quinta-feira, 22 de maio de 2014

Pesquisa põe ponta direita em pânico

Mesmo quando Dilma sobe e tem mais do que  os adversários juntos, os investidores do retrocesso tentam manipular os números.

Pintou um clima de pânico com visíveis sintomas de depressão na ponta direita brasileira: ao contrário do que seus pulhas emplumados vaticinavam, a presidente Dilma Rousseff voltou a crescer nas pesquisas encomendadas por seus adversários e seria eleita no primeiro turno, se a votação fosse hoje, 22 de maio de 2014.

 O gráfico da UOL não deixa dúvida, mas ainda querem tapar o Sol com a peneira
Benfeito. Não é a primeira vez que essa tendência de reversão acontece e agora parece com sustentação em uma opção pétrea: ninguém quer voltar ao tempo da privataria, em que a principal arma para segurar a inflação era esvaziar os bolsos dos assalariados, quando a promessa da patota mandante era um mínimo de 100 dólares.  CONTINUAR LENDO

4 comentários:

  1. Anônimo2:06 AM

    Everyone loves what you guys tend to be up too.
    This sort of clever work and coverage! Keep up the excellent
    works guys I've incorporated you guys to blogroll.


    Also visit my website :: best anti aging creams

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.