terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Receita de um 2015 feliz

A todos, com carinho e afeto pelas esperanças do ano novo


10 comentários:

  1. Querido Porfírio dois grandes abraço, um meu e outro da Fatinha.

    ResponderExcluir
  2. Meu prezado Pedro, bom dia.
    Agradeço e retribuo os votos de Feliz Natal, com renovadas esperanças em um mundo melhor, mais justo, fraterno e solidário.
    Feliz Ano Novo.
    Abraços fraternais, com inclusos votos de plena convalescença e recuperação da saúde.
    Claudio Ribeiro - Casimiro de Abreu, RJ.
    Alagoano

    ResponderExcluir
  3. PAULO GIANINNI10:12 AM

    Amigo,

    Que a sua receita se torne realidade e que o AMOR SINCERO esteja sempre presente em todos os lares dos brasileiros.

    P. Gianinni e família.

    ResponderExcluir
  4. Mario Paulista12:23 PM

    Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura ... !!!
    Que em 2015, saibamos eliminar (ou pelo menos, diminuir) os "vírus da ganância" dos nossos cérebros !!!

    ResponderExcluir
  5. Caro Porfírio
    Agradeço pela sua fórmula para um Natal Feliz. Desejo de coração que 2015 seja um ano de plena recuperação de sua saúde. Você é muito precioso para o Brasil. Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. É isso aí, Porfírio! Sua mensagem natalina merece uma análise profunda pelos quatro desejos que contém, em especial o último deles. Espero que 2015 represente a plena recuperação da sua saúde. Você sempre foi guerreiro e enfrentou de frente sérias adversidades ao longo da vida. Um abraço fraterno!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.