terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Sobrou para os futuros pensionistas


Dilma quer reduzir as pensões das viúvas dos trabalhadores. 




Já as dos governadores continuam mamando mais de r$ 20 mil por mês. Tudo conforme a bíblia do são Joaquim Levy.


Como é hoje: O BENEFÍCIO PAGO AOS VIÚVOS É INTEGRAL, vitalício e independente do número de dependentes (filhos). Não existe prazo de carência, bastando uma única contribuição à Previdência.


Como vai ficar: ACABARÁ O BENEFÍCIO VITALÍCIO PARA CÔNJUGES JOVENS (ATÉ 35 ANOS); a partir desta idade, a duração do benefício dependerá da expectativa de vida. O VALOR DA PENSÃO CAI PELA METADE (50%), mais 10% por dependente, até o limite de 100%. 

Assim que o dependente completa a maioridade, a parte dele é cessada. Para ter acesso à pensão, é preciso que o segurado tenha contribuído para a Previdência Social por dois anos, pelo menos, com exceção dos casos de acidente no trabalho e doença profissional. Será exigido tempo mínimo de casamento ou união estável de dois anos. 

O valor mínimo da pensão continua sendo de um salário-mínimo. AS MUDANÇAS VALERÃO TAMBÉM PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS, QUE JÁ TEM PENSÃO LIMITADA A 70% DO VALOR DO BENEFÍCIO (QUE EXCEDE AO TETO DO INSS, DE R$ 4.390).

Enquanto isso...

As entidades abertas de previdência complementar (ligadas aos bancos) registraram até maio uma receita com a venda de planos privados de R$ 7,204 bilhões. Esse montante representa um aumento de 38,26% em relação ao mesmo período de 2003, quando as receitas de planos previdenciários totalizaram R$ 5,211 bilhões.

4 comentários:

  1. Tiro no pé :
    Não sou partidário,e nem simpatizante,de nenhum dos candidatos que participaram da ultima eleição para a Presidência da República, talvez se fosse,hoje já estaria com profundo pesar na consciência,por isso,resolvi não manifestar meu apoio 'a ninguem.
    Na ciranda do menos ruim,preferi me abster,para depois não ficar com dor de Corno!
    Notícias como essas,que o Sr.Pedro Porfírio acabou de nos dar,e' mais uma,em meio de outras covardias,do Governo Federal,para com os pensionistas e aposentados.
    Sou saudosista sim,e assumo,e sinceramente,não consigo enxergar no atual cenário político Brasileiro,nenhum político confiável.
    Se a reencarnação existir,estarei na torcida,para que os Espíritos dos Saudosos Leonel de Moura Brizola, Darci Ribeiro,e Getúlio, possam reencarnar o mais breve possível,em nosso meio,Ame'm!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1:29 PM

    ─ O Brasil precisa ser passado à limpo. Por isso, é necessário revisar tudo inclusive às pensões e aposentadorias de todos. Nada melhor, do que começar com a do ex-governador Leonel Brizola, que acredito a sua família não farão objeção.

    ResponderExcluir
  3. Porfírio,volte logo para a política,o Brasil precisa de Homens como você,muita saúde,e muita paz,e um 2015,cheio de esperanças positivas,fé e coragem para enfrentar as adversidades!
    Um abraço do companheiro,Júnior! DNM.

    ResponderExcluir
  4. Sérgio Amorim3:53 PM

    Porfírio, mais uma vez:
    mal passaram as eleições e você já joga pedra na Geni?
    Foi necessário a Dilma se reeleger para você perceber que ela e todo o PT não prestam?
    Me desculpe, só me resta imaginar que não cumpriram com promessas que te fizeram. Porque as promessas que fizeram ao povo, essas estava na cara que jamais cumpririam, se em 12 anos só colaboraram para piorar as condições econômicas de todos (menos dos banqueiros e dos grandes empresários, claro!)
    Você acreditou nas esmolas das bolsas-para-pobres, cotas sociais, minhas casas minhas vidas, toscas construções, que nada significam de melhoras em relação às favelas, pelo menos plenas de criatividade? Minha Casa Minha Vida é projeto para afastar os pobres dos pontos-vitrines, para limpar a imagem das cidades. Transporte não há. E, por sinal, tome mais aumento.
    Você não se sente responsável por ter diretamente induzido,ainda que poucos, pouquíssimos, a votar no PT, nessas recém-findas eleições. Responda, não se esconda que é feio.

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.