, o acesso é direto, se for não branco mais fácil ainda, o ensino é ma-ra-vi-lho-so. Estamos tendo que barrar, nos aeroportos, japoneses e alemães que estão querendo vir para o Brasil estudar, tal é o nosso nível de ensino.
    Todo o problema da habitação foi resolvido pelo PT. O Minha Casa Minha Vida está sendo copiado pelos EUA. My Home My Life, é o nome que o Obama adotou.
    Dilma está sendo condecorada no primeiro mundo, por várias organizações sociais desinteressadas em aniquilar com o Brasil. Aliás, nem sei porque essa denominação. Primeiro Mundo é aqui, com Dilma.
    Uma infâmia dizerem que a Presidenta queria nomear Lula para escapar das mãos nojentas do Moro. Apenas uma coincidência. Esse juizinho ordinário, deve ter colado no concurso público, não sabe nada. A esquerda é que conhece o direito.
    Aqueles diálogos grosseiros que a nação ouviu, dia chegará em que será provado que é tudo montagem. Da Globo, inclusive. Só podia ser. E por trás o sistema Time-Life.
    Não vai ter golpe, Porfírio. Dilma cairá sem golpe. Perderá por pontos (se não for internada num manicômio antes.) Um beijinho no ombro procê.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo12:12 PM

    NÃO VAI TER GOLPE !!!
    Quem se achar melhor do que a Dilma, que se candidate em 2018 ...
    Eleições são para isto !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio Amorim12:44 PM

      Se o critério for "Quem se achar melhor do que a Dilma...", haverá 200 milhões de candidatos. Só Lula, pior que Dilma, porque mais ladrão, mais torpe, mais safado, mais imbecil, por ser, em verdade, o maior culpado do buraco em que nos encontramos, só esse "sapo barbudo" - como dizia Leonel, o único estadista brasileiro - seria barrado.
      O restante dos brasileiros, até Eduardo Cunha, são menos nocivos, "melhores", que Dona Vana Roussef.

      Excluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.