segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Os falsos salvadores da Pátria

Se quiser, leia por partes, pois o bicho está pegando


Admitamos que o golpe vingue e Dilma Rousseff venha a ser apeada da Presidência: quem será o salvador da Pátria? Que milagre se espera do dito cujo? Sabendo-se quem está querendo meter a mão na massa, qual a diferença entre seu receituário e o do sr. Joaquim Levi, pinçado precipitadamente por maus conselhos das hostes neoliberais?

O GOLPE

Por mais que queiram dourar a pílula, o que se articula a olhos vistos é um golpe civil,  do tipo paraguaio que sacrificou o bispo-presidente Fernando Lugo num abrir e fechas d'olhos. É golpe, sem tirar nem por, devido ao inusitado do seu percurso: primeiro trataram de desautorizar o veredicto das urnas, por que o perdedor não vê outra oportunidade na vida pelo calendário eleitoral. Depois saíram atrás de um "furo" da presidente que possa embasar a virada da mesa.

Há um pano de fundo, as investigações do propinoduto da Petrobrás.  Dilma tem alguma coisa a ver com isso? Tem, sim. Foi graças à sua coragem de não interferir no trabalho rivalizado da Polícia Federal e do Ministério Público que se chegou tão longe. Em governos passados, o comum era abafar tudo no berço.

A CORRUPÇÃO

Nunca em tempo algum neste país empresários de burras cheias foram parar no xilindró. E não é de hoje que se tenta: não faz muito o plumado ministro Gilmar Ferreira Mendes abortou pessoalmente as operações que levaram à prisão do banqueiro Daniel Dantas e não fez isso com bons modos: ameaçou prender o juiz Fausto de Sanctis que ordenara a prisão do meliante por duas vezes...sem sucesso.

E no STJ, a Operação Castelo de Areia, que descrevia as minúcias da corrupção bancada pela construtora Camargo Corrêa, foi detonada sob a alegação que houve escutas ilegais na colheita de provas. Era assim que a corrupção impune deitava e rolava. 

Quem não se lembra da perseguição que sofreu o delegado Protógenes Queiroz por ter conduzido as investigações que culminaram com a prisão do banqueiro Daniel Dantas?  Por causa disso, ele teve sua carreira policial arruinada: esse mesmo Supremo Tribunal o condenou em 2014 por "avisar a jornalistas de suas operações".  Tal é a hipocrisia que a  "Lava a Jato" foi muito mais longe: é pautada por uma certa mídia, que acompanha cada ação de forma premeditadamente espetaculosa.  E a Justiça faz de conta que não sabe de nada.

O EMBLEMÁTICO

Com a condenação por unanimidade na 2ª Turma do STF, Protógenes perdeu o cargo de delegado da Polícia Federal. E Daniel Dantas está rindo a toa.

A VOZ DO DONO

O domingo de sol praiano deste inverno de mentirinha se abriu para um raio fulminante, a entrevista do banqueiro Roberto Egydio Setúbal, dono do maior conglomerado financeiro do país.  O que ele disse, no mesmo diapasão  do colega Luiz Carlos Trabuco Capri, presidente do Bradesco, deixou os golpistas com a bola murcha.

“Nada do que vi ou ouvi até agora me faz achar que há condições para um impeachment. Por corrupção, até aqui, não tem cabimento. Não há nenhum sinal de envolvimento dela com esquemas de corrupção”.

 "Pelo contrário, o que a gente vê é que Dilma permitiu uma investigação total sobre o tema [esquemas de corrupção na Petrobras]. Era difícil imaginar no Brasil uma investigação com tanta independência. A Dilma tem crédito nisso".

Setúbal é a encarnação da burguesia inabalável. Ao contrário dos ressentidos da direita e dos alucinados caçadores do poder, sabe que a Pátria amada (e mamada)  irá pro brejo se continuar essa campanha que embebeda uma classe média/alta atônita com a droga do quanto pior melhor.

A CRISE

Que há uma crise machucando meio mundo, isso não se pode esconder. O que não se diz, porém, é que faz parte dos ciclos do sistema capitalista, onde o cada um por si provoca colisões de efeito cascata. E que é inerente ao sistema em que o domínio do Estado é o sonho de consumo das elites econômicas.

Não estamos no sufoco da primeira crise, nem na última. Não há salvador da Pátria que possa dominar a curto prazo os efeitos venenosos de um ambiente em que é cobra engolindo cobra. Em que a própria classe assalariada perdeu o tino, escuda-se no corporativismo e só sabe puxar brasa pra sua sardinha.

Essa avalanche de erros do governo também não é novidade. Em 1999, no início do seu segundo governo, o professor Fernando Henrique encarou as mesmas cenas. O povo saiu às ruas e o PT chegou a protocolar um pedido de impeachment, por conta dos grampos telefônicos no BNDES. Seus 8 anos, aliás, só serviram para pavimentar o caminho da política monetarista e das privatizações-doações que encheram o maior cesto de dinheiro desviado e negócios por baixo do pano.

Foi na era tucana que Armínio Fraga, ex-futuro ministro da Fazenda de Aécio Neves, então à frente do Banco Central, elevou os juros à estratosfera: 45% ao ano. Mesmo com esse purgante, FHC passou o governo para Lula com uma inflação de 12,5% e crescimento do PIB de 1.2%. E naqueles idos, a economia das potências ocidentais não havia sofrido nenhum abalo, como em 2009.

OS CONDIMENTOS DO GOLPE

A fórmula do golpe se nutre de vários condimentos, a começar pelo aparelhamento  fisiológico do governo e das estatais, o que tornou o PT odiado onde sua estrela brilhava antes de atravessar a soleira do poder. Dividido em correntes com discursos e interesses próprios, o PT correu atrás de todas as sinecuras, em detrimento de profissionais que não rezavam por sua cartilha.

O poder é orgástico: engorda e deforma a militância bárbara, torna-se um fim em si. No lugar do pão com mortadela e das vigílias insones o bem bom da sombra e da água fresca. A metamorfose faz o novo mandante virar as costas para o seu passado sofrido. É da natureza dos que nunca comeram mel – e quando comem se lambuzam.

Mas não é só isso. As medidas compensatórias do receituário social-democrata, abençoadas pela nova burguesia internacional (Leia-se ONG Diálogo Interamericano), provocaram mal estar no acesso ao topo da pirâmide social. Ao contrário da Europa, onde a distância social é curta, aqui o buraco é mais embaixo: com base em dados do Imposto de Renda da Pessoa Física, é possível estimar que, em 2012, os 50% dos brasileiros mais pobres detinham 2% da riqueza, 36,99% ficavam com 10,60% e 13,01% com 87,40%. Uma parcela menor entre os mais ricos, 0,21%, era dona de 40,81% do total.(Veja mais em http://brasildebate.com.br/os-dados-da-riqueza-do-brasil-e-a-estrutura-tributaria/).

Existem os ricaços e os que sonham com a fortuna.  Na sociologia desse universo é possível verificar que os quase ricos mais insaciáveis são os que já foram quase pobres e se ufanam da exceção que representam nesse clima de apartheid social.

Não é retórica afirmar que essa camada de aspirantes aos arredores da elite afortunada são os mais ansiosos por um retrocesso que lhes devolva os subalternos sem horizontes.

Sem ter lá essa intenção tão generosa e até mesmo apenas para ajudar interesses pontuais os governos do PT têm gerado medo e incerteza nessas camadas. Mesmo nos melhores momentos, já não é tão automática a preservação dos espaços profissionais de pais para filhos. Há "intrusos" no páreo.

A MASSA DE MANOBRA

O trágico é que esses insatisfeitos são analfabetos políticos e embarcam em qualquer onda "salvacionista" numa de que para atrás é que se anda. A insegurança dos embalos de sábado à noite fermenta o ódio que leva ao nível do próprio flagelo. Pensar não é o forte desses ensandecidos. Muito menos pensar mais de uma vez.

Esses querem por que querem derrubar Dilma Rousseff, ressuscitar o salvador da Pátria que idealizaram e promover um grande estrago social, alimentando todo tipo de perseguição excludente capaz de lhes escancarar os portões. Como estão envenenados e de cabeça cheia não vão dar sossego, mesmo depois dos pareceres dos banqueiros do topo da pirâmide, que preferem a fórmula neo-reformista do David Rockfeller e da AFL-CIO, a poderosa central sindical dos EUA.

O sentimento de golpe e de vingança já foi sexualizado por esses bolsões. Já faz parte do "id" de cada um. Já está associado à sua libido. Não é mais uma reação social – virou uma iracunda obsessão. E ponto final.


Por hoje.

17 comentários:

  1. Paulo Gianinni10:21 AM

    ESTAMOS ATENTOS!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Se o Zé Dirceu abrir o bico vai tossir a vaca o sapo barbudo e toda petralhada e seus asseclas. Fala logo Zé!!!!

    ResponderExcluir
  3. Sua presidANTA em um dos raros momentos de lucidez reconhece sua incompetência e diz que demorou a reconhecer a gravidade da crise que assola o país e o senhor continua a falar em golpe? Leonel de Moura Brizola deve estar envergonhado do senhor por estar a defender a corja petista, agora só falta o senhor falar como falou o molusco ladrão nove dedos que é só uma marolinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. R.Paulino, há dias numa delegacia, um ladrão de relógios declarou a repórter que roubava por culpa da Dilma e como ele, existem muitos cidadãos que perderam o trem que os levaria ao conhecimento, julgam mais fácil culpar a gerência da estação para justificar seus atrazos. Pedro Porfírio sempre foi um grande lutador em defesa dos pobres e injustiçados, condenando qualquer partido que não sirva o Povo, ninguém pode apontar-lhe uma falha nesse ideal e o que nós estamos atravessando não é uma marolinha, mas mais uma malandragenzinha dos vendidos aos interesses yankees. Pedro Porfírio é um nobre cidadão deste Brasil, orgulho de todo o brasileiro que se preze!

      Excluir
  4. Anônimo6:44 PM

    Quase muito boa sua análise. Não existe salvador da pátria. O sistema no Brasil permite trocar ladrão de esquerda por ladrão de direita, o que nunca é bom para o povo. Os números do Brasil do PT são péssimos, maior conta de luz e telecomunicações do planeta, último em educação, maior juros do mundo novamente, maior salário parlamentar, maior utilização do PIB para custeio e outros recordes negativos. Não pode defender governo nenhum com números assim. A Dilma está tão metida quanto o Lula, a PF age por ela mesma. O problema é que o PT continuou o que todos os governos fizeram e está levando a culpa sozinho. O que a Dilma deveria fazer, para o bem do país, é um ''Sincericídio''. Colocar a lama exposta para fora, dos salários parlamentares à verba partidária. Deixar o povo ver porque nossos números são tão ruins perante o mundo. A roubalheira tamanha onde um PIB de U$ 2 trilhões e com 40% de impostos nunca sobra nada para a população. Não é cobra engolindo cobra, é rabo preso protegendo rabo preso, por isso o PT fica calado. Se o PT realmente quiser mudar o país tem que se suicidar e arrastar todos para o mesmo buraco. Tem que ser ladrão afundando ladrão. Só assim o Brasil terá chance de mudar.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo4:34 PM

    Independentemente de partido político, a espinha dorsal da corrupção é o Sistema da Dívida Pública, que não tem auditoria (solicitada pela Constituição),e, que drenará R$ 1.350.000.000.000,00 (R$ 1,35 Trilhão = quase a metade do Orçamento Geral da União) só neste ano de 2015.
    Para saber mais, acesse www.auditoriacidada.org.br

    ResponderExcluir
  6. Let’s keep are safe place to play the very best free games for kids! Please click:
    brain games | puzzle games | agario | pacman | racing games | pokemon go!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. I love this post it very nice and integrating post.I really enjoy to reading this article thanks for sharing this article.
    Goa Escorts service

    ResponderExcluir
  9. I'm happy to seeing this article.Thanks for your information! Keep sharing..
    erp in chennai | cloud erp software chennai | college event registration

    ResponderExcluir
  10. I was very impressed with you. website you create highly qualified and highly original contents. Thank you for sharing and I hope this website you manage to be the best obat infeksi saluran kencing obat gabagen obat pengapuran tulang

    ResponderExcluir
  11. Thank you for the article, the article is very different. Hopefully more succesfull
    Obat lepra atau kusta
    Obat batuk berdarah
    Obat cacar air

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.