sábado, 10 de janeiro de 2015

"Rehumanizar" a natureza humana

Restabelecer nossos elos, eis um sonho possível
Nos tempos idos, a vizinhança era a própria família. A grande cidade com sua  engenharia de espaços foi desfigurando essa relação e afastando uns dos outros. O que era aconchego foi resvalando para o seu contrário. Isso não vai acabar bem.
Tentar resgatar a ideia de que o vizinho é o seu amigo mais próximo pode ser uma grande contribuição deste blog.

Daí a reflexão que se segue. Clique na imagem e conheça nossa preocupação sobre a nossa natureza humana. Tudo para que cada um  liberte o ser humano que ainda há em nós.

Um comentário:

  1. Anônimo5:33 PM

    Como já foi dito aprox. a 600 anos antes de Jesus Cristo: A virtude está no meio (no ponto de equilíbrio) e não nos extremos.
    Nossa civilização do Capitalismo Selvagem (neoliberal), onde o 2º colocado é o 1º dos últimos, é uma Civilização Suicida.
    É preciso mudar a escala de valores !
    É preciso aprender a controlar nossas próprias emoções !
    É preciso lutar contra o analfabetismo político !

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.