segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Agora, Dilma somos Nós

Com as campanhas sob censura a pedido de Aécio, cresce a importância dos multiplicadores pelas redes e nas ruas

Estamos na semana mais importante da história do Brasil neste desafiador Século XXI.

De olho muito mais no que poderá vir de um novo governo Dilma oxigenado pela inquietação das ruas, pelas exigências de mudanças que levaram milhões a aguerridos protestos, o sistema de dominação de classes e preservação da pirâmide social injusta está jogando toda a sua máquina mortífera para eleger um celerado forjado na estirpe do sangue azul da política: um "herdeiro" que fez sua fortuna à sombra do patrimonialismo, ao ponto de construir com dinheiro público aeroporto em fazenda da família, isso depois de fazer o percurso da improbidade mais imoral.

Ele quer ser presidente. Já pensou?
Aos 17 anos, enquanto surfava em Ipanema, onde tem residência lúdica, recebia salário da Câmara Federal como fantasma do gabinete do próprio pai, um deputado federal medíocre do partido do sim, senhor da ditadura. Aos 25 anos já ocupava por INDICAÇÃO POLÍTICA o cargo de diretor da Caixa Econômica Federal.

Ao longo de seu envolvimento com os podres poderes esse desequilibrado dado a atos insanos (e mais outros) foi o que restou ao sistema para assestar o mais pérfido golpe para trazer de volta os insaciáveis grupos cuja maior marca foi a de 8 anos de privatizações-doações, junto com o lixo da ditadura que não aceita qualquer menção aos seus crimes hediondos, com ocultação de cadáveres, isto é, o desmascaramento para a história de um regime que fez da violência institucional sua base de sustentação.   

Não se iluda: há milhões de moeda sonante envolvidos nessa operação de retrocesso, há mercenários capazes de tudo, há um jogo de manipulações da mentira, inclusive com divulgação de pesquisas destinadas a influir na decisão dos eleitores, há expedientes torpes, há de tudo, por que derrotar Dilma é uma obsessão estratégica do sistema internacional, como escancarou a revista britânica The Economist, bússola do sistema financeiro internacional.

Por fim, já no apagar da luzes, esse mesmo poderoso esquema aterrorizou o próprio TSE e o obrigou a engessar a campanha, com o que Dilma não pode falar sequer do público e notório, como a construção do aeroporto no terreno da família e a noite em que o "presidenciável" se recusou a soprar o bafômetro numa blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro, quando dirigia com carteira de motorista vencida.

Essa decisão sem precedentes foi objeto de um lúcido artigo de Jânio de Freitas na Folha de São Paulo:

"A partir de uma apelação de Aécio Neves, o Tribunal Superior Eleitoral tomou duas decisões que caracterizam censura à liberdade de informação jornalística e à liberdade pessoal de expressão, mesmo que para expor fatos. É no mínimo duvidoso que o TSE disponha de poderes para impor as duas medidas, que se incluiriam em atribuições do Congresso e, até onde se pode saber fora dos doutos tribunais, opõem-se a princípios da Constituição".

Com a propaganda eleitoral sob censura, só resta o "boca a boca" dos que não querem a volta ao império do sistema financeiro internacional, através do já brasileiro-norte-americano Armínio Fraga, um  dos mais fiéis serviçais do megaespeculador George Soros, cujo  Soros Investment Fund, passou a gerenciar em Nova York, depois de sua primeira passagem pelo Banco Central, ainda como diretor de assuntos internacionais do Banco Central. Foi de lá que foi catapultado para voltar ao BC em 1999, já como presidente e todo poderoso gestor da macroeconomia.



Em sua gestão, os juros chegaram a 45%, juntando-se a isso o arrocho salarial e a taxa oficial de desemprego de 15%, contra os 5% do governo Dilma.

Com o peso das redes da internet, milhares de patriotas poderão usá-las para fazer os necessários esclarecimentos que a grande mídia sonega. Mas na medida de suas possibilidades, todos devem fazer o corpo-a-corpo junto aos companheiros de trabalho, vizinhos, conhecidos, seja o que for.

Eu mesmo, com a saúde ainda abalada por um câncer no fígado, diabete e hipertensão, já com os 71 anos de idade, estou me dedicando de corpo e alma à defesa do povo brasileiro através do apoio à Dilma Rousseff como única esperança de uma mudança real, que cobrarei com o mesmo empenho com que me envolvi em sua campanha.

O pior que pode nos acontecer, mais do que o tumor que estou combatendo, será a eleição do candidato das elites insaciáveis, do sistema internacional e do atraso. Se essa desgraça acontecer, a cartilha reacionária voltará a imperar e todo o peso da sua política econômica recairá sobre os assalariados e os aposentados já tão sacrificados desde a política previdenciária de FHC. Desse risco não estão livres nem os da alta classe média, que já passaram por um susto naquele governo trágico do "caçador de marajás".

Sejamos, pois, os multiplicadores da verdade. Nesta hora, neste país continental, a DILMA SOMOS NÓS.

8 comentários:

  1. PORFÍRIO . POSTEI UM COMENTÁRIO E NÃO SAIU . O SEU BLOG VIROU SECÇÃO DO T S E ?
    VALENTIM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:55 PM

      QUEM É ESSE ALEXANDRE PERRONI QUE USOU INDEVIDAMENTE O MEU COMENTÁRIO?

      VOU REPETIR NÃO COM AS MESMAS PALAVRAS ,MAS COM IGUAL
      ARGUMENTO. . E ESTE É :
      ESTAVA DECIDIDO VOTAR NULO NESSE SEGUNDO TURNO. ISSO TENDO EM RAZÃO DA PÉSSIMA ADMINISTRAÇÃO DO GOVERNO DILMA OU VOCÊ ACHA QUE ENTREGAR 60% DO PRÉ-SAL , DETONAR A BANDA LARGA QUE O LULA DEIXOU PRONTA PARA A TELEBRÁS IMPLANTAR E ELA DEPOIS DE DEMITIR O ENGENHEIRO ROGÉRIO SANTANA DA TELEBRÁS ,ENTREGOU SEM MAIS A IMPLANTAÇÃO A VIVO QUE QUERIA MAI 5 BILHÕES ? É COISA QUE O CAUDILHO
      APROVARIA ? NEM PENSAR..//////// MAS APESAR DISSO E OUTRAS FALHAS DELA ,O BRASIL CORRE O RISCO DE TER UMA TRANQUEIRA NEOLIBERAL ENTREGUISTA ,CAPACHO DOS ESPECULADORES DE FORA COMO PRESIDENTE. É O CAPACHO QUE APARECE NA MÍDIA DANDO GARGALHADAS COM O SOCIÓLOGO EX-PRESIDENTE ,ZUMBI QUE MORREU E NÃO SABE .ESSA POSSIBILIDADE É UMA RAZÃO DE DEIXAR APREENSIVOS OS BRASILEIROS NACIONALISTAS QUE AMAM O SEU PAÍS...E POR ISSO VOU CONSTRANGIDO A VOTAR NA DILMA COM SOLUÇÃO PARA EVITAR O PIOR ,ISTO É , CAIR DE NOVO O PAIS NAS GARRAS DOS NEOLIBERAIS , E QUE SE SAFOU DELES A MUITO CUSTO. . APESAR DETER CERTEZA DE QUE CASO ELA GANHE VAI FAZER UMA ADMINISTRAÇÃO NEOLIBERAL SOFT ( PALAVRA MINHA ),
      SOU OBRIGADO A VOTAR NELA SEM NENHUMA ESPERANÇA MAIOR.
      /////////////////// EM TEMPO : NO GOOGLE ACESSEI O TRE E CONSTATEI QUE O AÉCIO (( QUASE TIVE UM ENFARTE (BRINCADEIRA ) TEVE NO 1º TURNO QUASE TANTOS VOTOS QUE AMARINA E A OUTRA JUNTAS .
      É UM FATO PARA MIM DIFÍCIL DE ACREDITAR . NÃO ME ENTRA NA CABEÇA . NESTA HORA DÁ VERGONHA DE SER PAULISTA .NUNCA PENSEI QUE OS MEUS CONTERRÂNEOS FOSSEM POLITICAMENTE TÃO IGNORANTES . E PÕE IGNORÂNCIA NISSO ..E OS PAULISTAS FORAM OS RESPONSÁVEIS PARA QUE ESSA TRANQUEIRA NEO LIBERAL DISPUTASSE A PRESIDÊNCIA .VERGONHA QUE NEM O TEMPO APAGARÁ . QUEM ESCREVEU ESSE TEXTO FOI
      I VALENTIM VALENTE ( ESPERO QUE NÃO CENSUREM )

      Excluir
    2. Valentim Valente. Neste blog não existe qualquer tipo de censura. O máximo que pode acontecer é tirar algum comentário "anônimo" que possa me trazer problemas legais, pois uma uma difamação ou injúria "anônima" passam a ser responsabilidade do editor do blog.

      Excluir
  2. Anônimo8:27 PM

    Estamos de mal a pior. Tenho amigos em várias estatais e órgãos reguladores e todos estão estarrecidos com a quantidade de petista que entrou pela janela em cargos de diretoria. Nunca viram tanta roubalheira junta. Votar em Dilma é continuar a roubalheira, continuar a pagar 40% de imposto com o pior retorno do mundo, continuar em último em educação e entre os países com mais analfabetos. Precisamos é de polícia e não de políticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo8:31 PM

      Meu voto não é no Aécio, é contra a Dilma e o PT que roubaram tanto ou mais que qualquer partido de direita. Pelo jeito a única ideologia no Brasil é enriquecer. Ver deputados andando em jatinhos de doleiros amigos, quintuplicando o patrimônio enquanto distribuem migalhas aos pobres. O Brasil precisa de empresas privadas fortes que empreguem e paguem melhor. Não precisamos de estatais cabides de emprego. Quem vai ser o próximo presidente da Petrobras se a Dilma vencer, o Sarney??

      Excluir
    2. Anônimo7:25 PM

      Porfírio, como ex Varig, meu voto é Aécio-45.
      Até hoje não me sai da memória a cara de paisagem do governo pt enquanto ajudava no desmonte da aérea.
      Dez mil demitidos e quase nove mil aposentados idosos Varig passando necessidades.
      Sem chances, amigo!
      Chega!

      Excluir
  3. Anônimo12:33 PM

    VOTO DILMA !!!
    Voto contra o Aécio e sua turma de gananciosos, elitistas, aculturados, entreguistas e hipócritas. FHC nunca mais !!!
    Perto do PSDB, o PT (com todos os seus defeitos) é uma "maravilha" ...

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.