sexta-feira, 30 de maio de 2014

O outro Benedito

Primeiro negro nomeado ministro do STJ, Benedito Gonçalves
nunca foi visto com  seu colega Joaquim Benedito Barbosa
Virada a página, vou logo adiantando quem irá para o STF se o senhor Joaquim Benedito Barbosa Gomes confirmar sua saída pela porta de emergência: será o carioca Benedito Gonçalves, nascido também em 1954 e feito por Lula em 2008 primeiro ministro negro do STJ.

Com a nomeação, Dilma matará dois coelhos de uma só cajadada: manterá o critério que fez do desconhecido Joaquim a celebridade do Judiciário, mas terá escolhido um magistrado de carreira: desembargador federal em 1998, tornou-se ministro do STJ, dez anos depois na cota dos membros dos tribunais regionais federais.

Quando o ministro Ayres de Brito saiu ao completar 70 anos, Lula mexeu seus pauzinhos para catapultá-lo ao STF, como réplica ao Joaquim. Mas aí a turma da queimação plantou alguns torpedos, inclusive a compra de um apartamento que foi do ex-presidente João Figueiredo na Praia de São Conrado por R$ 3,5 milhões.

Depois disso, em junho passado, Benedito deu um controvertido voto no processo a favor da CEDAE e demais concessionárias que cobram tarifa de esgoto onde não tem. Só a empresa fluminense tinha 16 mil processos por cobrança indevida.

É pegar ou largar

Mas a aposentadoria inesperada do ministro Joaquim na flor dos seus 59 anos exige jogo de cintura da presidenta, às voltas com a mais política das escolhas para uma corte de Justiça. Nomeando Benedito, ela ainda abre uma vaga no STJ para outro membro de tribunal regional federal.

Como o ministro Joaquim é intempestivo e cheio de si, só se pode bater o martelo quando ele assinar embaixo. O GLOBO já está vendendo a versão de vítima de pressões insuportáveis.  E não será surpresa se aparecer um movimento nas redes sociais FICA JOAQUIM.

Jânio Quadros, da mesma sanha doentia, renunciou à Presidência da República em agosto de 1961, 204 dias depois de empossado.  Esperava um FICA JÂNIO, mas não colou. Ele já havia assinado e remetido ao Congresso sua carta de renúncia.  (Não é o caso presente)

Vai fazer falta

Independente do seu exibicionismo autoritário, Joaquim Benedito Barbosa vai fazer falta na corte suprema, onde ministros nomeados por articulações irresistíveis desfilam no altar das hipocrisias como se donos da verdade jurídica, legislando e decidindo sobre tudo e mais alguma coisa.

Ele, que chegou lá por acaso, pelo menos mostrava a sua cara feia e tratava de  apertar o torniquete OSTENSIVAMENTE de quem lhe ajudou na subida só para provar que não tinha rabo preso. Outros são mais sutis, mas igualmente praticantes de rituais personalíssimos, como o colega Gilmar Mendes, que quase mandou prender o juiz Fausto de Sanctis para garantir a soltura do banqueiro Daniel Dantas.

Os próximos capítulos prometem muitas emoções.

Uma ajudinha

Tanto Aécio Neves como Eduardo Campos querem tirar uma casquinha no episódio e puxar Joaquim para a sua sardinha. Tudo pode acontecer, por que não?

Mas o ministro é mais ele. A  menos que sua saída faça parte de um complô, o mais provável será mandar-se para fora do país durante a campanha eleitoral, preservando  sua imagem sacrossanta.

Bobagens

Querer atribuir a decisão do senhor Joaquim Benedito a pressões e ameaças é duvidar da inteligência das pessoas.

Ninguém é tão burro para botar o jogo a perder quando os próprios excessos autoritários vão reverter algumas situações pontuais.

Dossiê afiado

No entanto, há quem diga que montaram um dossiê da pesada contra o ministro Joaquim Benedito, incluindo seus negócios em Miami e até seu relacionamento agressivo com as mulheres.

Agora, o que vai pintar de especulação não está no gibi.

Como eu disse

Pouco mais de um minuto a mais no horário eleitoral gratuito. Esta é a principal razão pela qual o PT repete o gesto de dois anos atrás e volta a apertar a mão do antigo rival Paulo Maluf (PP) publicamente. Desta vez o cumprimento partiu do ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, que fechou acordo com o ex-governador, ícone da corrupção no Brasil e antigo colaborador da ditadura.

O acordo deve render 1min15 a mais para o programa de TV de Padilha. A expectativa é que o petista tenha mais tempo de televisão do que Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição. Segundo seus marqueteiros, a estratégia é importante para fazer com que o ex-ministro seja mais conhecido pelo eleitorado de São Paulo.
No fundo, no fundo, todos queriam esse minuto a mais na tv, não importa a origem. Pois o palanque eletrônico é o que conta para as coligações. Coerências políticas já foram pro brejo há muito tempo.
Que diferença faz?

No Maranhão, os petistas estão sendo novamente enquadrados pela direção nacional e obrigados a beijar a mão de Dom José Sarney, primeiro e único.

Quem não cumprir as ordens será devidamente castigado.

Sacanagem

A coluna de horóscopo de quarta-feira, dia 28, da FOLHA DE SÃO PAULO, assinada pela astróloga Bárbara Abramo,  diz que, segundo os astros, o momento é bom para os opositores ao governo federal.

“Lua nova em gêmeos sinaliza fortalecimento das oposições ao governo Dilma nos próximos dias” - garante.

Isso é sacanagem pura, que depõe contra a Folha e a astrologia.

Não acredito

O reajuste das passagens de trem e metrô, que passou a vigorar no dia 18, poderá ser anulado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. O plenário do TCE aprovou por unanimidade, notificação para que as concessionárias Metrô Rio e SuperVia e a Agência Reguladora de Transportes Públicos (Agetransp) encaminhem, em um prazo máximo de cinco dias, os dados utilizados para calcular o aumento das tarifas.

Duvido-d-o-dó que o TCU vá além de um jogo de cena.

Um fenômeno de babaca

Depois que foi exposto numa confusão com travestis na Barra da Tijuca, que o acusaram de não pagar o acertado, o ex-jogador Ronaldo tomou um ódio do povo maior do que o de Pelé.

Sua última pérola é defender porradas contra os manifestantes durante a copa. "Tem que baixar o cacete" - pediu sem dar detalhes.


Historinha

O garoto avisou ao irmão para sair perto da balança.

" - Quando a mamãe sobe aí sai chorando".

Confirmando

Há anos cunhei uma frase, que se confirma sempre.

- o povo é governista. Os governos é que não são povistas.

Quem sai perdendo

Os filhos do prefeito não são
afetados pela greve 
É uma pena que os profissionais de ensino tenham que fazer mais uma greve para serem levados a sério pelos governos do Estado e do Município.

Os filhos do governador e do prefeito não são alunos de escolas públicas. 

8 comentários:

  1. Joaquim Barbosa, um juiz corajoso !

    ResponderExcluir
  2. Corajoso...mais fugiu da raia..quando o jogo ja comeca a virar contra ele...com bombardeio dos seus proprios pares e assemelhados....coragem televisiva...!!!

    ResponderExcluir
  3. Livia Mezavila6:55 PM

    Quanto ao aumento da passagem, também acho que não vai dar em nada...quando aumentaram a passagem de ônibus do Rio nesse ano, o relatório técnico do TCM era contrário e, ainda assim, aumentaram.

    Assim relatou uma matéria de "O Globo":

    “Até que se evidenciem os elementos que justifiquem o aumento de tarifa em R$ 0,25, pode-se concluir que, de janeiro de 2012 até o presente momento, restou configurado o desequilíbrio econômico-financeiro nos contratos de concessão, em benefício das concessionárias. Por tal razão, considera-se apropriado o retorno da cobrança da tarifa ao valor de R$ 2,50, e sugere-se que a Secretaria de Transportes estipule medidas de compensação em prejuízo dos consórcios, para que os recursos decorrentes do acréscimo de R$ 0,25 sejam revertidos, a curto prazo, em investimentos a bem dos usuários”

    Leia mais em: http://oglobo.globo.com/rio/onibus-tecnicos-do-tcm-sugeriram-reducao-de-025-nas-passagens-11467771#ixzz33QX29r1b

    ResponderExcluir
  4. ELISA BRUM4:07 PM

    Sabe o que eu acho? Cfe suas próprias palavras, o Joaquim Barbosa ao responder uma pergunta sobre Nelson Mandela disse que ele era sim uma figura emblemática, mas que ele tinha como principal ídolo Napoleão, apesar de ser um Ditador..... O que pensar de alguém que coloca em segundo plano um líder pacifista e em primeiro um militar que se fez Imperador? Por aí já dá para sacar a personalidade do sujeito. Tem mais, é vingativo, não gosta que lhe lembrem as origens humildes, enfim, é um Napoleão que substituiu o manto imperial por uma capa preta.... Nem quero imaginar este homem na política. Se fora dela só admitia seguidores fiéis e perseguia os supostos adversários, imagine com um pouquinho mais de poder! Um tirano, é o mínimo que se tornaria. Espero que não se candidate a nada e aproveite a aposentadoria para cuidar das costas, ler bastante e ouvir muita música. Assim seja!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo8:08 AM

    Oh my goodness! Incredible article dude! Thanks,
    However I am having problems with your RSS.
    I don't understand why I am unable to join it. Is there anybody
    else having identical RSS issues? Anybody who knows the solution will you kindly respond?
    Thanx!!

    Here is my web page; Best Marketing

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.