segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O mais nítido recado das urnas


Avançar ou Avançar. Não existe outra alternativa. Foi a união de todos os progressistas que garantiu a vitória de Dilma contra o complô da direita e a livrou do próprio fogo amigo.

A China mudou por dentro, sem precisar entregar o ouro ao bandido e sem renunciar aos seus fundamentos. Se não houver uma mudança corajosa, haverá uma revolta. Uma boa parte dos canalhas, como Sarney e seus pupilos, já foi defenestrada pelas urnas. O novo Congresso pode ter sido pior com a cara do Eduardo Cunha, mas o povo está aceso. E dará cobertura às mudanças que nos livrarão da corrupção, do jogo sujo de interesses e de todas às agressões aos direitos do povo trabalhador.


O blog do Porfírio também vai ser outro, na forma e no conteúdo.

3 comentários:

  1. Anônimo9:39 AM

    Porfírio, o que o PT vai fazer em 4 anos que não fez em 12? Estamos entre os últimos em educação, entre os 8 países com mais analfabetos, energia cara e infraestrutura pífia. Um alto nível de corrupção que faz o brasileiro pagar mais de 40% de impostos com o pior retorno do mundo, uma economia sobretaxada que gera inflação pois ninguém, idôneo, consegue investir em produção por causa dos impostos, até o salário aqui é sobretaxado em mais de 50%, gerando um spread enorme entre o que as empresas pagam e o que o trabalhador recebe. Olhando o PNUD vemos que na América Latina, nos últimos 10 anos, o Chile, Colômbia e Peru distribuíram mais renda e cresceram mais que o Brasil. O que gera tanta fidelidade ao PT, se os números nunca são favoráveis aos resultados? Uma prova é que temos 57 milhões de brasileiros devedores inscritos no SERASA, que é mais de 1/4 da população ativa de um país. É um absurdo dizer que o brasileiro não sabe gastar enquanto os bancos, com aval do governo, cobram o maior juros do mundo sobre a mesma população que o PT defende na TV, algo está errado, concorda? Sei que vai ter um monte de petistas me xingando, dizendo que é culpa da Veja etc, mas respeito a sua opinião e gostaria de saber com números e não propaganda o que faz metade do Brasil e você ainda votar no PT. Sei que o PSDB roubou tanto quanto o PT, mas não acha muito hipócrita defender pobres na tv enquanto desviam bilhões por trás dos panos? Eu colocar meu nome ou continuar anônimo é a mesma coisa, sou apenas um brasileiro trabalhador e pagador de impostos sem retorno, como todos. Obrigado e no aguardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro anônimo, brasileiro trabalhador e pagador de impostos. Anote: a Dilma é HONESTA. Não é honesto associá-la `à corrupção. Você não foi pago para isso, como a revista VEJA. Não há prazos para se fazer. Dizia Lênin que há dias que valem por anos. O problema não é o PT: como você sabe, n ão sou e nem pretendo ser petista. O problema é esse Congresso ainda pior do que o outro. Vou dar um voto de confiança à Dilma. Votei nela por que a volta da privataria seria pior - a privataria é a pior forma de corrupção. Mas reconheço suas dificuldades. Como era de se esperar, o "mercado" já reagiu com a chantagem da especulação. Peço a você que se junte aos que querem agora uma MUDANÇA PARA FRENTE.

      Excluir
    2. Anônimo1:28 PM

      O Lula é honesto? O Dirceu? E o André Vargas, que enquanto fazia gestos de esquerda no STF só andava de jatinho de doleiro e ia para os melhores hotéis como aparece em gravações? Seremos um socialismo onde todos serão iguais mas uns sempre serão mais iguais do que os outros? Dá para confiar num partido de esquerda com um vice como o Michel Temer? E a biografia do Sarney, o Lula ainda vai defender? Temos os parlamentares com o maior salário do mundo (Judiciário idem). É justo? Enquanto temos um dos menores salários do mundo livre? As suas defesa de Dilma estão com os mesmos argumentos de uma igreja: basta acreditar que o resto a gente faz...porque os números e fatos não corroboram infelizmente com um Brasil melhor.

      Excluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.