terça-feira, 7 de maio de 2013

Por que os médicos cubanos assustam


Elite corporativista teme que mudança do foco no atendimento abale o nosso sistema mercantil de saúde

Só em 2011, médicos cubanos recuperaram a visão
 gratuitamente de2 milhões de pessoas em  35 países
A virulenta reação do Conselho Federal de Medicina contra a vinda de 6 mil médicos cubanos para trabalhar em áreas absolutamente carentes do país é muito mais do que uma atitude corporativista: expõe o pavor que uma certa elite da classe médica tem diante dos êxitos inevitáveis do modelo adotado na ilha,  que prioriza a prevenção e a educação para a saúde, reduzindo não apenas os índices de enfermidades, mas sobretudo a necessidade de atendimento e os custos com a saúde.

Essa não é a primeira investida radical do CFM e da Associação Médica Brasileira contra a prática vitoriosa dos médicos cubanos entre nós. Em 2005, quando o governador  de Tocantins não conseguia médicos para a maioria dos seus pequenos e afastados municípios, recorreu a um convênio com Cuba e viu o quadro de saúde mudar rapidamente com a presença de apenas uma centena de profissionais daquele país.

A reação das entidades médicas de Tocantins, comprometidas com a baixa qualidade da medicina pública que favorece o atendimento privado, foi quase de desespero. Elas só descansaram quando obtiveram uma liminar de um juiz de primeira instância determinando em 2007 a imediata “expulsão” dos médicos cubanos.

No Brasil, o apego às grandes cidades

Dos  371.788 médicos brasileiros, 260.251 estão nas regiões Sul e Sudeste
Neste momento, o governo da presidenta Dilma Rousseff só  está cogitando de trazer os médicos cubanos, responsáveis pelos melhores índices de saúde do Continente, diante da impossibilidade de assegurar a presença de profissionais brasileiros em mais de um milhar de municípios, mesmo com a oferta de vencimentos bem superiores aos pagos nos grandes centros urbanos.

E isso não acontece por acaso. O próprio modelo de formação de profissionais de saúde, com quase 58% de escolas privadas, é voltado para um tipo de atendimento vinculado à indústria de equipamentos de alta tecnologia, aos laboratórios e às vantagens do regime híbrido, em que é possível conciliar plantões de 24 horas no sistema público com seus consultórios e clínicas particulares, alimentados pelos planos de saúde.

Mesmo com consultas e procedimentos pagos segundo a tabela da AMB, o volume de  clientes é programado para que possam atender no mínimo dez por turnos de cinco horas. O sistema é tão direcionado que na maioria das especialidades o segurado pode ter de esperar mais de dois meses por uma consulta.

Além disso, dependendo da especialidade e do caráter de cada médico, é possível auferir faturamentos paralelos em comissões pelo direcionamento dos exames pedidos como rotinas em cada consulta.

Sem compromisso em retribuir os cursos públicos

Há no Brasil uma grande “injustiça orçamentária”: a formação de médicos nas faculdades públicas, que custa muito dinheiro a todos os brasileiros, não presume nenhuma retribuição social, pelo menos enquanto  não se aprova o projeto do senador Cristóvam Buarque, que obriga os médicos recém-formados que tiveram seus cursos custeados com recursos públicos a exercerem a profissão, por dois anos, em municípios com menos de 30 mil habitantes ou em comunidades carentes de regiões metropolitanas.

Cruzando informações, podemos chegar a um custo de R$ 792.000,00  para o curso de um aluno de faculdades públicas de Medicina, sem incluir a residência. E se considerarmos o perfil de quem consegue passar em vestibulares que chegam a ter 185 candidatos por vaga (UNESP), vamos nos deparar com estudantes de classe média alta, isso onde não há cotas sociais.  

Um levantamento do Ministério da Educação detectou que na medicina os estudantes que vieram de escolas particulares respondem por 88% das matrículas nas universidades bancadas pelo Estado. Na odontologia, eles são 80%.

Em faculdades públicas ou privadas, os quase 13 mil médicos formados anualmente no Brasil não estão nem preparados, nem motivados para atender às populações dos grotões. E não estão por que não se habituaram à rotina da medicina preventiva e não aprenderam como atender sem as parafernálias tecnológicas de que se tornaram dependentes.   

Concentrados no Sudeste, Sul e grandes cidades

Números oficiais do próprio CFM indicam que 70% dos médicos brasileiros concentram-se nas regiões Sudeste e Sul do país. E em geral trabalham nas grandes cidades.  Boa parte da clientela dos hospitais municipais do Rio de Janeiro, por exemplo, é formada por pacientes de municípios do interior.

Segundo pesquisa encomendada pelo Conselho,  se a média nacional é de 1,95 médicos para cada mil habitantes, no Distrito Federal esse número chega a 4,02 médicos por mil habitantes, seguido pelos estados do Rio de Janeiro (3,57), São Paulo (2,58) e Rio Grande do Sul (2,31). No extremo oposto, porém, estados como Amapá, Pará e Maranhão registram menos de um médico para mil habitantes.

A pesquisa “Demografia Médica no Brasil” revela que há uma forte tendência de o médico fixar moradia na cidade onde fez graduação ou residência. As que abrigam escolas médicas também concentram maior número de serviços de saúde, públicos ou privados, o que significa mais oportunidade de trabalho. Isso explica, em parte, a concentração de médicos em capitais com mais faculdades de medicina. A cidade de São Paulo, por exemplo, contava, em 2011, com oito escolas médicas, 876 vagas – uma vaga para cada 12.836 habitantes – e uma taxa de 4,33 médicos por mil habitantes na capital.

Mesmo nas áreas de concentração de profissionais, no setor público, o paciente dispõe de quatro vezes menos médicos que no privado. Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, o número de usuários de planos de saúde hoje no Brasil é de 46.634.678 e o de postos de trabalho em estabelecimentos privados e consultórios particulares, 354.536. Já o número de habitantes que dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) é de 144.098.016 pessoas, e o de postos ocupados por médicos nos estabelecimentos públicos, 281.481.

A falta de atendimento de saúde nos grotões é uma dos fatores de migração. Muitos camponeses preferem ir morar em condições mais precárias nas cidades, pois sabem que, bem ou mal, poderão recorrer a um atendimento em casos de emergência.

A solução dos médicos cubanos é mais transcendental pelas características do seu atendimento, que mudam o seu foco no sentido de evitar o aparecimento da doença.  Na Venezuela, os Centros de Diagnósticos Integrais espalhados nas periferias e grotões, que contam com 20 mil médicos cubanos, são responsáveis por uma melhoria radical  nos seus índices de saúde.

Cuba é reconhecida por seus êxitos na medicina e na biotecnologia

Em  sua nota ameaçadora, o CFM afirma claramente que confiar populações periféricas aos cuidados de médicos cubanos é submetê-las a profissionais não qualificados. E esbanja hipocrisia na defesa dos direitos daquelas pessoas.

Não é isso que consta dos números da Organização Mundial de Saúde.  Cuba, país submetido a um asfixiante bloqueio econômico, mostra que nesse quesito é um exemplo para o mundo e tem resultados melhores do que os do Brasil.

Quando esteve em Cuba, em 2003, a deputada Lilian Sá
foi conhecer com outros parlamentares  o médico de família,
uma equipe residente no próprio conjunto habitacional
Graças à sua medicina preventiva, a ilha do Caribe tem a taxa de mortalidade infantil mais baixa da América e do Terceiro Mundo – 4,9 por mil (contra 60 por mil em 1959, quando do triunfo da revolução) – inferior à do Canadá e dos Estados Unidos. Da mesma forma, a expectativa de vida dos cubanos – 78,8 anos (contra 60 anos em 1959) – é comparável a das nações mais desenvolvidas.

Com um médico para cada 148 habitantes (78.622 no total) distribuídos por todos os seus rincões que registram 100% de cobertura, Cuba é, segundo a Organização Mundial de Saúde, a nação melhor dotada do mundo neste setor.

Segundo a New England Journal of Medicine, “o sistema de saúde cubano parece irreal. Há muitos médicos. Todo mundo tem um médico de família. Tudo é gratuito, totalmente gratuito. Apesar do fato de que Cuba dispõe de recursos limitados, seu sistema de saúde resolveu problemas que o nosso [dos EUA] não conseguiu resolver ainda. Cuba dispõe agora do dobro de médicos por habitante do que os EUA”.

O Brasil forma 13 mil médicos por ano em  200 faculdades: 116 privadas, 48 federais, 29 estaduais e 7 municipais. De 2000 a 2013, foram criadas 94 escolas médicas: 26 públicas e 68 particulares.

Formando médicos de 69 países

Estudantes estrangeiros na Escola Latino-Americana de Medicina
Em 2012, Cuba, com cerca de 13 milhões de habitantes, formou em suas 25 faculdades, inclusive uma voltada para estrangeiros, mais de 11 mil novos médicos: 5.315 cubanos e 5.694 de 69 países da América Latina, África, Ásia e inclusive dos Estados Unidos.

Atualmente, 24 mil estudantes de 116 países da América Latina, África, Ásia, Oceania e Estados Unidos (500 por turma) cursam uma faculdade de medicina gratuita em Cuba.

Entre a primeira turma de 2005 e 2010, 8.594 jovens doutores saíram da Escola Latino-Americana de Medicina. As formaturas de 2011 e 2012 foram excepcionais com cerca de oito mil graduados. No total, cerca de 15 mil médicos se formaram na Elam em 25 especialidades distintas.

Isso se reflete nos avanços em vários tipos de tratamento, inclusive em altos desafios, como vacinas para câncer do pulmão, hepatite B, cura do mal de Parkinson e da dengue.  Hoje, a indústria biotecnológica cubana tem registradas 1.200 patentes e comercializa produtos farmacêuticos e vacinas em mais de 50 países.

Presença de médicos cubanos no exterior

Desde 1963,  com o envio da primeira missão médica humanitária à Argélia, Cuba trabalha no atendimento de populações pobres no planeta. Nenhuma outra nação do mundo, nem mesmo as mais desenvolvidas, teceu semelhante rede de cooperação humanitária internacional. Desde o seu lançamento, cerca de 132 mil médicos e outros profissionais da saúde trabalharam voluntariamente em 102 países. 
No total, os médicos cubanos trataram de 85 milhões de pessoas e salvaram 615 mil vidas. Atualmente, 31 mil colaboradores médicos oferecem seus serviços em 69 nações do Terceiro Mundo.

No âmbito da Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América), Cuba e Venezuela decidiram lançar em julho de 2004 uma ampla campanha humanitária continental com o nome de Operação Milagre, que consiste em operar gratuitamente latino-americanos pobres, vítimas de cataratas e outras doenças oftalmológicas, que não tenham possibilidade de pagar por uma operação que custa entre cinco e dez mil dólares. Esta missão humanitária se disseminou por outras regiões (África e Ásia). A Operação Milagre dispõe de 49 centros oftalmológicos em 15 países da América Central e do Caribe. Em 2011, mais de dois milhões de pessoas de 35 países recuperaram a plena visão.

Quando se insurge contra a vinda de médicos cubanos, com argumentos pueris, o CFM adota também uma atitude política suspeita: não quer que se desmascare a propaganda contra o  regime de Havana,  segundo a qual o sonho de todo cubano é fugir para o exterior. Os mais de 30 mil médicos espalhados pelo mundo permanecem fiéis aos compromissos sociais de quem teve todo o ensino pago pelo Estado, desde a pré-escola e de que, mais do que enriquecer, cumpre ao médico salvar vidas e prestar serviços humanitários.

384 comentários:

  1. ELISA BRUM4:29 PM

    CARO PEDRO,
    TENHO UMA SOBRINHA, A LUCIA MARIA BRUM, QUE ESTUDOU MEDICINA EM CUBA, HOJE TRABALHA NOS MÉDICOS SEM FRONTEIRAS. APESAR DE TER FEITO MESTRADO NA FIOCRUZ EM DOENÇAS TROPICAIS, ATÉ HOJE NÃO TEM O DIPLOMA DELA RECONHECIDO NO BRASIL. O ENGRAÇADO É QUE ELES RECORREM À MEDICINA CUBANA E DEPOIS NÃO RECONHECEM A FORMAÇÃO DOS MÉDICOS BRASILEIROS QUE FORAM PARA LÁ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:23 PM

      É só ela fazer a prova do Revalida, se for aprovada ela consegue trabalhar no Brasil! Se não foi aprovada é porque está faltando qualificação!

      Excluir
    2. Anônimo1:37 PM

      Exatamente isso, não somos contra médicos com formação no exterior, apenas queremos que os mesmos façam os testes de validação, e isso não está sendo proibido por ninguém, apenas ter qualificação e capacidade para passar no teste. Pois já começaram de maneira mais simples, ao invés de passar no vestibular aqui, foram para fora, e agora não querem ser avaliados? Isso é brincadeira... Da mesma forma que está comprovado que a maioria dos que conseguiram revalidar o diploma não estão trabalhando com saúde pública no Brasil, estão se especializando e atendendo em centros maiores, ou seja, a justificativa de interiorização do médico é pura balela. O que precisamos é de incentivo para o médico ir para o interior, como planos de carreira e estabilidade profissional, enquanto isso não acontecer, nada mudará. Até porque já possuímos um número maior de médico do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde, o que precisa melhorar é a distribuição, agora ninguém vai se sujeitar a trabalhar em lugares que não ofereçam condições mínimas para a boa prática médica!

      Excluir
    3. Anônimo1:38 PM

      90% dos medicos formados em cuba nao conseguem passar na prova de validaçao do Diploma. Resumindo, o padrao de qualidade da medicina ensinada em cuba é muito inferior a praticada no Brasil.

      Excluir
    4. Anônimo1:52 PM

      Vai lá em Cuba então e faz um exame pra verificar seu diploma brasileiro e me conta se passou, ok?

      Excluir
    5. Anônimo2:06 PM

      estranho, se os cubanos sao bem preperados, pq nao passam no revalida?
      Gostaria de saber se o nobre joranalista e sua familia vao passar a se tratar no Sus com os estrangeiros sem Rrvalida

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. Anônimo2:33 PM

      já existem sindicâncias abertas sobre o nível do revalida.
      e não acho que 90% não passam, tenho 2 amigos que se formaram em cuba e passaram de primeira, assim como existem médicos bons e ruins lá, vamos ver os números de erro médico do brasil e comparemos com os de cuba, seria ótimo ver a desconstrução desse pseudo modelo de medicina do brasil.
      pergunta pra a população se eles são contra, agora pergunta pros médicos que ficam ricos o que eles acham!
      heheheh, cuba ta chegando e o brasil vai melhorar!

      Excluir
    8. Sua sobrinha assinou seu próprio atestado de incompetência cursando medicina em Cuba. Se ela se acha digna de atuar como médica no Brasil é simples, prove seu potencial passando na REVALIDA.

      Excluir
    9. Anônimo3:48 PM

      para quem quer saber a verdade sobre a medicina em cuba antes de criticar a nossa, sera que um país fechado como cuba e com tanta pobreza e atraso é tão bom assim mesmo ou sera que o governo mascara as estatisticas??? aqui vai um video do youtube para quem quer realmente saber a verdade ao invés das besteiradas do texto acima http://www.youtube.com/watch?v=USrJ9Zxgye4

      Excluir
    10. Anônimo5:28 PM

      Então vamos ver se suas parentes conseguem fazer uma cirurgia sem fio de sutura, acabar com uma infecção bacteriana sem antibiotico, ou ainda acabar com a dor sem um mísero analgésico a ser dado na unidade que ela for trabalhar no interior. Vamos ver se ela consegue salvar um paciente de um infarto sem ter, ao menos, uma ambulância que leve o paciente ao ps. E fazer curativos, dar pontos, sem ao menos ter um par de luvas descartáveis. Seja de lá ou de cá, médico nenhum fazem milagre. E pelo menos os daqui não acharam seu crm no lixo, pra fingir que salvam vidas.....
      E quem disse que em Cuba é melhor que aqui??? tenho amigos que cursaram lá e, sinceramente, não falam isso não!!! Lembrem que lá é um sistema fechado - falam o que querem. Se lá fosse tão bom, Lula e Dilma teriam feito o tratamento do câncer lá, não no sírio libanes

      Excluir
    11. Se Chávez tinha boa relação com Dilma e Lula, porque ele não veio para o Sírio Libanês, e sim para Cuba? Você já foi a cuba? Se não foi, está falando do que acha, e não do que tem certeza. Eu estudei medicina na Rússia, na mesma grade cubana de disciplinas e metodologia comunista. Tenho colegas cubanos, e digo com convicção que a medicina de Cuba é boa sim, nem se compara com a nossas. E mais, se os médicos do brasil quisessem resolver o problema já teriam resolvido a muito tempo. Nossos médicos brasileiros são hoje uma classe orgulhosa e presunçosa. Acho que a entrada dos cubanos aqui vai ser uma tapa na cara para que a medicina brasileira desperte, e aprenda a respeitar os outros profissionais de saúde, valorizando a equipe e principalmente o nosso cliente, que é o cidadão brasileiro.

      Excluir
    12. Anônimo6:28 AM

      Para quem falou que o padrão de ensino em Cuba é muito inferior ao brasileiro saiba que, na verdade, se essa prova REVALIDA fosse aplicada aos brasileiros, um índice semelhante senão maior iria aparecer. Já conversei com gerentes de intercâmbio e todos falaram que eu deveria cursar medicina no Brasil, pois independente de qualquer lugar q eu me formasse, passar nessa prova é dificílimo, ela é muito mais difícil do que qualquer prova passada no Brasil aos médicos. Inclusive, o exame da CREMESP que é uma prova fácil, muito mais, mas MUITO MAIS MESMO, do que o REVALIDA, foi aplicado no estado de SP, estado mais rico do Brasil, e a taxa de reprovação foi mais de 50%. Então, não venham me falar que o ensino de medicina em Cuba é pior que no Brasil

      Excluir
    13. Anônimo9:51 AM

      Eu tenho amigos que n conseguiram revalidar no Brasil e trabalham na europa, sabe como revalidando lá? Será que aceitaram eles lá e n no Brasil porque eles n estavam preparados? Me poupe! Porque n fazem revalida a todo mundo que queira ter CRM, incluindo os brasileiros?

      Excluir
    14. Será que os médicos formados no Brasil passariam no exame do revalida? Tenho minhas dúvidas... Os nossos médicos estão fazendo algum exame que comprove a qualidade de sua formação ou que comprove o seu conhecimento?

      Excluir
    15. Anônimo1:59 PM

      Concordo rtyou. Coloca uma prova nos moldes da OAB para os formados em medicina em faculdades no Brasil. Duvido que o índice de aprovação seria maior do que 7%...

      Excluir
    16. Anônimo10:49 PM

      Os resultados do projeto-piloto criado pelos Ministérios da Saúde e da Educação para validar diplomas de médicos formados no exterior confirmaram os temores das associações médicas brasileiras. Dos 628 profissionais que se inscreveram para os exames de proficiência e habilitação, 626 foram reprovados e apenas 2 conseguiram autorização para clinicar. A maioria dos candidatos se formou em faculdades argentinas, bolivianas e, principalmente, cubanas.

      Excluir
    17. Anônimo1:15 AM

      Sou médico.. pq será que não vou ao Pará trabalhar? Pq já estive lá e sei a realidade..às vezes penso que haja um certo prazer em julgar nossa classe e colocar a culpa desse caos da saúde como sendo nossa responsabilidade.. todo dia vejo lugares que posso trabalhar, que pagam 2500 liquido em um plantaozinho de 24h.. e pergunto, pq será que rejeito e prefiro ficar em casa?
      O que vcs precisam entender é que por trás de tudo há incompetência e má vontade política.. vcs não imaginam a responsabilidade que é ser médico.. é muito mais fácil julgar sem ter a responsabilidade nas costas..
      Me chega uma criança com crise de asma grave, vejo que não há berotec nem atrovente e nem inalador.. sei que a criança vai morrer e que os pais desesperados nao vão culpar o prefeito, nem a Dilma, mas sim o médico..
      Para os pais não existe bem mais precioso que seus filhos.. então imaginem a responsabilidade de ser o responsável pela vida ou morte dessa criança.
      Recebi propostas milionárias para trabalhar no pará..pq não fui? Pq ainda me importo com o outro.. para um médico que não se importa tanto faz ter ou não um soro contra picada d3 cobra..
      Ter médico cubano no interior é tapar o sol com a peneira.. é lubridiar os tolos..vai continuar a mesma coisa.. remédio para verme.. dipirona para dor..etc
      Vão comprar um desfibrilador para salvar uma vida.. vão comprar um eletrocardiograma para diagnosticar um infarto?

      Te garanto que o que os cubanos irão fazer no interior, um farmacêutico experiente faz 10 vezes melhor.. sabe qual é o melhor para alergia..para constipação etc

      Sem mamografia uma coitada do Tocantins vai continuar tendo câncer de mama e só vai ter o diagnóstico quando estiver com alguns meses de vida..
      É o mesmo absurdo de ver uma mulher jovem morrer de câncer de colo de útero

      Excluir
  2. Parabéns pelas suas colocações até porque só pode ser piada a colocação do CFM............... "criação de uma carreira de Estado para médicos do Sistema Único de Saúde (SUS)". Quantas pessoas mais devem morrer, quantas pessoas devem ter seus direitos lacerados esperando ser aprovada esta proposta e quanto tempo mais terão que esperar para que esses médicos se formem e queiram trabalhar onde precisar deles. Eu queria saber quais são as iniciativas dos Conselhos Federais de Medicina e também das demais profissões existentes no pais para conseguir suprir a carência destes em lugares de difícil acesso ou mesmo carentes. Queria saber quais as iniciativas no sentido de validar o diploma do brasileiro ou estrangeiro que vive no Brasil e que por causas burocráticas ainda não conseguiram. O CFM devia é bater palmas para esta iniciativa do governo. Gostaria saber a quantidade de eleitores que tem nessas regiões carentes? Não tem cabimento o CRM falar que essa iniciativa é eleitoreira..... irão ser atendidas também crianças e jovens que ainda nem votam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:37 PM

      Não somos contra médicos com formação no exterior, apenas queremos que os mesmos façam os testes de validação, e isso não está sendo proibido por ninguém, apenas ter qualificação e capacidade para passar no teste. Pois já começaram de maneira mais simples, ao invés de passar no vestibular aqui, foram para fora, e agora não querem ser avaliados? Isso é brincadeira... Da mesma forma que está comprovado que a maioria dos que conseguiram revalidar o diploma não estão trabalhando com saúde pública no Brasil, estão se especializando e atendendo em centros maiores, ou seja, a justificativa de interiorização do médico é pura balela. O que precisamos é de incentivo para o médico ir para o interior, como planos de carreira e estabilidade profissional, enquanto isso não acontecer, nada mudará. Até porque já possuímos um número maior de médico do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde, o que precisa melhorar é a distribuição, agora ninguém vai se sujeitar a trabalhar em lugares que não ofereçam condições mínimas para a boa prática médica!

      Excluir
    2. Nós médicos só não vamos para o interior porque NÃO HÁ MEIOS ESTRUTURAIS PARA SE EXERCER UMA BOA MEDICINA. É muito mais fácil jogar a culpa nos médicos do que os governantes assumirem a falta de investimentos nos MEIOS que possibilitariam aos médicos promover saúde. Começando pelo básico: exames laboratoriais, enfermagem, exames de imagem e medicamentos. Porque algum médico iria para um lugar onde esses meios estão ausentes? Só para ir dormir a noite pensando em tudo o que poderia ter feito e não fez por falta de investimento público?
      A idéia do CFM não suprir a carência de profissionais nas áreas carentes é obviamente devido essa NÃO SER A FUNÇÃO DELE. É função do governo! Entendamos uma coisa: NÃO FALTAM MÉDICOS EM NÚMERO ABSOLUTO. A DESIGUALDADE DE DISTRIBUIÇÃO OCORRE APENAS PELA FALTA DE RECURSOS ESTRUTURAIS DE TRABALHO. O fato de muitos não entenderam algo tão óbvio, é apenas um reflexo do sucesso da propaganda política associada a falta de educação da população.

      Excluir
    3. Anônimo6:16 PM

      Sua ultima frase foi uma das mais burras que ue já lí em todo o post... parabéns...

      Excluir
    4. Anônimo7:20 PM

      Voce é um animal, totalmente animal, já vi comentarios imbecis mas o seu de longe é o melhor. A medicina brasileira deixou de ser preventiva ha muitos anos, quando o governo não valorizou os medicos de familia e comunidade, ou quando não ofereceram condições de trabalho.
      -
      Ontem eu estava de plantão e chegou um paciente infartando, nao tinha eletrocardiograma, nao tinha enzimas cardiacas, não tinha NADA, tinha AAS e uma caixa de clopidogrel que eu tinha na bolsa, entrei na ambulancia com o paciente e sabe o que eu consegui fazer ? Segurar na mão dele e vê-lo morrer, apos tentar reanimar sem sucesso, haviam apenas 10 amp de adrenalina, desfibrilador nao tinha, muito menos tubo.

      Vi o paciente morrer e eu me sentindo totalmente impotente, apesar de ja ter revertido alguns casos similares quando trabalhava em grande centros.

      Hoje eu me demiti e estou indo embora, não quero mais ver gente morrer.

      Excluir
  3. Parabéns meu amigo jornalista, dramaturgo e escritor Pedro Porfírio por matéria corajosa (somo sempre), encarando os chamados "grandões" deste país sem dono e sem caminho certo. Quando se quer fazer uma coisa certa, como chamar os nossos irmãos médicos cubanos, que não têm medo de encarar rios, florestas e doenças, o CFM e o CRM começa a espernear em favor de seus "garotinhos e garotinhas" que só querem altos salários e em ótimas condições de trabalho. E o juramento que eles fizeram? Foi por acaso, diante de uma nota de R$100,00? Que venham nossos bons médicos cubanos que estão a fim de trabalho e não de "passar receita"... Um abraço, caro e grande jornalista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:40 PM

      Interessante sua colocação......um trabalhado( medico) nao pode buscar boas condições de serviços e salários condizentes. É com mensalidades como essa que o Brasil se aproxima de Cuba e Venezuela!

      Sou medico, durante minha formação busquei estagio internacional e escolhi Havana. Falo com propriedade , as condutas medicas de lá estão atrasadas no mínimo uns 50 anos em relação ao Brasil.

      Importar medico é desnecessário.......precisa é de comprar mais macas, mais esparadrapos, bisturi, antibióticos.....pq isso sim esta faltando na rede publica brasileira!

      Excluir
    2. Você conhece os interiores do país? conhece as cidades no meio da Amazônia? cidades em que nem os prefeitos moram? cidades onde você vive ameaçado pelos traficantes e madereiro? cidades onde não é possível pedir um exame de sangue, onde não chegam antibióticos, remédios básicos como antihipertensivos e ratada e hipoglicemiantes? lugares sem água tratada e rede de esgoto? lugares sem as mínimas condições de trabalho? é como querer que um engenheiro da computação trabalhe em um lugar sem computadores! Reconheço que esses cantões precisam de assistência médica, isso é um direito de qualquer ser humano, mas nossa presidenta tem verbas para fazer estádios maravilhosos, sediar copa e olimpíadas mas não é capas de dar as mínimas condições de trabalho! A medicina preventiva de Cuba é sim um modelo para o resto do mundo, é uma forma barata e muito eficaz de resolver grande parte da demanda, assim como os PSF fazem no Brasil, investir na construção de PSF nessas localidades é a solução digna, sendo que um PSF não é apenas o médico, mas uma equipe de profissionais voltados à saúde preventiva! O médico é apenas um profissional não trabalha sozinho ele depende de enfermeiros, farmacêuticos e bioquímicos para dar uma atenção digna aos doentes! Um plano de carreira é uma forma digna de valorizar um ser humano que dedicou a vida, abrindo mão de muita coisa,s e secrificando ano de estudo e trabalho em cargas horárias desumanas para cuidar de quem precisa! Mas também o médico é um profissional, ele investe (e muito) em sua profissão, e porque ele deve trabalhar de graça? por que um político pode ter salários exorbitantes (sem nem ter uma formação para isso), por que um cubano tem que tomar o meu lugar na frente de um centro de saúde sendo que eu dediquei a minha vida a esse país? eu sempre paguei meus impostos, cumpri com todos os meus deveres? e para "passar receita" são anos de muito estudo e dedicação! nem todos os médicos são bem qualificados, assim como em todas as profissões há os bom e maus profissionais, mas dizer que um profissional com uma carga horaria de 12 horas por dia não quer trabalhar??? Em que lugar ficou a dignidade nesse Brasil? em que lugar da história acabou a meritocracia???

      Excluir
    3. Anônimo2:05 PM

      Boas colocoes ronald.....como um medico vai trabalhar sem condições? Sem equipe medica? E nao precisa ir pra interior pra sentir isso!

      Moro em Goiânia, e dei plantão em um Cais na semana passada e adivinhe! Faltava gaze e esparadrapo! Isso é básico! Como fazer um curativo sem esses materiais? Ae a culpa é do medico......

      Excluir
    4. Rafael Vasques2:33 PM

      E ainda completo...
      Não falta médicos no país, eles estão concentrados em grandes centros urbanos pq nesses interiores não existe nada de medicação, nada de hospitais, nada de material, nenhuma política de plano de carreira, e quando o médico vai pra esses locais atraídos por um bom salário ele recebe nos primeiros meses e depois ganha calote das prefeituras! Sem falar que a culpa e a responsabilidade é sempre do médico!

      Um médico brasileiro ou cubano ou americano somente nao fará diferença na saúde nessas comunidades esquecidas pelo governo se nao existir condiçoes de atender bem o paciente! Daí QUEM GARANTE que esse médicos cubanos, com o passar do tempo, não irão sair dessas comunidades remotas e se mudarem também para os capitais, aumentando mais ainda a má distribuição de médicos no país e desvalorizando cada vez mais a classe médica??

      O PT cria bolsa tudo quanto é coisa e toma essas medidas como trazer médico de fora pra onde nao existe não é pra melhorar a qualidade de vida da populaçao nao... é uma forma "legal" de comprar votos dos mais carentes!!
      Levar saúde pra onde nao tem nao significa levar médico pra lá nao, médico sozinho nao faz milagre! Tem q ter medicaçao, equipe preparada!

      É tudo só mais uma forma barata de enganar o pobre e mostrar que o governo tá fazendo alguma coisa...

      Excluir
    5. Anônimo3:22 PM

      hahahaha, irmãos médicos cubanos.... ta de brincadeira, o que mais "companheiros"enquanto isso com um i phone na mão e tomando coca cola. Se contar o exame de ressonância que fez ontém e o carro automático. Vai se catá bando de babaca.

      Excluir
    6. Rafael Vazques, ias tão bem no teu discurso com excessão de uma possível migração, ou seja, quebra de contrato. Pensa direitinho pq sei que vc sabe que isso não será possível, ou vc não leu os detalhes do mesmo. Eles vem pra revolucionar, pra por em evidencia a falta de estrutura mesmo, isso já será outro capítulo da história. Agora falar de partidos políticos aqui, realmente vc se perdeu do tema. Na hora do ultimo suspiro, um pobre e agoniante paciente brasileiro não vai se importar a nacionalidade do seu salvador e se existe ou não estrutura pra ele trabalhar. O que vai pesar é a presênça dele alí, na hora "H". O resto é resto. O que prima agora é o valor de uma vida. Devemos agradeçer por temos aos conceituados cubanos para fazer esse trabalho. Ou vc prefere um lei que te obrigue fazer trabalho social em lugares carentes e inósptos como existe na mesma Cuba, e nos vizinhos Paraguai, Uruguai, Equador, Venezuela, etc. Hein!? PENSA BEM ANTES DE JUGAR apesar que a tua, a minha, a nossa opinião em nada vai mudar o q está por vim, que não é uma invensão do nosso governo e sim um tend[encia mundial.

      Excluir
  4. Maicon Nunes Martins7:26 PM

    O melhor texto que já li no Brasil sobre os médicos cubanos. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:57 PM

      espero que vc vá se tratar com eles

      Excluir
    2. Anônimo2:25 PM

      Hahhahaa, Boa! Quero ver se o Maicon vai se tratar com los hermanos cubanitos, kkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Anônimo3:47 PM

      Para que tudo o que foi escrito nesta reportagem aconteça no Brasil só é necessária uma "simples" iniciativa: TRANSFORMAR O BRASIL NOVAMENTE EM UMA DITADURA!. Pois, caso seja respeitado o direito de ir e vir, ninguém pode ser obrigado a trabalhar em lugar nenhum!. Quanto a obrigar os médicos formados em instituições públicas a trabalhar no interior para o sistema público, SÓ SE TODAS AS OUTRAS PROFISSÕES forem obrigadas ao mesmo. Direitos e deveres iguais para todos!

      Excluir
    4. Anônimo6:32 PM

      porque nao fizeram medicina no brasil? Ah esqueci, aqui uma mensalidade particular varia entre 2.500 a 6.000 e pra entrar em uma pública precisa estudar muuuuuuito.E lá, é bem, lá a mensalidade custa na nossa moeda uns 200-500 reais jogando alto e pra morar, pff nao iremos comparar com o tanto que gastamos em moradia todos os seis anos de moradia. È realmente médicos brasileiros nao tem direito em querer receber um salário decente né? Vamos ser realistas pessoal!

      Excluir
  5. Anônimo8:33 PM

    Excelente texto,Porfírio, o melhor que li até agora sobre os médicos cubanos.
    Não sei como comentar com meu nome, por isso, fui de anônimo. Mas mando a você um grande abraço.
    Zuleica Jorgensen Malta Nascimento

    ResponderExcluir
  6. valquirio araujo10:14 PM

    como dizia o grande libertador da america... José Martí, ser culto é a única forma de ser verdadeiramente livre... e sua materia nos dá a oportunidade de sermos cultos, conhecendo a verdade sobre nossos grandes profissionais de cuba, com muito orgulho faço parte desta realidade por ter a oportunidade de está estudando medicina aqui em cuba e posso afirmar o quanto verdadeiro é tudo o que está explicito na materia... parabe´ns Porfirio muito sucesso..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:31 PM

      Vc é medico? Conhece a realidade do trabalho no sus ou no interior do pais? Ta fácil demais ser culto lendo um texto esquerdista como esse.....

      Excluir
    2. Anônimo2:50 PM

      "valquirio"
      Não sabe nem escrever e diz que o curso de medicina Cubano é de qualidade.
      Ora, por favor, você não foi capaz nem de passar em um vestibular e que falar de qualificação?

      Excluir
    3. Anônimo6:36 PM

      sou culto, leio livros além da área médica e estudo muito pra me manter uma profissional decente. Estudei seis anos, gastei uma boa grana e hoje não acho nem um pouco justo o que recebo diante das circunstancias em que trabalho, carga horaria e tudo mais, sem contar que sou responsabilizada por cada vida que passa nas mãos. E sim, faço questão de receber um salário digno, e digno desde a residencia onde trabalhamos como escravos com uma carga horaria enorme e ainda nos deparando com uma situaçao onde temos que ver gente formada na bolivia, argentina e cuba atuando aqui sem revalidar diploma, fazendo estágios e bla bla. Aonde está o justo?

      Excluir
    4. O justo é que pessoas a milhares de KM de tua linda suíte estejão morrendo por falta de médicos, enquanto te preocupas com o teu salário e tua residência médica, os políticos tão tentando salvar vidas. Olha a inversão de valores. É por pessoas como vc que o mundo que deixaremos para nossos filhos estará cada dia mais misserável. Creio que vc deveria se reciclar 6 anos mais na faculdade, se tua família não pode custear o governo que tu tanto critica as decisões, te dará uma forçinha, pq de culto(a) e/ou médico(a) vc não tem nada. E leia primeiro qual é a proposta do governo antes de criticar. E deixe de ler teus gibizinhos e se meter num tema do qual não dominas nada.

      P.S.
      -Sou culto...
      -...sou responsabilizada...
      Me parece que existem um conflito de personalidades em vc. Procure um psicóloco e sexólogo, vc realmente precisa. Ou será que vc não aprendeu português no primário, e é um desses médicos que compraram o vestibular e todas as provas da carreira de medicina?
      Cadê a versão da Prova da OAB aplicada a medicina para os "médicos" formando de nosso país. Por isso estamos como estamos. "Tenho pena de tua alma, tão perdida e vagante pelas trevas que pairam o teu modo e estilo de vida ergoncentrista."
      Rezarei por ela!!!

      Excluir
  7. Anônimo10:19 PM

    Amigos..simples..façam o REVALIDA e sejam bem-vindos!
    Entrada irresponsável no País sou realmente contra. Se acha correto..vai p/ EUA ou outros países sem prova de revalidação de diploma pra ver se trabalha..faz o teste..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vais morer do coração pq eles tão chegando e depois deles virão dezenas de milhares mais e mais. E eles vem pra ficar. E ao invés do revalida deveria existir, como para os advogados já existe, uma prova de proficiência. Aí vou querer ver médicos desqualificados e preconceituosos e xenofóbos dançarem na chapa quente.

      Abaixo a xenofobia e a intransigência!!!
      Viva a vida e deixe os outros ter direito de viver as suas.
      Médico um direito de todos.

      Excluir
  8. Extraordinária esta observação do Pedro Porfírio. Tocou em vários pontos polêmicos pela corporação da máfia branca. Na verdade, pura crua é que nossas Escolas, espalhadas em todo o país não estão formando profissionais médicos competentes. Formam técnicos que trabalham com saúde humana como se fôsse uma grande empresa. Já existe até o roteiro de procedimentos para cada caso clínico. Ir para os chamados grotões brasileiros significa correr o risco de perder as oportunidades de grandes equipamentos para exames laboratoriais, ultrassônicos e tantas outras formas de auxiliarem no correto diagnóstico. Fica mais fácil acertar nos diagnósticos. Todos nós conhecemos a máfia das cesarianas. Qual o percentual dos partos naturais x cesarianas !!! A gravidez mudou de uns tempos prá cá. Não há abertura uterina e vaginal, vamos partir para a cesariana. Em quanto fica um parto natural e um parto por cesária!!! E por aí vai.
    Então, na verdade, a saúde praticada por estes profissionais hoje é tudo uma questão de custo benefício. E pior ainda, uma questão de logística. Longe fica difícil e tenho que estar muito bem preparado para intervir o que lamentávelmente não é verdade.
    Quantos pacientes que são internados com um tipo de suspeita e são contaminados com uma doença completamente diferente da suspeita. Alguém já viu algum profissional médico praticar as boas práticas de atendimento!!! Atende um paciente com suspeita de doença virótica, passa a atender outro paciente com suspeita de doença bacteriana e vai por aí afora. Com as mesmas vestimentas. Dá um passeio, vai até o banco e volta com o mesmo jaleco contaminado a tudo e todos. E aí diagnosticam: foi contaminação hospitalar. Quem causou!!!
    É um bom debate, principalmente quando o CFM sai nesta defesa totalmente irresponsável contra a possibilidade de que a população empobrecida do Brasil ter um melhor atendimento. E quem diria, Cuba e os profissionais médicos cubanos virão para o Brasil, sob os auspícios do Governos Federal e da OPAS. Será se o CFM ainda se lembra desta cigla: OPAS. E que viva a medicina preventiva. Como dizia nossos avós: é melhor prevenir do que remediar.
    Uma pequena apresentação: sou médico-veterinário, estive no princípio deste ano em Cuba e tive de procurar o serviço médico da Ilha por causa de uma crise de erisipela. Tem quase 06 meses que estou muito bem, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo11:40 AM

      Máfia branca??? Voce por acaso é médico para saber a real situaçao da saude nesse pais que vc habita? Provavelmente é mais um hipocrita que desfruta de plano de saude e nunca precisou enfrentar uma fila de espera para exames, consultas ou laboratorios. Acorda pra vida, cidadao!! O Brasil pode importar mao de obra da Europa, das melhores escolas medicas do mundo e AINDA ASSIM, tera uma saude publica precaria e sem resolutividade!! Tenho 6 anos de formada e meu primeiro emprego foi numa regiao interiorana inospita, sem medicos e ao chegar la, descobri o porque da situaçao! Nao tinham gazes no meu posto, aparelhos de eletrocardiograma ou radiografias, sequer antibioticos venosos para tratamento de pneumonias haviam!!! Em 2 meses de trabalho, recebi apenas um hemograma das dezenas que solicitei, porque o municipio de 15 mil habitantes NAO tinha um laboratorio para fazer isso. E ai te pergunto, caro cidadao desinformado...Resolvera trazer medicos cubanos, alemaes, japoneses ou de outro mundo? NAO!!! E nao é voce com seu deprimente planinho de saude quem vai entender...e sim eu e mais outros milhares de participantes da "mafia branca" como vc denominou, que tentamos fazer milagres na saude publica! Faz o seguinte...Ao invés de opinar sobre o que nao sabe, senta numa cadeira, estude pra um vestibular decente, faça 6 anos de medicina, 3 de residencia medica e vá voce tentar fazer a diferença que tu achas tao facil. Desafio feito !! So nao sei se aceito....

      Excluir
    2. Anônimo1:39 PM

      Não somos contra médicos com formação no exterior, apenas queremos que os mesmos façam os testes de validação, e isso não está sendo proibido por ninguém, apenas ter qualificação e capacidade para passar no teste. Pois já começaram de maneira mais simples, ao invés de passar no vestibular aqui, foram para fora, e agora não querem ser avaliados? Isso é brincadeira... Da mesma forma que está comprovado que a maioria dos que conseguiram revalidar o diploma não estão trabalhando com saúde pública no Brasil, estão se especializando e atendendo em centros maiores, ou seja, a justificativa de interiorização do médico é pura balela. O que precisamos é de incentivo para o médico ir para o interior, como planos de carreira e estabilidade profissional, enquanto isso não acontecer, nada mudará. Até porque já possuímos um número maior de médico do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde, o que precisa melhorar é a distribuição, agora ninguém vai se sujeitar a trabalhar em lugares que não ofereçam condições mínimas para a boa prática médica!

      Excluir
    3. Anônimo1:56 PM

      Vc não sabe nada sobre medicina! Cada um escreve e publica o que quer, internet é a grande máquina transformadora de mitos, onde um jornalista desinformado em um clique se torna autoridade em um assunto no qual é extremo ignorante! Mais ignorantes ainda são os desprovidos de raciocínio crítico, manipulados facilmente por qualquer pseudo-intelectual!

      Excluir
    4. Anônimo2:58 PM

      Cara, vc tem transtorno bipolar? Suas convicções são muito intensas e grandiosas para quem não entende evidentemente nada de medicina. Mas tudo bem, se um dia vc tiver esposa( o que deve ser muito dificil se tratando de um barbudo, mal vestido, fumante e barrigudo) espero que façam parto normal, mesmo ela implorando por cesareana. Vc sabe quanto ganha um médico por um parto no sus? Se soubesse saberia que não é vantagem nenhuma para ele indicar esse tipo de conduta.

      Excluir
    5. Anônimo2:59 PM

      Parceiro,
      esta atitude PTista, assim como todas as outras, só esta tapando buraco e não resolvendo a causa deles!
      O PROBLEMA DO BRASIL NÃO É FALTA DE MÉDICOS E SIM A MÁ DISTRIBUIÇÃO DELES!
      O mesmo acontece com as bolsas sei la o que, que incentivam os preguiçosos a continuarem a depender dos outros.
      Precisamos resolver a causa do problema e não jogar esconder de baixo do tapete. (POR FAVOR, ENTENDAM ISTO)
      Mas como estas atitudes estupidas dão VOTO em uma população ingenua a coisa continua.

      Excluir
    6. Anônimo12:41 AM

      Estou abismada ao ler tamanho disparate!!!! Meu caro, certamente nem de medicina veterinária vc entende, do contrário não daria um tiro no pé ao mencionar a questão da biossegurança, tendo em vista que a maior parte das clínicas veterinárias se assemelha a um açougue a céu aberto. E digo com propriedade, por ter animais e ter uma dificuldade imensa em encontrar em uma capital um local apropriado para cuidar dos meus bichos com a dignidade que eles merecem. Portanto não mencione jaleco, roupas, assepsia, pois certamente são termos que muitos dos seus colegas desconhecem. Além de ser uma justificativa imbecil para um assunto tão relevante.
      Outra coisa, não fale de tabelas de honorários que vc desconhece, pois se a questão fosse meramente financeira, seria muito mais lucrativo para o médico trabalhar no interior, onde existem cidades que pagam de 20 a 40 mil reais e fazer uma medicina meia boca devido à escassez de recursos.
      Certamente a falta de recursos não lhe trará malefícios, afinal, não se pode esperar muita coisa de um indivíduo que em pleno século XXI defende uma medicina medieval ao criticar inclusive o uso de exames no auxílio diagnóstico.
      E por último, não fale de partos "humanizados" e cesarianas pois em primeiro lugar homem e principalmente, homem não médico, não entende b@#&¨$ nenhuma desse assunto. O útero e a vagina não são seus, portanto, essa é uma decisão paciente-médico. Paciente nenhuma é obrigada a ser submetida a uma cesárea se não quiser. E, mais uma vez voltando ao quesito financeiro, vc por acaso sabe quanto é pago por uma cesárea no SUS para achar assim um excelente meio de ganhar dinheiro fácil?
      Por favor, quando não se conhece o assunto do qual deseja falar é melhor ficar calado ou no mínimo estudar à respeito do assunto.

      Excluir
  9. Anônimo11:43 PM

    Parabéns, ótimo texto.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Você é muito bom com as palavras, e as usou de um modo que deturpa a verdade, e objetivos da nota do CFM, entao vc juntou tudo e ESCREVEU UM MONTE DE MERDA! O CFM quer manter a saúde no Brasil...
    Médicos cubanos podem ser bons médicos, mas ainda não operam milagres, e com a estrutura que eles vão encontrar no interior desse país, pouco importa o numero de emigrantes.
    A CULPA DA SAÚDE RUIM NO BRASIL NÃO ESTA NOS MEDICOS, ESTÁ NOS POLÍTICOS ELEITOS POR NÓS, pense melhor, e veja quem está ao lado da população, E DA PROXIMA VEZ, COLOQUE NOTAS INTEIRAS, PARA TRAZER A VERDADE COMPLETA AO SEUS LEITORES

    ResponderExcluir
  14. Clap, clap, clap!
    Seja onde seja, os médicos cubanos são ovacionados pelo seu comprometimento com a vida.
    Enquanto Anônimos como o que fez o infeliz comentário acima, perde tempo com balelas, vidas humanas são salvas em cada cantinho do nosso planeta por um médico cubano.
    Enquanto isso no Brasil, pessoas morrem pela falta de médicos, outros tentam desmerecer uma categória de profissionais mundialmente reconhecidos pela sua excelência, privando quem tanto necessita de ditos profissionais.
    "Revalida", prova de 110 perguntas distribuidas em 28 páginas com letras tamanho 12 na escala do word da microsoft. Tudo isso para fazer em pouco mais de 4 horas, pq 45 minutos aprx serão destinados ao preenchimento do gabarito.
    Pergunto: Será isso justo, será isso didático e honesto com esses profissionais e sobretudo com que precisa da assistência deles?
    Além disso algumas universidades federais fazem provas de revalidação nos mesmos níveis de dificuldades do Revalida. E para isso cobram montantes que flutuam até 1.600 reais. Parece que a árvore de onde extrairam a celulose veio de um outro planeta, pq fazer uma prova de 20 e poucas páginas pagando 1.600 reais, tambem não me parece justo. Detalhe que se inscrevem em média 1000 médicos com diplomas de universidades extrangeiras para essas provas. O que nos leva a uma cifra milionária. Estamos falando de universidades públicas que ganham milhões com essa situação. E não aprovam esses profissionais por puro interesse financeiro, pois os mesmos voltaram a essa mesma instituição deixando milhões nos cofres das mesmas.
    Pra finalizar queria saber de todos críticos, anônimos ou não se só existe médicos de qualidade no Brasil, o país da corrupção, onde muitos fraudam vestibulares e qualquer obstáculo que se coloque a frente de suas formaturas. Um país onde o sistema de saúde tá na UTI e que não pode criticar os outros. Como podem tentar desmerecer os colegas cubanos?
    Baseado em que dado oficial o sr. anônimo pode propor que nós brasileiros devemos curvar-nos a insolência, a discriminação e a incultura de certos médicos do CFM e etc, que nunca pisaram numa periferia e que brigam por uma causa já perdida por eles?
    Assim que "Viva" a nossa brilhante presidenta e um "viva" mais forte ainda pra esses profissionais que vem ensinar o que é medicina sem fins lucrativos e o que humanismo, princípio que não pode faltar a um médico e que tá em extinção nos nossos.

    P.S.
    Aclaro pro sr. Fezes, digo Ferfsg, que em primeiro lugar existem modos mais educados de se expressar. E que se a família, nem a escola o educaram não serei eu quem o fará. E que mais importante que meias verdades ou verdades completas está o respeito aos dignissímos leitores. Assim que revisse bem seus princípios e faça um logon válido no site para indentificar-se e use modos de pessoas civilizadas para expor suas ideas, ainda que não concordemos uns com os outros, devemos respeito mútuo e para com os demais pq isso também é uma forma de mostrar respeitos aos caros leitores e colegas de blogs. Te deixo um abraço fraterno e que passes bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta merda que voce falou... Da para ver que voce nao sabe nada de saude quanto mais de saude PUBLICA. Voce Pseudo-eesquerdista vera o seu mundo ruir assim como eu Ex-Esquerda. Pois no Brasil nao existe mais esse "lado". Voce esta alienado meu caro como muitos deste pais. Esse é o verdadeiro objetivo dessa Pseudo-esquerda que esta nos governando

      Excluir
    2. Caro colega Nelson,

      O que nós, estudantes de medicina e médicos queremos, não é denegrir a imagem dos médicos formados em Cuba, pois sabemos que eles são bem formados. O que queremos é que façam a prova de Revalidação de Diploma, para poderem trabalhar no nosso país. Não julgo a qualificação da formação deles, como sei também que aqui no Brasil são formados médicos incompetentes, infelizmente. O que não queremos é que, ao se abrir as portas para os bons médicos, aqueles que foram fazer medicina em outro país por que é mais barato e não tem vestibular, fazem o curso de qualquer maneira, venham por em risco a vida de vários cidadãos. Além do mais, o Brasil tem o dobro de médicos recomendado pela OMS, o que falta é uma política de melhoria da qualidade dos centros de saúde (ESF's, Hospitais), nas cidades do interior, e nas periferias, pois locais como esse não tem a mínima estrutura para abrigar o médico que form, formado onde for. Devemos ter em mente que precisamos de uma estrutura básica para trabalhar, e não um quarto de uma casa qualquer, em que nem mesmo uma gaze, ou pedidos de exames simples demoram meses para serem feitos. Isso não é culpa do médico que "pede exames", pois todos os médicos, de todos os lugares também pedem esses exames, a diferença é que em Cuba, esses exames são feitos, lá tem um lugar digno para trabalhar, com o material necessário para exercer a medicina, coisa que não acontece no Brasil, e o Governo não quer fazer nada para melhorar, pois é mais barato pagar 8 mil para os médicos estrangeiros, do que fazer uma reforma grande no interior do país, melhorar as condições de trabalho e pagar um salário justo para os médicos, pois todas as profissões tem sua regulamentação e uma carreira no estado, menos o médico, nos deixando a mercê das clínicas particulares e convênios (planos de saúde), que, diga-se por passagem, pagam valores ínfimos para a nossa profissão. Por isso, creio que a medida de importar 6 mil médicos cubanos não é uma medida que dê resultado a longo prazo, pois esses mesmos médicos não trabalharam por muito tempo em um lugar que sequer tem uma gaze para fazermos um curativo de um paciente que cortou o pé ou a mão brincando.

      Iomar Mendel.

      Excluir
    3. Anônimo3:09 PM

      Não defeque pela boca. A medicina Cubana já foi sim muito boa, não é mais. Se eles até hoje tem carros dos anos 60, imagina um aparelho de ressonância. Já era, a época de medicina preventiva passou. A medicina atual é baseada em evidencia e exames de alto custo. Ninguém quer correr o risco de ser processado por não ter um exame à disposição lá na pqp do Brasil. Chamar Cubanos só vai piorar a situação do coitado do pobre, que mal fala portugues direito e vai ter que aprender portunhol. Faz um favor amigo. Acessa o pubmed, http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed, a base de dados do medline onde estão arquivadas as publicações em medicina. Veja lá quantas são cubanas, daí vc vai ver como eles são bons. Tomara que venham os Cubanso, tomara que te atendam, estou rezando pra que isso aconteça. Vc vai estar com febre, eles vão fazer um exame meia boca, aferir pressão, temperatura, olhar a garganta, enfim, essas coisas que o cidadão comum valoriza. Vai dizer que é um resfriado. 3 meses depois vc descobre que tem linfoma. Lá garantia soy jo

      Excluir
    4. Anônimo4:44 PM

      PARA NELSON DA CUNHA

      "Assim que "Viva" a nossa brilhante presidenta e um "viva" mais forte ainda pra esses profissionais que vem ensinar o que é medicina sem fins lucrativos e o que humanismo, princípio que não pode faltar a um médico e que tá em extinção nos nossos."
      O Q VC QUER DIZER COM ISSO - DEVEMOS TRABALHAR DE GRAÇA? VOCÊ TRABALHA DE GRAÇA? O Q VC FAZ DA VIDA?

      LEONARDO

      Excluir
    5. Anônimo6:39 PM

      Querido, entre em um faculdade de medicina e faça pelo menos até o segundo ano e aí me diga se nunca pisamos em uma periferia.

      Excluir
    6. Anônimo6:43 PM

      Acho que todos os jornalistas que escrevem sobre isso não tenham nem diploma, porque ser jornalista ou publicitário formado em faculdade é a mesma coisa que formado na faculdade da vida. Talvez vcs que são tão justos estajam querendo que nossa carreira se transforme como o de muitos jornalistas com diploma enfiado em algum lugar....

      Excluir
    7. Anônimo12:55 AM

      Nelson, não é questão de desmerecer os médicos cubanos, a questão é que eles devem SIM ser avaliados para terem o direito a exercer a medicina no Brasil. Da mesma forma, qualquer indivíduo de qualquer nacionalidade, é obrigado a passar por processos rigorosos de seleção para atuar em qualquer país. Já lhe informaram (já que as informações das quais vc possui são de orelhada, e não de ler a respeito) o nível de seleção dos EUA para médicos estrangeiros possam atuar lá?
      Não é abrindo a porteira sem seleção alguma que irá mudar a realidade da saúde do país. Sendo esses profissionais qualificados, não há dúvidas de que conseguirão a aprovação no Revalida. Veja o nível das provas e, se entender de medicina, saberá que só é cobrado o básico do básico.
      Agora, por favor, me dizer que está puxado e é injusto responder a 110 questões em pouco mais de 4 horas é motivo de piada. Vc já ouviu falar de vestibular? De concurso público? Quem vc acha que são as pessoas que conseguem passar no vestibular? Não basta saber as matérias, é preciso saber administrar o tempo de execução de uma prova.
      Por último, não seja injusto ao dizer que apenas os cubanos são humanistas e comprometidos com a vida. Isso é absurdo! Não é porque um médico defende melhorias salariais e de condições de trabalho que é mercenário. Se os pobres coitados dos cubanos tivessem acesso aos bens de consumo do mundo moderno e ao mínimo de condições sociais que têm direito, certamente defenderiam melhorias na medicina assim como nós defendemos.
      Uma lástima que eles não podem defender aquilo que desconhecem, por viverem em completo isolamento político-social.

      Excluir
    8. Para LEONARDO e demais colegas.
      Sou médico e entendo a tua, a minha, a nossa luta. Não entendo o preconceito, a descriminação, a prepotência e a xenofobia. Venha de onde venha. Tão tratando o tema como uma espécie de palanque de campanha. A questão não é política e sim social. E nada melhor pra mudar a nossa sociedade, a nossa realidade, que novas idéias, novas discursões algo que não estaria acontecendo, se não fosse pela vinda desses médicos. Eles chegam pra somar como mão de obra. Além disso teremos o tema em evidência e isso que tá acontecendo aqui não é novo. Já acontece na Argentina, no Uruguai, no Paraguai, no Chile, no México, nos EUA tem suas restriçoes, mas toda Europa, Ásia e África estam repletos de equipes de médicos de ponta, formados em Cuba. Cubanos que só chegaram para somar. Aconselho a todos baixar a guarda pq isso é uma tendência mundial e o Brasil não ta fora do planeta e não é melhor que ninguém. Muito pelo contrário deveriamos está felizes. Pq? Em breve todos veram, pq eles vem pra ficar, e depois deles viram dezenas de milhares mais, e isso de saber a qualidade desses médicos é algo a ser bem debatido, pq a forma que temos hj em dia, não dá. Afinal, o Brasil não inventou a médicina, o Brasil não é melhor que ninguem formando médicos, nem outros profissionais, exceto jogadores de futebol, e olhe lá! Não podemos fechar as portas pros médicos extranjeiros, cubanos ou não, devemos ter uma prova de proficiência pra médicos, assim como temos pra advogados. Aí, quero ver se vamos ter médicos nos hospitais. Sabem pq? Vejam o último provão feito pelo CREMESP com mais da metade dos formandos reprovando. E olha! Que estamos falando de São Paulo. Quantos deixaram de receber o diploma? Nenhum! Todos se graduaram, mesmo reprovando. Pra olha jogar pedra no telhado dos outros temos que blindar o nosso que é de vidro bem fininho do tipo sujo, digo SUS!

      Excluir
  15. vera vassouras7:33 AM

    Caríssimo Porfírio, o interessante é que os médicos brasileiros reprovados nos supostos exames de competência, não ficam proibidos de exercer a profissão, ou seja, a corporação permite o direito de errar aos nacionais, exclusivamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:48 PM

      vera eu acredito que vc esteja enganada, eles trabalham sob mandado judicial e não com autorização do CFM!

      Leonardo

      Excluir
  16. Caro jornalista.
    Como achei interessante sua análise, repassei o texto acima para vários amigos, destacando a fonte e com a ressalva de que não chequei nenhum número, nenhuma informação. Abs.

    ResponderExcluir
  17. Brilhante estratégia essa de mostrar cara a cara, na prática, dois conceitos de saúde pública: o capitalista e o socialista.

    E revelar a diferença entre o preço e o valor da saúde pública para um e outro, respectivamente.

    É isso que provoca essa reação corporativista.

    Até agora era possível culpar o SUS e o preço pago pelos serviços para não atender a saúde pública que fica longe demais das capitais.

    Os médicos cubanos vêm fazer o que os médicos brasileiros, ao que parece, não foram educados para fazer, não têm interesse em fazer e não estão dispostos a fazer: cuidar da saúde pública em todo o país de todos.

    Para os "doutores" brasileiros tudo é uma questão de preço.

    Para os cubanos, de valor.

    O valor da saúde pública para a sociedade brasileira não tem preço.

    Para o Conselho Federal de Medicina o preço da saúde pública da população brasileira é o seu valor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é uma questão de valor ou preço da saúde, mas de viver em um país Capitalista ou Socialista.
      Você, provavelmente tem seu emprego e recebe por suas horas de trabalho, e no final do mês pode comprar sua feira para alimentar sua família.
      Um médico também tem família, também precisa alimentar seus filhos. A Diferença entre os médicos brasileiros e os cubanos é simples: lá o estado sustenta tudo, aqui o nosso estado não sustenta nada.
      Num país socialista, o salário no final do mês não faz diferença, pois sabemos que o "nosso governo" nos dará tudo o que precisamos para poder viver, já num país capitalista, nós temos que receber o nosso salário, fruto do nosso trabalho, para podermos comprar as coisas que nos são vendidas. Agora te pergunto: porque um advogado ou um engenheiro tem direito de trabalhar em um local bom, e receber seu salário razoável no final do mês, e nós médicos e futuros médicos temos que viver no sacerdócio, sem receber nada, e trabalhar em locais inóspitos? Como iremos sustentar nossas famílias? Como daremos comida para os nossos filhos? Porquê o médico tem que se ver como uma criatura isenta de qualquer "ato capitalista", mesmo vivendo em uma sociedade que nos obriga a ser capitalistas?

      Excluir
    2. Anônimo2:47 PM

      Então, Eduardo, vc acha que os médicos cubanos vem pra cá pq eles estão preocupados com a saúde pública do Brasil? Vc acha q pra eles é uma questão de valor e não de preço?
      O médico em Cuba ganha um salário medíocre e vc acha q eles estão querendo vir pra cá pra promover a saúde então? Não pelo salário que ele irá receber?
      Acorda amigo... Vc com certeza não trabalha na área da saúde pra falar tanta besteira.
      Está faltando engenheiros qualificados, enfermeiros, cientistas... que tal importar todos eles??

      Excluir
    3. Anônimo não existe. Como é possível alguém acreditar que argumenta quando se esconde atrás do anonimato? Mostre a cara e eu até posso pensar nas besteiras desinformadas e anônimas postadas.

      Excluir
    4. Mendel Júnior, nem sacerdócio nem mercantilismo. Apenas médicos por vocação, não por status quo. Foi o que quis dizer. Defendi a estratégia do governo de preencher os espaços vazios deixados na saúde pública por opção da classe médica nacional, com os médicos cubanos. E fiz um comparativo entre a omissão da categoria com as regiões mais distantes dos grandes centros urbanos e a disposição dos cubanos com as regiões mais distantes do mundo. Respeito a classe médica, mas nem por isso fecho os olhos para suas mazelas.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. A propósito, Mendel, estamos falando da reação do Conselho Federal de Medicina. Não da posição dos médicos que fizeram o juramento de Hipócrates (não de hipócritas). Como acredito seja o teu caso.

      Excluir
    7. Anônimo5:23 PM

      Vai ter fila de médico cubano querendo vir para o Brasil e sair do suvaco da ditadura Castrista!!! Tão bonzinhos!!!

      Excluir
    8. Anônimo1:14 AM

      Espero profundamente que o senhor seja atendido no interior do Pará ou do Recôncavo Bahiano por algum médico cubano ou de qualquer nacionalidade que seja, em um hospital (se é que pode-se chamar aquilo de hospitais) sem estrutura alguma, para poder vivenciar esse milagre que está esperando.
      É lamentável que um senhor já vivido possua um senso crítico tão limitado e diga tanta besteira. Por algum acaso o senhor acredita realmente que os cubanos vêm para salvar o Brasil? Sair de Cuba para qualquer lugar que seja é ascensão social! Qualquer local com os mínimos recursos possíveis já é melhor do que ser prisioneiro em seu próprio país.
      Para afirmar com tamanha veemência que o SUS é um sistema brilhante e que a culpa é dos médicos o senhor certamente tem o respaldo de um bom plano de saúde, já que jamais deve ter colocado seus pés em um hospital público.
      Por último, leia o juramento de Hipócrates pois se trata de um texto COMPLETAMENTE desconhecido da sua parte.

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    11. Quanto e de quem o doutor "Anônimo" ganha por cada "participação" na defesa do mercenarismo na saúde pública brasileira, na qual boa parte dos médicos usam o espaço público como mercado negro para captar clientes para seus consultórios particulares sem que essa ética seja questionada?

      A classe médica brasileira não tem interesse no desenvolvimento da saúde preventiva porque isso acabaria com essa reserva de mercado: os doentes, as doenças, os laboratórios e suas drogas que curam sem matar as doenças.

      O Brasil não precisa ser salvo por ninguém. Os cubanos só vêm para fazer o que os médicos brasileiros não fazem.

      Quanto ao texto desconhecido:

      JURAMENTO DE HIPÓCRATES (Parte 1)

      Em uma pequena ilha do mar Egeu, na Grécia, próximo ao litoral da Asia Menor – a ilha de Kós - floresceu no século V a.C. uma escola médica destinada a mudar os rumos da medicina, sob a inspiração de um personagem que se tornaria, desde então, o paradigma de todos os médicos – Hipócrates.

      A escola hipocrática separou a medicina da religião e da magia; afastou as crenças em causas sobrenaturais das doenças e fundou os alicerces da medicina racional e científica. Ao lado disso, deu um sentido de dignidade à profissão médica, estabelecendo as normas éticas de conduta que devem nortear a vida do médico, tanto no exercício profissional, como fora dele.

      Na coleção de 72 livros contemporâneos da escola hipocrática, conhecida como Corpus hippocraticum, há sete livros que tratam exclusivamente da ética médica. São eles: Juramento, Da lei, Da Arte, Da Antiga Medicina, Da conduta honrada, Dos preceitos, Do médico.

      Sobressai dentre eles o Juramento, a ser proferido por todos aqueles considerados aptos a exercer a medicina, no momento em que são aceitos como tal pelos seus pares e admitidos como novos membros da classe médica. O juramento hipocrático é considerado um patrimônio da humanidade por seu elevado sentido moral e, durante séculos, tem sido repetido como um compromisso solene dos médicos, ao ingressarem na profissão.

      Textos manuscritos preservados

      O texto do Juramento de Hipócrates que hoje se encontra em vários idiomas resultou de traduções oriundas de antigos e raros manuscritos. Embora sem comprovação, aceita-se que os citados manuscritos reproduzem o texto original de quando o mesmo foi escrito. Os mais antigos manuscritos conhecidos, segundo Bernardes de Oliveira, são:

      "O manuscrito Urbinas Graecus 64 da Biblioteca Apostólica Vaticana". "Está localizado entre os séculos X e XI. Suas palavras iniciais esclarecem: ‘Texto do Juramento Hipocrático que pode ser jurado pelos cristãos’. O interessante documento é escrito em forma de cruz para bem marcar o patrocínio religioso". "Inicia-se com a saudação laudatória habitual: ‘Bendito seja Deus, o Pai de Nossso Senhor Jesus Cristo; para sempre bendito seja...’ Sua redação acompanha o texto clássico com algumas variantes e alterações das quais a principal é a omissão da cláusula referente à operação da calculose".

      "O segundo, por ordem de antigüidade, é o manuscrito Marcianus Venetus Z 269, do século XI, pertencente à Biblioteca de S. Marcos de Veneza. O juramento aí se acha como sendo o texto original. Inicia-se com a invocação dos deuses da mitologia grega, consoante sua origem pagã".

      "Manuscrito do século XII da Biblioteca Apostólica Vaticana: Vaticanus Graecus 276, follio 1 recto.
      "Manuscrito do século XII da Biblioteca Nacional de Paris."

      O último manuscrito citado encerra a versão pagã, com a invocação inicial dos deuses da mitologia grega e corresponde ao texto mais difundido atualmente.

      Excluir
    12. JURAMENTO DE HIPÓCRATES (Parte 2)

      Os demais manuscritos conhecidos do juramento de Hipócrates são todos dos séculos XIV e XV. Embora sejam equivalentes, verificam-se mínimas diferenças de redação.

      Há atualmente na ilha de Kós uma fundação, a Fundação Hipocrática Internacional de Kós, que é, ao mesmo tempo, Museu e Centro de Pesquisas sobre a medicina hipocrática. Nesta Fundação preserva-se um texto idêntico ao que se encontra no livro Ancient Medicine, de Edelstein, que, por sua vez, o transcreveu da obra Corpus Medicorum Graecorum, ed. Heiberg, 1927.

      Em português há várias traduções, a maioria baseada nos textos clássicos em inglês ou francês, e outras feitas diretamente do texto grego, hoje facilmente acessível em reproduções impressas.

      Transcrevemos, a seguir, a tradução em português de Bernardes de Oliveira, autor do livro A evolução da medicina até o seculo XIX, baseada no texto inglês de Jones.

      Juramento de Hipócrates

      "Juro por Apolo Médico, por Esculápio, por Higéia, por Panacéia e por todos os deuses e deusas, tomando-os como testemunhas, obedecer, de acordo com meus conhecimentos e meu critério, este juramento: Considerar meu mestre nesta arte igual aos meus pais, fazê-lo participar dos meios de subsistência que dispuser, e, quando necessitado com ele dividir os meus recursos; considerar seus descendentes iguais aos meus irmãos; ensinar-lhes esta arte se desejarem aprender, sem honorários nem contratos; transmitir preceitos, instruções orais e todos outros ensinamentos aos meus filhos, aos filhos do meu mestre e aos discípulos que se comprometerem e jurarem obedecer a Lei dos Médicos, porém, a mais ninguém. Aplicar os tratamentos para ajudar os doentes conforme minha habilidade e minha capacidade, e jamais usá-los para causar dano ou malefício. Não dar veneno a ninguém, embora solicitado a assim fazer, nem aconselhar tal procedimento. Da mesma maneira não aplicar pessário em mulher para provocar aborto. Em pureza e santidade guardar minha vida e minha arte. Não usar da faca nos doentes com cálculos, mas ceder o lugar aos nisso habilitados. Nas casas em que ingressar apenas socorrer o doente, resguardando-me de fazer qualquer mal intencional, especialmente ato sexual com mulher ou homem, escravo ou livre. Não relatar o que no exercício do meu mister ou fora dele no convívio social eu veja ou ouça e que não deva ser divulgado, mas considerar tais coisas como segredos sagrados. Então, se eu mantiver este juramento e não o quebrar, possa desfrutar honrarias na minha vida e na minha arte, entre todos os homens e por todo o tempo; porém, se transigir e cair em perjúrio, aconteça-me o contrário".

      Em todos os idiomas, as traduções oferecidas diferem entre si em alguns aspectos relativos à linguagem empregada, embora mantenham todas o núcleo central dos preceitos que compõem o juramento.

      Analisando-se o teor de várias traduções, verificamos que as diferenças existentes entre elas se encontram principalmente em algumas passagens e no significado de determinadas palavras gregas, que não encontram equivalentes em outros idiomas ou, o que é mais comum, na sua polissemia, que permite um leque de opções na língua de chegada.

      Selecionamos dez das mais acreditadas versões em português, sendo oito do Brasil e duas de Portugal para um estudo comparativo de como aquelas palavras foram traduzidas. As versões utilizadas foram as seguintes:

      Formas resumidas do juramento

      Textos abreviados do juramento têm sido utilizados em diferentes países e idiomas, tendo em vista a extensão do texto original para leitura durante uma solenidade festiva como a da conclusão do curso médico.

      Excluir
    13. JURAMENTO DE HIPÓCRATES (Parte 3)

      No Brasil, a maioria das Faculdades utilizam um modelo simplificado, tradução de um texto latino que, segundo o Prof. Edmundo Vasconcelos, chegou a ser usado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A tradução vernácula desse texto é do seguinte teor:

      "Prometo que ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu, para sempre, a minha vida e a minha arte, com boa reputação entre os homens. Se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário."

      Uma variante desse texto tem livre curso em nossas Faculdades e é encontrado nos convites de formatura. Difere do primeiro em um pequeno detalhe de redação, que, entretanto, modifica inteiramente o sentido da frase. Está assim redigido:

      "Prometo que ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, os quais terei como preceito de honra. Nunca me servirei da profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu, para sempre, a minha vida e a minha arte, com boa reputação entre os homens. Se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário."

      Comparando-se as duas versões, vê-se que a única diferença consiste na substituição, no segundo parágrafo, da locução pronominal o que pela locução os quais.

      Na primeira versão, o que refere-se ao enunciado na frase anterior, ou seja, expressa a intenção do médico de guardar sigilo em relação aos "segredos que me forem revelados."

      Na segunda versão, a locução pronominal os quais, no plural, tem como antecedente "os segredos que me forem revelados". Ora, não faz o menor sentido fazer "dos segredos que me forem revelados" "preceito de honra." É fora de dúvida que esta construção está gramaticalmente incorreta e deve ser abandonada em favor da primeira.

      O juramento de Hipócrates nas escolas médicas brasileiras

      No sentido de verificar como se situa na atualidade o juramento de Hipócrates em nosso País, realizamos uma pesquisa junto às escolas médicas brasileiras, solicitando que nos fornecesse o texto utilizado na solenidade de formatura do curso médico.

      Enviamos uma carta-circular, em nome da Sociedade Brasileira de História da Medicina, a 82 Faculdades e recebemos resposta de 41. Destas, três não especificaram o texto em uso, razão pela qual serão incluídas nesta análise somente 38 Faculdades.

      O resultado desta pesquisa evidenciou que apenas três das 38 usam o juramento por extenso em sua forma original e que a maioria utiliza o modelo simplificado de uso corrente, conforme o quadro abaixo.

      Excluir
    14. JURAMENTO DE HIPÓCRATES (Parte 4)

      "Atualização" do juramento de Hipócrates

      No século XX, o progresso científico e o avanço tecnológico da medicina, aliados à evolução do pensamento e dos costumes, trouxeram novos conceitos e novos aspectos relativos à ética médica e a validade do juramento de Hipócrates passou a ser questionada, se não em seu significado simbólico, pelo menos em seu conteúdo. Surgiram, então, numerosas propostas no sentido de "atualizar" ou "modernizar" o texto do juramento. Esta tendência se acentuou nos últimos anos.

      As alterações sugeridas visam, principalmente, a compatibilizá-lo com a Bioética e adaptá-lo à problemática decorrente da prática médica atual, com o objetivo de evitar a conivência dos médicos com as falhas dos atuais sistemas de saúde, sempre que houver prejuízo para os doentes, e com os interesses financeiros da indústria farmacêutica e de equipamentos médicos, que procuram influenciar a conduta do médico.

      As modificações introduzidas contemplam a autonomia do paciente, justiça social e mercantilização da medicina; afrouxam as obrigações dos discípulos para com seus mestres; substituem a proibição por regulamentação do aborto, e suprimem o item referente à operação de calculose vesical.

      Deixando de lado as inúmeras propostas de caráter pessoal, listamos apenas aquelas oriundas de entidades de maior representatividade. As principais foram:

      1. Declaração de Genebra da Associação Médica Mundial - 1948
      2. Texto de Brighton, U.S.A. - 1995
      3. Texto do Código de Deontologia Médica da França - 1995
      4. British Medical Association - 1997
      5. Carta do profissionalismo médico – 2002

      A Declaração de Genebra, a mais antiga e conhecida de todas, tem sido utilizada em vários países na solenidade de recepção aos novos médicos inscritos na respectiva Ordem ou Conselho de Médicina. A versão clássica em língua portuguesa tem a seguinte redação:

      "Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. Faço estas promessas, solene e livremente, pela minha própria honra."

      Em 1994, a Assembléia Geral da Associação Médica Mundial modificou ligeiramente o texto. Sua versão em português ficou com a seguinte redação:

      "No momento de me tornar um profissional médico: Prometo solenemente dedicar a minha vida a serviço da Humanidade. Darei aos meus mestres o respeito e o reconhecimento que lhes são devidos. Exercerei a minha arte com consciência e dignidade. A saúde do meu paciente será minha primeira preocupação. Mesmo após a morte do pacienter, respeitarei os segredos que a mim foram confiados. Manterei, por todos os meios ao meu alcance, a honra da profissão médica. Os meus colegas serão meus irmãos. Não deixarei de exercer meu dever de tratar o paciente em função de idade, doença, deficiência, crença religiosa, origem étnica, sexo, nacionalidade, filiação político-partidária, raça, orientação sexual, condições sociais ou econômicas. Terei respeito absoluto pela vida humana e jamais farei uso dos meus conhecimentos médicos contra as leis da Humanidade.
      Faço essas promessas solenemente, livremente e sob a minha honra."

      Excluir
    15. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    16. JURAMENTO DE HIPÓCRATES (Parte 5)

      Em 1994, a Assembléia Geral da Associação Médica Mundial modificou ligeiramente o texto. Sua versão em português ficou com a seguinte redação:

      "No momento de me tornar um profissional médico: Prometo solenemente dedicar a minha vida a serviço da Humanidade. Darei aos meus mestres o respeito e o reconhecimento que lhes são devidos. Exercerei a minha arte com consciência e dignidade. A saúde do meu paciente será minha primeira preocupação. Mesmo após a morte do pacienter, respeitarei os segredos que a mim foram confiados. Manterei, por todos os meios ao meu alcance, a honra da profissão médica. Os meus colegas serão meus irmãos. Não deixarei de exercer meu dever de tratar o paciente em função de idade, doença, deficiência, crença religiosa, origem étnica, sexo, nacionalidade, filiação político-partidária, raça, orientação sexual, condições sociais ou econômicas. Terei respeito absoluto pela vida humana e jamais farei uso dos meus conhecimentos médicos contra as leis da Humanidade.
      Faço essas promessas solenemente, livremente e sob a minha honra."

      O texto de Brighton foi elaborado por um grupo de 35 eticistas, médicos e não-médicos, reunidos em Brigton, EE.UU., em 1995.

      O texto do Código de Deontologia Médica da França foi estabelecido em lei pelo Decreto n. 95-1000, artigo 109, de 6 de setembro de 1995.

      O texto proposto pela British Medical Association em 1997 dá ênfase à autonomia do paciente, admite o aborto, desde que permitido em lei e praticado dentro de princípios éticos, e inclui o consentimento esclarecido do paciente para a sua participação em qualquer investigação científica.

      O último documento citado, a Carta do Profissionalismo Médico, não se destina a substituir o juramento de Hipócrates; é, antes, um verdadeiro código de conduta do médico. Foi elaborado em conjunto por diversas instituições médicas norte-americanas e a Federação Européia de Medicina Interna, tendo sido divulgado em fevereiro de 2002 simultaneamente nas revistas Lancet e Annals of Internal Medicine.[16] Compõe-se de três Princípios e dez Compromissos, que se acham resumidos nos items abaixo:

      PRINCÍPIOS

      1 Prioridade ao bem-estar do paciente
      2 Autonomia do paciente
      3 Justiça social

      COMPROMISSOS

      1. Competência profissional
      2. Sinceridade com os pacientes
      3. Sigilo profissional
      4. Apropriado relacionamento com os pacientes
      5. Qualidade do atendimento
      6. Facilidade de acesso aos cuidados médicos
      7. Distribuição justa de recursos financeiros alocados à saúde
      8. Atualização científica
      9. Integridade nos conflitos de interesse
      10. Responsabilidade profissional

      A pergunta que se impõe é: deve o juramento de Hipócrates ser modificado ou substituído por outro documento?

      Em 1984 foi feita uma pesquisa na classe médica brasileira, por amostragem, sobre se o juramento de Hipócrates deveria ou não ser modificado.

      O resultado foi o seguinte:

      Deve permanecer inalterado: 80 %;
      Deve ser modificado: 15 %;
      Deve ser ignorado: 5 %.

      Também pensamos como a maioria. Julgamos que o juramento de Hipócrates não deve ser "atualizado", nem "modernizado", e sim complementado por outros instrumentos hábeis, como Declarações, Regulamentos e Códigos de Deontologia Médica.

      Vimos que atualmente usa-se de preferência uma versão simplificada do juramento que não desce a normas específicas, porém mantém, em linhas gerais, o espírito que presidiu a sua criação e os fundamentos da ética médica, o que o torna válido em qualquer época. Atualizá-lo seria violentá-lo.

      O juramento de Hipócrates é uma obra de arte e sabedoria, só comparável às mais altas criações da espírito humano e, por isso mesmo, deve ser considerado patrimônio da humanidade e permanecer intocável, como um marco na história da medicina.

      Excluir
    17. Sr. Eduardo Martinez, o Sr fala de "Medicina Socialista" o qual é preservada pelos médicos cubanos mas baseado em que? Achismo? Pois vamos lá. Conheço médicos formados em Cuba e todos (TODOS) que conseguiram a revalidação não conseguiram passar ainda em uma residência e estão no interior ganhando pequenas fortunas e eles mesmo falam q não tem nenhuma estrutura por lá e que qd recebem casos graves oq podem fazer é encaminhar pra um grande Hospital... Aí quero saber, onde está a prática médica socialista/preventiva?

      Excluir
  18. No país capitalista, o mais importande é o preço e não o valor.
    Os planos de saúde são máquinas de fazer dinheiro, comandadas por médicos que exploram a sociedade brasileira, inclusive exploram os colegas médicos recem-formados e com menos poder econômico. Exploram também e muito, outros profissionais da saúde.
    Se a classe médica brasileira tivesse uma maior formação humanista e alguma visão ou sentimento socialista, não teia admitido a implatação de planos de saúde no nosso país. Os planos de saúde no Brasil é mais adequado chamá-los de planos de doenças e máquinas de enriquecimento de empresários da saúde e da doença. Os principais responsáveis pela situação ruim de saúde em que vivem os brasileiros e as brasileiras, é a classe médica e o governo, este em menor grau.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:28 AM

      O governo em menor grau? Que governo é esse que vc está vivenciando? No MEU país, BRASIL, a realidade não é essa não!!!!
      Vc tem ideia de quanto o seu médico ganha por consulta de plano de saúde? Os que pagam melhor no Brasil estão pagando de 50 a 60 reais pela consulta, com direito a retorno, ou seja, 2 consultas por 50 reais. E vc sabe quantas pessoas ele precisa atender para manter o consultório no qual vc é atendido? Vc sabe quanto custam os congressos que ele frequenta para se manter atualizado? Vc sabe quantas horas ele estudou para se formar e quanto gastou em livros?
      Se vc tiver contato com alguma mulher próxima vai saber que 50 reais não pagam o que a manicure dela está cobrando. Não pagam a depilação de um salão de beleza.
      Hoje, uma faculdade particular de medicina não sai por menos de 300 mil os 6 anos de curso e o investimento na profissão é eterno, estudos comprovaram que a expectativa de vida de médicos é de 10 anos a menos que a população geral. Vc sabe o que nós comemos e quantas horas dormimos por dia, para haver ainda pessoas ingratas como vc que acham a culpa dos males do mundo é do seu médico?
      Dê valor à pessoa que cuida da SUA saúde, que salva a SUA vida, que se dedica ao SEU bem estar! O sentimento humanístico deve ser RECÍPROCO e o respeito também!
      Vc acha que um médico que perde um paciente ou que enfrenta problemas difíceis com outros é insensível a tudo isso?
      Vc fala de coisas que não tem o MENOR conhecimento! Eu durmo preocupado com os pacientes da enfermaria, eu inclusive sonho várias vezes com exames e procedimentos. Vc sai do hospital mas o hospital não sai de vc.
      Venha viver a minha vida, assumir meus problemas, trabalhar o quanto eu trabalho para ganhar o direito de me julgar como está fazendo. Não exija humanidade sendo totalmente desumano e generalista como vc está sendo.

      Excluir
  19. Então médicos reclamões, trabalhem por menos dinheiro, lembrem-se de seus juramentos. Todos incomodados não com a vinda dos Cubanos e sim com medo de perderem os altos salários por conta da falta de médicos no país, por conta do número reduzidíssimos de faculdades. Hoje no Brasil medicina é considerada um investimento, se seu pai pode pagar você vai lá e cursa uma faculdade cara, que costuma vender vagas. Sei de faculdades particulares que durante todo o curso os exames de avaliação são de marcar um X na resposta, outras muitas que a média é 5, como pode um médico ter 50% de chance de errar um diagnóstico. Só ressaltando pra todos que estão com medo de ficar sem trabalho ou de terem seus salários diminuidos, em CUBA para ser aprovado durante o curso de medicina a média é 9, o que faz com que os médicos formados lá não tenham mais do que 10% de chance de errar um diagnóstico.
    Máfia Branca, fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigão média da usp-RP é 5... fala besteira não...

      se vc pensa que é o mesmo nível de dificuldade a prova da USP com cuba, vc não tem noção da realidade.

      Excluir
    2. Se a media é 9 então as perguntas devem ser:
      1) qual o seu nome?
      2) data de hoje?
      3) Voce é a favor ou contra o Fidel Castro? (esta pergunta vale 9 pontos)
      4) etc.

      Porque será que a "media 9" de cuba não consegue nem passar na prova de validação de diploma?? PS: 89% dos medicos cubanos nao conseguem passar na prova.

      Excluir
    3. No Brasil, em 2012, existiam 188 cursos de medicina, e você chama isso de pouco? Procure em outros países para ver o nº d faculdades médicas existentes: China tem 150 cursos (mais de 1 bilhão de habitantes), EUA tem 131 faculdades (mais de 300 milhões de habitantes). O problema não é o número de médicos, e sim o local onde eles trabalham. Se você me disser que no interior dos estados brasileiros, os hospitais e postos de saúde são realmente bem equipados para trabalhar, sinto lhe informar mas você não estava no interior do Brasil. E quando digo bem equipados não digo com tomógrafos ou aparelhos de ressonância, ou com UTI's extremamente equipadas, digo que nessas cidades, há médicos que reclamam da falta de medicamentos básicos, como um antibiótico para tratarmos pneumonias, ou gazes para fazermos curativos.
      Repito, o problema do Brasil não é o número de médicos, e sim, o lugar onde eles são submetidos a trabalhar, sem terem a mínima condição de trabalho.

      Excluir
    4. Ninguém, ao se formar numa universidade, é obrigado a trabalhar por pouco somente por objetivos humanistas, isso é ridículo, claro que todos precisamos ganhar dinheiro e salário decente para viver...após 6 anos estudando medicina e mais outro s tantos anos fazendo residencia medica(especialização), é impossível esperar que os médicos vão para o interior fazer medicina sem o mínimo de tecnologia.A tecnologia, hoje é parte integrante do diagnóstico e seria muita ingenuidade acreditar que os médiccos cubanos tem algum poder especia l para fazer diagnósticos sem o auxilio de nenhum método complementar diagnóstico.Seria a medicina que eles aprendem lá a mesma q a nossa?Será q eles têm auxilio espiritual?

      Excluir
    5. Anônimo3:55 PM

      Meu caro Indio Fidalgo, gostaria de saber se o governo do PT já criou o bolsa médico. Porque até onde se sabe a medicina é uma profissão como qualquer outra e não um sacerdócio. Médico tem contas a pagar, tem filhos na escola, tem despesas absurdas para manter um consultório e no Brasil criou-se uma cultura de que médico é única categoria profissional que não tem o direito de lutar por melhorias de condições de trabalho.
      Quem menciona o juramento de Hipócrates deveria no mínimo conhecê-lo para parar de falar besteiras. Ninguém jurou voto de pobreza, submissão a salários mal-remunerados e péssimas condições de trabalho.
      E não nos diga para trabalhar por menos porque os médicos não tem culpa de sua insatisfação com seu próprio salário. Se a classe que o representa desistiu de um pouco de dignidade, a nossa não, não seja recalcado. Todo trabalhador TEM o direito a um plano justo de carreira, não sejamos hipócritas!
      Trabalhe duro como um médico, estude anos e anos a fio, assuma a responsabilidade de um médico, viva o dia a dia de um, se submeta aos problemas que nós nos submetemos no SUS e ganhe o direito de começar a julgar a classe.
      Importar médicos de qualquer lugar que seja sem uma avaliação mínima que demonstre a aptidão dos mesmos é fazer uma medicina de péssima qualidade só para acalmar as classes desfavorecidas. Nossa justíssima presidenta na ocasião de um linfoma não se tratou em Cuba, ao contrário, correu em busca de um atendimento de ponta no Hospital Sírio Libanês, uma realidade que o próprio povo governado por ela desconhece.

      Excluir
  20. Caro Pedro,

    boa tarde.
    Parabéns pelo texto.
    Sou editor do BLOG DA REA e solicito sua autorização para publicar no site. Se vc concordar, por favor, envie o arquivo em anexo, formato Word, para antoniozai@gmail.com Penso que seu texto é uma ótimo contribuição à reflexão e merece ser divulgado o mais amplamente.

    Se vc não conhece o nosso trabalho, acesse: http://espacoacademico.wordpress.com

    Abraços e tudo de bom,

    ResponderExcluir
  21. A discussão aqui é capitalismo x socialismo?
    Quanto o médico ganha para trabalhar? Essa é a crítica? O médico deveria somente pensar no juramento e aceitar o que lhe é pago?
    Então todas as greves por melhores condições de trabalho e aumento de salário (em qualquer categoria trabalhista) são erradas? Só o médico fez juramento?
    Alguém que fala já trabalhou no interior do Brasil e verificou o estado que se encontram os postos de saúde? O que falta?
    Querem que a "elite corporativista" pare de pensar em dinheiro e trate todos por um salário menor mas ... como tratar? Verifiquem se a maioria das cidades do interior distante do país possui um mínimo de infra-estrutura para um diagnóstico de doenças. Sim, prevenção é perfeito e resolveria muitos problemas... mas e naqueles em que há alguma doença já instalada? Ou acham que tudo dá para ser diagnosticado somente com exame físico?
    Os médicos recebem pouco sim! Muitas vezes (em sua maioria) são únicos na cidade, 24hs por dia, 7 dias na semana. Sem material para trabalho (eu mesma já trabalhei em alguns postos de saúde no interior e digo : falta muita coisa - eu levava meu material para trabalhar).
    Acho válida a discussão, mas porque uma discussão entre o modo socialista e capitalista? Porque neste texto não há uma crítica ao modelo de saúde presente nessas cidades? E mais : não pensem que o médico gosta de plano de saúde e da tal tabela AMB. E qual o problema em querer trabalhar com boas condições? Receber bem pelo que trabalha? Ou todos aqui aceitam trabalhar ganhando pouco?
    A questão é : vamos revalidar diplomas. Sem hipocrisia. Sem demagogia. Você quer trabalhar em outro país, recebendo do governo e não quer que seu diploma seja devidamente reconhecido? Você quer simplesmente ser aceito?
    No Tocantins os médicos cubanos ganhavam MAIS do que os médicos brasileiros.
    O mesmo governo que quer chamar os médicos de fora para trabalhar, iniciaram as "OS" em várias cidades, terceirizando o modelo de gestão, pagando MAIS aos médicos contratados sem concurso público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio Maria Oliveira1:22 PM

      Amigo médico
      A questão é deixar os outros trabalharem. Outro leitor lembrou quem em Cuba precisa de 9 em média pra passar, aqui de 5. Acho muito engraçado: o advogado tem de fazer exame da OAB depois da faculdade. Nossos médicos, mesmo de faculdades fracas, já começam a trabalhar até como acadêmicos. Eu mesmo fui atendido num hospital público por um acadêmico, porque não havia médico. Outro leitor, Nelson, disse como é o exame de revalidação. É feito para reprovar. Pra mim, ser médico é uma vocação. Meu tio era médico, do tempo que tinha médicos caridosos. Conheço um na Santa Casa do Rio de Janeiro que tira dinheiro do bolso pros pacientes mais necessitados. Eu também não acredito em plantão de 24 horas. Ninguém aguenta. O médico faz que trabalha e o governo faz que paga. E ainda tem muitos médicos que alugam a matrícula, digo isso porque já vi. Enfim, melhor baixar a bola e deixar ver o que podem fazer aqueles que foram preparados para uma medicina em condições limitadas.

      Excluir
    2. Gostaria que essas pessoas que não conhecem a verdadeira medicina cubana, que defendem a vinda desses médicos sem avaliação alguma vejam o que outro país (que não é governado por aliados do comunismo, como ocorre no Brasil) tem a dizer sobre esses médicos: http://noticias.terra.com.pe/internacional/decano-paraguayo-medicos-graduados-en-cuba-tienen-una-formacion-mediocre,bb11703756dfe210VgnVCM10000098f154d0RCRD.html

      Excluir
    3. Anônimo1:49 PM

      Engraçado, fiz medicina em uma universidade federal e por um período fiz estagio internacional e optei por Havana. Nao vi essa medicina excelente q dizem....as condutas sao aquelas usandas há uns 40 anos atras.......vi pacientes morrendo por apendicite!

      Excluir
    4. Caro Antonio Maria, você disse que não acredita em plantões de 24 horas? Caro amigo, você deve morar em uma capital muito bem equipada, porque, eu, estudante de medicina, já vi vários plantões de 24 horas. E não é para me gabar ou para que sinta pena de mim, mas meu pai, também médico de interior, poderia lhe dizer com muito mais propriedade, pois ele já precisou fazer 60 horas de plantão seguidas dentro de um hospital porque ele era o único médico da cidade. E sim, ele faz isso com muito bom gosto, ele faz medicina por amor, mas isso não quer dizer que ele seja obrigado a fazer uma jornada de trabalho absurda. Você disse que já viu médicos dando dinheiro dos bolsos para dar os pacientes, mas analisa comigo: Santa Casa do Rio de Janeiro. Esses médicos deve receber bem, por estão em um hospital de qualidade, numa capital, mas querem que eu vá trabalhar no interior dos estados em um hospital que não tem equipamento para pequenos procedimentos, querem que eu trabalhe 24/7, e você me diz que eu tenho que trabalhar apenas por amor à medicina? Como sustentarei minha família? Porque as outras profissões podem ficar em seus escritórios bem equipados, com uma cadeira confortável, e nós médicos temos que nos submeter a lugares com condições precárias de trabalho e aina achar que está bom? Fiz medicina por amor, faço medicina por amor, e atenderei meus pacientes por amor, mas isso não me obriga a trabalhar de graça ou por salários ínfimos em lugares onde eu não consigo fazer diagnóstico de uma doença simples, ou que não consiga tratar doenças "banais".

      Excluir
    5. Anônimo2:52 PM

      Só uma coisa , de onde tiraram que a nota para passar em cuba é 9 ... não existe isso e além de tudo a média não vale nada se a avaliação for muito facil; tem que ver como é a avaliação e não a média .... já viajei pra cuba e a saúde de lá é igual à do Brasil , única diferença é que lá a população é muito menor e mais espalhada então o sistema dá conta.

      Excluir
    6. Anônimo4:09 PM

      Antonio, por favor, não peça a ninguém que baixe a bola porque quem diz o que não sabe é quem realmente deveria baixar.
      Na era da nanotecnologia, das neurocirurgias avançadíssimas e de outros tantos avanços você tem a capacidade de dizer que eles devem vir e ver o que podem fazer já que foram preparados para uma medicina em condições limitadas? Que isso! Que ignorância! Deve-se lutar pela melhoria da medicina para todos e não fazer uma medicina de guerra só para sentir que alguma coisa está sendo feita!
      Por acaso se vc tiver alguma doença grave irá se tratar com alguém que deve saber o que faz porque sabe atuar com condições limitadas?
      Assim como as estatísticas de Cuba as do Brasil também estão sendo manipuladas. Vc tem idéia de quantas pessoas morrem por dia por falta de medicações básicas no SUS? Vc sabe o que é sentir o peso de colocar o paciente em uma ambulância e não saber se ele chega vivo em um hospital melhor porque no que vc trabalha não há nada que pode ser feito por essa pessoa?
      Conheço colegas que precisaram de tratamento seríssimo para a síndrome de Burnout (leia sobre) por enfrentarem por anos a fio o esgotamento físico e mental sofrido pelo médico.
      O caminho para uma medicina justa e de qualidade é dar condições para que o médico trabalhe, trate seu paciente, salve vidas. Com exceção das regiões sul e sudeste que possuem cidades estruturadíssimas no interior, visite o restante do interior do Brasil e veja se é possível fazer mágica com o que se tem!

      Excluir
  22. http://www.academiamedica.com.br/o-mito-da-medicina-cubana/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:26 PM

      Fonte nada confiável e com muitos erros.

      Excluir
    2. ah... com certeza você conhece bem a medicina cubana! por isso esta falando! que venham milhares... mas que sejam avaliados!!

      Excluir
  23. Anônimo1:22 PM

    Não interessa. Descartável. Sem o revalida não dá. Quer entrar no país? Ótimo! Mas com o revalida. E como você explica a prova que somente 10% dos médicos são aprovados? Ainda quer comprometer a saúde pública com essa incerteza?

    ResponderExcluir
  24. A verdade::: lembrando que o pior cego é aquele que não quer ver!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=L-yuoPwGnlY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:26 PM

      Saúde pública comprometida com a vinda não apenas dos cubanos, mas de outros estrangeiros, para o Brasil. Revalida, sim!

      Excluir
  25. Anônimo1:25 PM

    Tem certeza disso? Não faltam médicos no Brasil, faltam condições para que eles possam trabalhar! Um bom jornalista deveria não apenas enxergar sua opinião, mas a de todo o resto. Você sabe como os médicos aqui do Brasil dão duro? Sabe? Eu acho que não. Eu também acho que você não sabe da falta de condições que o governo oferece. E ainda querem trazer os estrangeiros para cá sem o revalida? Revalida, sim! O país também é seu. A saúde também é sua. Então pense antes de defender um ponto de vista e tente enxergar as possíveis consequências desse ato irresponsável que a nossa presidente quer tomar.

    ResponderExcluir
  26. Anônimo1:42 PM

    cidades sumidas no interior onde nao ha agua potavel, nao tem estradas, nao tem media ou alta complexidade com acesso a menos de duas horas, faltam luvas, soro e medicamentos basicos... nao tem condicoes d trabalho... nenhum medico por melhor q seja vai fazer milagre... a recusa de aceitar tais condicoes forcaria o poder publico a conceder melhoras... poe um engenheiro p trabalhar sem seu material ou um contador sem maq de calcular... poe uma manicure sem alicate e mande ela trabalhar por amor.... demagogia...

    ResponderExcluir
  27. Walder1:45 PM

    Você é um brincalhão por escrever tamanha merda eu seu blog.
    No Brasil não há falta de médicos e sim concentração exacerbada na região Sul e Sudeste devido a UM motivo: Falta de condições de trabalho em outra regiões.
    A intenção de facilitar a entrada de médico estrangeiros para o Brasil sem necessidade de uma prova de análise de conhecimentos é inaceitável. Não me venha com papo que médico Cubano é ótimo porque tenho certeza que você não arriscaria sua vida se consultando com um deles. Nem você nem o governo Ptralha entende de epidemiologia, indicadores de saúde e do sistema único de saúde para falar tamanha merda de Coorporativismo do CFM.

    Cave um buraco e coloque sua cabeça dentro dele depois de tamanha blasfêmia e difamação da classe médica. Sua vertente pseudo-esquerdista distorcida é o motivo que o Brasil sofre tanto na educação e saúde.

    ResponderExcluir
  28. Tendenciosa e estúpida ideia de achar que existem médicos cubanos que adorarão trabalhar em camanguapana 24h por dia para receber US$ 4.000,00 do GOVERNO FEDERAL. Vão achando que é a solução, que em poucos anos (talvez menos de 1) estejam todos revoltados, de greve e metropolizados. Vão achando aí, experimenta pensar... tsc tsc tsc

    ResponderExcluir
  29. Anônimo1:52 PM

    Concordo em tudo com a Dri Esteves! É tão fácil falar de uma situação sem vivencia-lá... Sobre as más condições de trabalho para o médico no interior e as exaustivas jornadas tanto de estudos como de trabalho, ninguém fala... Sobre a pressão psicológica e social de se trabalhar com vidas de pessoas também ninguém se importa... Afinal, o médico é frio e só pensa em dinheiro não é?! Médico não sofre quando por falta de infra-estrutura não pode salvar uma vida. É simples ir trabalhar no interior e ver pessoas sofrendo por falta de assistência infra-estrutural do Estado. É, médico deve ser de ferro mesmo. Ahh é claro que não vamos esquecer da parte financeira: médicos ganham muito e só reclamam. Mas o congresso que ele vai para se especializar ninguém paga. O livro que custa R$ 800,00 reais (que não é apenas um) e que durante sua formação ele tem que comprar - pois por mais que ele estudou para passar num vestibular de uma universidade pública, mais uma vez o estado o boicota e o deixa sem esse material; disponibiliza para ele uma biblioteca defasada, com livros mais velhos que ele próprio-, ninguém pergunta como ele conseguiu, do que seus pais tiveram que fazer para comprá-lo, porque se muitos não sabem, a medicina é um curso que exige seu tempo integral e fazer um bico para ter dinheiro é uma opção para quem pode e não para quem precisa. Além disso, todo mundo que estuda 4, 5 ou 6 anos para ter uma profissão, seja ela dentista, engenheiro, professor, ..., faz tudo por amor a profissão né?! Nunca reclamam quando não ganham o esperado. Afinal, podemos comprar comida, roupas e até mesmo remédios com o amor que temos a profissão.
    E porque será que faltam então médicos no interior? A solução é contratar cubanos que vão fazer milagres? Lá a medicina deve ser tão avançada a ponto de se basear apenas em exame físico.
    ACORDA BRASIL. O Estado mais uma vez quer jogar a responsabilidade dele para outros. Em vez de melhorar as condições de infra-estrutura para médicos e pacientes, quer contratar mais mão de obra. E eu pergunto, o que eles vão fazer se continuará a faltar leitos, macas, aparelhos de raios x, medicamentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:13 PM

      Concordo em gênero, número e grau! ACORDA BRASIL!!!!

      Excluir
  30. Anônimo1:55 PM

    É triste ver a disseminação de tanta desinformação sobre o assunto. E isso não ocorre somente na internet, também ocorre na televisão via jornalistas entendedores de tudo (e sabedores de coisa nenhuma). A grande, ou "virulenta", revolta dos médicos e estudantes de medicina de todo país, não é exatamente com a entrada de médicos estrangeiros, mas sim sobre as manobras do governo brasileiro para que isso ocorre indiscriminadamente, sem controle de QUALIDADE. Alias, como é típico de políticas eleitoreiras. O governo quer acabar com o revalida para que ocorra uma enxurrada de médicos estrangeiros aqui, mesmo que eles não tenham qualificação, como é o caso de muitos vindos da Bolívia (alguns não tem conhecimentos básicos ao semestres iniciais da faculdade de medicina). É extremamente irresponsável disseminar esse tipo de informação a favor da vinda dos cubanos, sem que ao menos haja uma busca de informações a respeito da situação. O governo não investe na saúde, nas universidades nem na criação de novas vagas em residências médicas, mas vai investir uma FORTUNA pra trazer médicos de fora. É uma completa falta de respeito com os médicos, estudantes e com a saúde do Brasil.

    ResponderExcluir
  31. Helden Nunes2:00 PM

    Meu Deus quanta bobagem escrita num so lugar. Voces sabem porque tantos medicos cubanos querem vir para o Brasil ou para qualquer parte do mundo? A resposta é para sair da miséria e das precárias condições de atendimento a população. O juramento fica para trás. Nao se salva vidas só com o modelo de medicina cubano. O modelo cubano é defasado e muito atrasado em relação ao Brasil e ao mundo pois la nao se aprende em livros e artigos em inglês, nao se tem a disposição a internet e etc. Aos "socialistas" remanescentes só lhes digo uma coisa: estudem mais e conheçam mais o seu país que um dia mudarás de opiniao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo10:19 AM

      Helden Nunes,
      lamentável ler o que você escreveru. Estive em Cuba há pouco tempo e conheço médicos que se formaram lá e que revalidarm o diploma aqui no Brasil.
      Mesmo com a internet precária, é impressionante a atualização e a produção que eles têm. Eles se especializaram, por conta do bloqueio histórico que sofrem, em fazer muito com muito pouco recurso!Os números que Porfírio colocou na postagem falam por conta própria!
      Eu não vi nenhum médico cubano querendo vir pro Brasil por causa disso que você escreveru. O que eu vi, foi um médico libanês e uma médica brasileira, noivos, formados em Cuba e fazendo residência médica lá, que querem continuar em Cuba para criar seus filhos por terem garantia de saúde, educação e segurança com muita qualidade.Por lá ser um melhor lugar para criar seus filhos.
      O fato de não se aprender com livros em inglês é afirmar que não se produz conhecimento na américa latina ou, mesmo, em outras línguas. Desculpe, mas é de um espírito colonizado ao extremo!
      É uma pena que pense assim! Eu preciso dizer, e sem generalizações como você fez ao se referi aos socialistas: Helden, estude mais e conheça mais o outro país (e o seu próprio), que um dia mudarás de opinião!
      João

      Excluir
  32. É ser muitooooooooooooooooo iludido achar que 5, 10, 20 mil novos médicos resolverão a precariedade da saúde pública. Se nº de médicos fosse sinônimo de medicina de qualidade a saúde pública nas capitais seria excelente... não é isso que vemos. Pq o governo ao invés de importar médicos não olha primeiro pra formação deficitária dos seus médicos atuais?
    Pq o governo não verifica os reais motivos dos médicos aqui formados não desejarem ir pro interior?
    Pq o governo não investe o mínimo na rede pública no interior do país.
    Vc acha mesmo q médico trabalha e consegue resolutividade apenas com uma caneta, carimbo e estetoscópio no pescoço?
    Acha mesmo que idéias de medicina preventiva serão bem aceitas pela população brasileira que só procura a "medicina curativa" em último caso?
    Acho que antes de um jornalista opinar no assunto, deveria conhecer a realidade de um PSF, um pronto socorro, seja na periferia de uma capital ou no interior.

    ResponderExcluir
  33. Anônimo2:02 PM

    Então o médico cubano é capaz de fazer hemograma, eletrocardiograma, ultrassom, mamografia, teste do pezinho etc etc etc só com a força da mente, não é? Afinal, ele não precisa daquela parafernalha toda, como foi dito.
    E se ele não for homem bionico, para realizar esses exames com a força da mente, não há o menor problema também. Ele vai receitar remédios irresponsavelmente para a população carente, e não para os politicos, ou para quem tem o luxo de pagar um plano de saúde... E que faz CONSTANTEMENTE exames para cuidar da saúde. Pobre não merece isso, não é?!
    ACORDA BRASIL!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo3:35 PM

      Médico Cubano não sabe o que é mamografia.
      Este aparelho ainda não chegou por aquelas bandas.

      Excluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Essa é a democracia que permite que uma pessoa sem nenhum conhecimento de causa fale os absurdos que quiser sobre o que quiser. Isso não é ruim, o ruim é um jornalista, profissional que trabalha coma informação ser tão ignorante. Meu caro só tenho uma pergunta, um médico, seja ele de onde for, como vai medicar sem medicação, como vai fazer exame sem exame, enfim como vai trabalhar sem estrutura alguma. Não sou profeta mas tenho absoluta certeza que esses "salvadores da pátria" vão abandonar o interior como outros médicos estrangeiros já fizeram. Procure se inteirar do que falta na medicina do interior e se pergunte porque mesmo com salários de até 4x o salário das grandes cidades os médicos não querem ficar no interior, se depois de se informar ainda acreditar que a solução são mais médicos então defenda o que lhe achar por bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:19 PM

      Querem fazer com a medicina o que infelizmente fizeram com o jornalismo: um curso técnico!! Atualmente não é necessário fazer jornalismo para se entitular jornalista assim como não será necessário fazer uma medicina de qualidade para se tornar um médico!
      E ao meu ver, esse é um dos motivos para tamanho despreparo por parte dos jornalistas. Antigamente o jornalismo era uma profissão nobre, comprometida com a verdade.. Infelizmente restaram muito poucos Alexandres Garcia no Brasil, com capacidade de análise imparcial dos fatos.
      Vocês nos acusam de fazer reserva de mercado, uma pena que os jornalistas de verdade não se atentaram para uma mobilização semelhante para privar o Brasil de "profissionais" tão cegos e despreparados! Viva a democracia!

      Excluir
  36. Anônimo2:08 PM

    Olha como a medicina cubana é excelente! http://noticias.terra.com.pe/internacional/decano-paraguayo-medicos-graduados-en-cuba-tienen-una-formacion-mediocre,bb11703756dfe210VgnVCM10000098f154d0RCRD.html

    ResponderExcluir
  37. Anônimo2:16 PM

    A notícia deveria ser: “O PT quer trazer de Cuba 6000 agentes de propaganda/cabos eleitorais já para a próxima eleição que será igual a Venezuela.”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:20 PM

      Exatamente!
      O Brasil se tornará a nova Venezuela com pessoas tão ludibriadas quanto as de lá!

      Excluir
  38. Anônimo2:22 PM

    Ficou bem evidente o seu desconhecimento sobre as condições de trabalho de um médico do SUS, as condições a que estão sujeitos os médicos de cidades mais pobres e os calotes (sim, calotes) que as prefeituras dão a quem se submete a trabalhar em regiões precárias.
    É uma medida muito mais simples e barata aceitar médicos cubanos sem revalidação de diploma. Aliás, devido ao processo de constante alienação que eles sofrem, é de se esperar que aceitem bem as condições de trabalho e os baixos salários oferecidos pelo SUS.
    Nós, da área da saúde, somos vistos como mercenários e corporativistas, mas a realidade é bem distinta da imagem da sociedade. Estudamos muito, trabalhamos mais ainda e temos uma queda bastante significativa da nossa qualidade de vida e, pra piorar, somos uma classe desunida. Aceitamos passivamente as longas jornadas de trabalho, os baixos salários (dispensa explicações, são baixos sim) e a condições precárias de trabalho que nos são oferecidas.
    Para um jornalista imparcial, tendencioso e que sequer está a par da realidade do profissional da área da saúde do Brasil, resta lamentar pelas colocações feitas e lembrar que em torno de 90% dos médicos que se submetem ao Revalida são reprovados. A formação médica em Cuba é superior a nossa, mesmo?

    ResponderExcluir
  39. O sistema cubano é tão bom, mas tão bom, que a presidenta e o cumpanheiro quando precisaram não recorreram a ele! Ele é muito bom mesmo, para os pobres, que não tem alternativa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo2:41 PM

      A presidenta e o presidente ( sim, porque Lula ainda governa esse Brasilllll), simplesmente fizeram seus tratamentos de cancer no Sirio libanes, hehe. Somente no melhor hospital PRIVADO do pais...poxaaa, mas porque nao vao procurar os hermanos para se CURAREM, heim??
      E o povito brasileiro sequer questiona isso...
      realemte, FAZEM POR MERECER o governo que tem!

      Excluir
    2. Anônimo4:25 PM

      o Hugo Chaves foi se tratar em Cuba e deu no que deu. Erraram no diagnóstico e no tratamento (e olha que não era um cidadão comum, mas um chefe de estado).

      Excluir
  40. Anônimo2:38 PM

    A maior parte das pessoas que apoiam a vinda dos cubanos e fazem comentarios dispensaveis e cheios de equivocos(como 90% dos que estao aqui) no mínimo estao sendo "amparados" pelos seus ordinarios planos de saude , os quais dao uma FALSA segurança de assistencia! Eu queria ver apenas 10% dos que opinaram aqui, sendo a favor do governo, enfrentar as kilometricas filas do nosso "eficiente" sus! Nao enfrentam! É muito facil esses pseudoesquerdistas (que sao consumidores de coca-cola e apple) ficarem tagarelando sobre o "medo" de nós medicos com a vinda dos cubano... dificil é fazerem parte do imenso grupo que REALMENTE sofrerá com as consequencias desastrosas dos profissionais que chegarao aqui para fazerem "milagres" no sistema publico (isso os que realmente ficarem no interior). Eu ja tive a infelicidade de trabalhar com cubano no interior de pernambuco e digo com TODA SEGURANÇA: nao sabem fazer medicina! Enquanto eu atendia 16 pacientes numa manha, realizando exames fisico, colhendo historia clinica, pesquisando alergias medicamentosas e conduzindo como deveria, a criatura atendia 80 (isso mesmo: OITENTA)pacientes durante uma manha, onde a maioria sequer adentrava em seu consultorio. Ali mesmo da porta, "el cubanito" perguntava: o que ha? E receitava buscopam ou dipirona para o paciente e tchau..menos de 2 minutos de consulta. É assim que vcs , pesudoesquerdistas e defensores da politica do pao e circo petista, desejam ver os problemas da saude publica brasileira resolvidos?
    Aguardem cenas do proximo (e desastroso) capitulo...

    ResponderExcluir
  41. Anônimo2:52 PM

    Caro Porfirio,
    Se vc entendesse de medicina não escreveria tamanha asneira.
    Sou médico, trabalho em consultório particular e no SUS como supervisor de residentes em psiquiatria. O primeiro faço por dinheiro. O segundo por amor. Estou satisfeito com meu trabalho público, não pelo dinheiro mas por outras coisas como valorização profissional, ego e ajuda à pessoas carentes. Vivo em Curitiba, teoricamente uma capital em saúde. A grande verdade sobre essa cidade é que por aqui a medicina não possui qualidade. Os médicos são pouco atenciosos e os exames são frequentemente mal laudados(me refiro aos médicos particulares mesmo). Doenças raras não são diagnosticadas por falta de interesse. Isso é especialmente verdade tratando-se de médicos mais velhos, da sua geração, essa geração mafiosa e malandra que lucra por fora com convênios e com a industria farmacêutica. A nova geração vem se esforçando para melhorias e uma conduta mais ética.
    Sempre vão faltar médicos no interior e regiões inóspitas. O governo não paga o suficiente ao profissional para que queira ir para essas localidades. Isso acontece também com juízes , advogados, funcionários do correio etc.No entanto não importamos esses profissionais de nenhum país. Geralmente esses outros profissionais possuem contratos de trabalho com garantias como férias, décimo terceiro e plano de carreira atrativos.
    Mesmo se houvesesse isso à disposição, para um médico é um pouco pior, uma vez que não adianta ele estar presente, são necessárias condições para realizar seu trabalho. O governo é ótimo em estabelecer metas assistenciais(numero de atendimentos/mes) mas péssimo em avaliara efetividade e qualidade desses atendimentos. Para vc ter uma idéia, o governo investe milhões em construção de Caps para atendimento de dependentes químicos. Porém, não financia o exame toxicológico de urina, que seria o básico para um médico poder exercer um bom trabalho nesse local. Investe meilhares de reais em contratação de méidocs neurologistas e outros, mas não se importa em adquirir novos aparelhos de ressonância para que o paciente possa ter seu diagnóstico prontamente. O paciente não pensa sobre esses problemas do governo. Ele processa o médico que não pediu o exame. O sitema já é caótico com brasileiros, que já possuem mal formação médica. Os cubanos estão numa situação pior. A medicina de lá é como os carros, parou no tempo. Medicina de qualidade custa caro e o médico deve estar muito atualizado para prestá-la. Os cubanos não estão preparados. Talvez devessemos importar políticos de Cuba, jornalistas de Cuba, polícia de Cuba uma vez que temos problemas em todas essas áreas. Paguem direito o médico, forneçam condições de trabalho, aí vcs terão médicos se comunicando na sua lingua para atende-lo. Do contrário se contente com um médico que sabe aferir pressão, tratar verminoses e fala portunhol...se bem que pessoas como vc mereceriam passar por isso.

    ResponderExcluir
  42. Guilherme H.2:59 PM

    ELITE CORPORATIVISTA? É assim que você se refere à classe médica? Esse tipo de caracterização mostra o quanto você sabe do trabalho dos médicos Brasil à fora. Médicos já deixaram de ser uma elite privilegiada há muito tempo. Hoje, estão abandonados em pronto socorros abarrotados de enfermo. Enfiamos e UBS's sem a mínima condição para exercer medicina de qualidade. Hospitais públicos fazendo sozinhos trabalho de 3 ou 4 profissionais para tentar ajudar os paciente.
    Médicos não são elite alguma, são desvalorizados por esse governo corrupto e populista.
    O senhor que escreveu esse texto não passa de mais um desinformado sobre a real situação da saúde brasileira. Onde realmente não há número adequado de médicos em determinadas áreas, mas isso ocorre devido à falta de investimento. Medicina não se faz apenas com estetoscópio e boa vontade, são aparelhos, exames e medicação. Como vou fazer um pré-natal em uma UBS sem Sonar? Como vou diagnosticar um Câncer de Colo Uterino sem exame especular?
    Não existe milagre, o que existe é a necessidade de valorização dos profissionais brasileiros e maior investimento em TODO setor da saúde.
    Com esse texto o senhor está jogando o povo contra os únicos que lutam pela sua saúde nesse país. Está ajudando o povo à acreditar que a saúde do pais é responsabilidade do médico.
    Essa atitude populista está com um único objetivo, o governo quer "tirar o seu da reta" quando o assunto é a vergonha da saúde do país. Quer colocar a culpa nos médicos, que são as principais vítimas desse sistema sucateado e dessa politica populista e eleitoreira do ... (bom, não vou citar partido... Quando se trata de corrupção e política eleitoreira todos sabem de quem estamos falando)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, mas olhe uma matéria do governo, sobre uma reportagem sobre o que é classe média.
      http://www.sae.gov.br/site/?p=16007
      Para uma família de 3 pessoas, R$3.700 reais é classe média em valores corrigidos e não oficiais definidos pelo governo. (não são os usados para estatísticas)
      então, me diga, quantos estudantes de medicina são classe média?

      Excluir
    2. Anônimo1:35 AM

      Inúmeros estudantes, não só de classe média mas de baixa renda também, inclusive em universidades particulares. Atualmente o FIES financia até 100% do valor do curso de Medicina, além de existirem vários tipos de bolsa e também o PROUNI, que incluiu muitos estudantes pobres dentro das faculdades de medicina.
      Atualize-se!

      Excluir
  43. Anônimo3:02 PM

    Só para constar, uma consulta pelo SUS paga ao redor de 9 reais.
    Por favor bando de hipócritas. Tomara que os Cubanos venham mesmo, pra atender vcs, vcs não merecem medicina de qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês médicos só pensam em dinheiro!!!! Não existe mais cura e sim manutenção da doença (veja como os consultórios estão lotados). Os convênios pagam pouco, mas arranjaram uma forma de ludibriar os convênios com atendimentos de no máximo 10 minutos, deixando de fazer anamnese e diagnóstico adequados. E ainda temos os laboratórios que pagam fortunas para os médicos indicarem seus medicamentos, mesmo não sendo muito eficazes. Não suporto o PT, mas vcs médicos merecem!! Quem sabe agora diante da ameaça, descem do seus tronos e efetivamente tratam com respeito e qualidade de atendimento seus pacientes. Tudo isso está acontecendo pq vcs não estão preocupados com vidas e sim com ganhos, ou seja, melhor um médico ruim que nenhum médico. Quem hj vai para o sertão ganha em média 30 mil por quinze dias de trabalho. E ainda estão achando pouco pq sustentam uma necessidade de disputar com os amigos de classe poder, e poder para vcs = $$$$$$

      Excluir
    2. Anônimo6:17 PM

      30 mil por 15 dias de trabalho, pelo SUS??? Deve ser em outro país... Ou você está confundindo médico com Juiz???

      Excluir
    3. Anônimo1:38 AM

      Que ignorância Tania Borges, como vc pode generalizar uma classe toda assim? Sua revolta precisaria ser tratada com psicoterapia. Fica a dica!

      Excluir
    4. Anônimo12:18 PM

      onde e o local de trabalho lindinha?????tem vaga para go, que faz geral, mastologia, patologia cervical,maternidade,etc...e nem se importa de trabalhar com estrangeiros, e tambem atende pessoinhas como vc se precisarem, afinal quem um dia nao precisa de medico, nem de professor,ne?qual sera sua profissao?

      Excluir
  44. Anônimo3:05 PM

    Quanto o senhor ganhou para escrever tamanho absurdo?

    ResponderExcluir
  45. Anônimo3:33 PM

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=329969113795347&set=a.100899950035599.1165.100877166704544&type=1&relevant_count=1

    ResponderExcluir
  46. Anônimo3:39 PM

    “Infelizmente o infeliz que fez este comentário no blogdoporfírio não conhece a realidade dos postos de saúde! Na verdade médicos existem, só no ceará temos 7 cursos de medicina entre públicos e privados totalizando mais de 400 médicos ao ano, o que falta são condições de trabalho (tanto de infraestrutura quando de remuneração). Veja a qualidade dos postos encontrados nas capitais dos estados e pense nos postos do interior. Em fortaleza temos postos faltando medicação, com infiltração, sem disponibilidade de realização de exames, sem segurança e muitas outras falhas. o que o governo quer é iludir a população de que irá resolver o problema de saúde do país com mais médicos. Não questiono a qualidade deles e muito menos a concorrência, questiono a maneira que o governo quer "resolver" o problema da saúde pública. Querem aumentar o número de médicos no país, então melhorem as faculdades públicas, aumentem o número de vagas (valorizem os brasileiros), melhorem a qualidade e quantidade de postos de saúde, PAREM DE ROUBAR VERBAS DA SAÚDE, paguem com dignidade para os profissionais da saúde (não só os médicos)”

    ResponderExcluir
  47. O grande problema é que todos os que estão apoiando estão pensando que os médicos cubanos irão atender as populações carentes do interior do país, eles não conseguem entender que esses médicos ficarão pouco por lá e logo irão figurar principalmentente nos pronto-socorros do país, pois os nossos politicos irão adorar empregá-los. E os nossos filhos, sobrinhos e nós mesmos estamos sujeitos a acidentes automobilisticos em qualquer estrada desse imenso país. Ou eles acreditam mesmo que nunca vão se deparar com esses médicos pela frente?

    ResponderExcluir
  48. Anônimo3:46 PM

    A única coisa boa feita pela medicina Cubana, foi ter matado o Hugo Chavez.
    Foi morto por diagnóstico e consequente tratamento equivocado (Errado)
    E viva Cuba!
    Se Cuba fosse boa, não haveria restrição a saida.
    Qualquer país tem restrição para entrada e Cuba para saída!Rs

    ResponderExcluir
  49. Anônimo3:56 PM

    Sr. pedro Porfírio é melhor o Sr. se aposentar, pois achar que o governo está certo em trazer médicos de onde quer que sejam para resolver o problema de saúde do país´o senhor está sendo infeliz!!! o que precisamos é de políticos competentes para gerir nosso e não de corruptos! pois decadas com os mesmos problemas e nada de concreto é feito para soluciona-los!

    abraço,
    Leonardo Torres

    ResponderExcluir
  50. Anônimo4:00 PM

    É bom ver a "mafia de branc o" sentindo o bafo na nuca!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:31 PM

      A "máfia de branco" não está sentindo o bafo na nuca porque o mercado (como vc já deveria saber) seleciona o que é bom e o que é ruim. Os melhores médicos continuarão com a agenda lotada, a preocupação não é essa! Espero que vc nunca precise ser tratado por um médico sem qualificação, porque as consultas nos melhores profissionais só tenderão a ser mais caras. A minha pelo menos será!
      Saludos desde Cuba hermano!

      Excluir
  51. Mentira de pucha saco da presidente
    Vejam a realidade nesse video sobre a farsa da medicina em Cuba
    http://www.youtube.com/watch?v=USrJ9Zxgye4

    ResponderExcluir
  52. Quando pequeno meus pais me levavam em um medico cubano, Dr. Samuel a clinica dele fica na Robert Kennedy em São Paulo. Na verdade toda a família foi tratada por ele, minha mãe conta que eu já tinha passado por dois médicos estava chorando com dor e disseram que era uma simples cólica, Dr. Samuel não precisou de muito para ver que se tratava de uma hernia agnal.

    Acredito que eles sejam sim muito competentes e apos ler todo o texto, acredito que seja mais um motivo torpe e egoísta querer deixar o mercado brasileiro com ecasses de médicos para barganhar salários, benefícios entre outras coisas, que se se dane o juramento de salvar vidas.

    Tem sim que vir, meu tio morreu de câncer ano passado sem tratamento, em quanto andava de um hospital ao outro sendo tratado como lixo, morreu em casa com muita dor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:27 PM

      Querido, cubano sai de seu país na promessa de 1kg de carne se preciso!!!
      Sinto muito pela perda do seu tio mas o sentimento dessa perda está sendo canalizado de forma errada. Se o médico que atendeu sua mãe era cubano, certamente foi submetido a uma prova de avaliação e passou. Parabéns para ele, profissional competente!
      Mas não é porque seu tio veio a falecer que a solução para a saúde brasileira é importar cubanos. Certamente se o sistema público de saúde é deficiente a culpa é do governo que não investe na qualidade desse sistema. Qualquer paciente, quando enviado a um hospital como o Albert Einstein ou Sírio Libanês (como fazem os políticos), tem 100% mais chances que um paciente que depende do SUS.

      Excluir
    2. Anônimo12:27 PM

      entao voce acha que seu tio morreu por falta de medico para atende-lo? voce acha que ele precisava de um medico de atencao basica para atende-lo? desculpe ,mas vcs nem devem saber as diferencas destas coisas?
      E muito provavel que ele deve ter perambulado por muitos lugares justamente porque a Saude Publica no Brasil realmente e deficitaria, isso quer dizer que tem servicos otimos para alguns e horriveis para outros, isto e o que chamamos de politica eleitoreira, enganacao e sem recursos para dar assistencia de qualidade, a tal da infraestrutura!!!!!Nao e por falta de medico capacitado.

      Excluir
  53. Como estudante de medicina preocupado com os rumos da saúde no país, fico PREOCUPADISSIMO com a direção que a Saúde está tomando! Porém, nem comentarei sobre a temática do corporativismo.
    Somente faço perguntas reflexivas: por que não há polemica e movimento do governo para liberar a entrada de outros profissionais estrangeiros sem prova de validação de diploma? O que o senhor autor deste blog pensa de liberar a entrada de engenheiros, advogados, enfermeiros, dentistas, professores e etc SEM VALIDAÇÃO de diploma???
    Acho curioso que as regras devem ser diferentes para os medicos, além de se criar um pensamento paranóico sobre o desejo do médico brasileiro querer o mal da população.
    O caos da saúde e a regionalização dos profissionais segue uma lógica semelhante à de todos os outros profissionais de curso superior: a concentração nas regiões sul e sudeste simplesmente porque são as áreas de maior concentração de tecnologia e recursos. Onde estão concentradas as melhores universidades do país? Onde está o setor de maior investimento financeiro do país? Onde estão as maiores empresas do país? Os médicos acabam seguindo esta lógica como com todos os outros profissionais. Ou será que agora deveremos regionalizar também enfermeiros, advogados, engenheiros e etc?
    Uma última pergunta para a nossa reflexão é se a presença de um médico em um posto afastado, sem infra-estrutura, equipamentos, fármacos e demais profissionais de saúde vai mudar a realidade precária dessas localidades? É realmente mais fácil atirar o fardo nas costas dos outros e esperar ilusoriamente que o problema seja resolvido por terceiros!
    Uma informação importante: a saúde é subfinanciada porque há grandes ambiguidades no nosso país. Primeiro, na criação do SUS (no modelo ingles de saúde publica), se permitiu uma cisão do SUS para a formação dos planos de saúde, que inclusive se apropriam de recursos do SUS para procedimentos mais onerosos (é o caso de transplantes, por exemplo), não sendo repassados recursos para o SUS em contrapartida. Além disso, quem tem plano de saúde tem o valor deduzido do IR pela lógica de não pagar imposto pra saude já que a sua saúde é mantida pelo seu proprio dinheiro. Os impostos no brasil não são em sua maioria diretos e proporcionais no financiamento da saúde, mas sim indiretos - através dos bens de consumo. O resultado disso tudo é um SUBFINANCIAMENTO importante do SUS.
    Além disso, não há criação de planos de carreira e condições mais humanas de trabalho para o médico atuar no SUS e interiores. Nem militantes do governo prefeririam ganhar pouco e estagnar na sua carreira em prol do país em vez de ser bem remunerado com plano de acensão na carreira.
    Se querem melhorar a situação da saúde, melhor é encarar a situação descrita, e não apenas importar médicos cubanos. Além do mais, não se pode argumentar com o uso de exemplos pontuais, visto que o argumento para qualquer defesa será adquirido. Na realidade, deve-se argumentar considerando-se a realidade geral.
    A problemática é muito mais complexa para uma solução viável do que apenas "tapar buraco" ao se jogar no lixo o REVALIDA.
    E agora, José?

    ResponderExcluir
  54. Uma verdadeira vergonha que um profissional da imprensa pense desta maneira , o bom seria : que ele ou alguem da familia dele doente fosse atendido pelos médicos cubanos ,e que o Brasil traga vários outros profissionais para trabalhar aqui , principalmente jornalistas , já que lá em cuba eles já estão acostumados com a ditadura .
    A inveja mata !

    ResponderExcluir
  55. O mesmo governo que vetou a EC 29 que daria mais dinheiro para a saúde agora se arvora de defensor da saúde pública para justificar o crime hediondo de trazer médicos cubanos sem nenhum tipo de revalidação de diploma para atuarem em PSF nos rincões desse país.

    Por trás dessa suposta incongruência está o senso oportunista de colocar 6.000 agentes políticos de Fidel, escravos da revolução cubana (pois o dinheiro vai para Cuba e não para os doutores) para doutrinar politicamente uma massa populacional campestre de aproximadamente 30.000.000 de pessoas, uma vez que o PSF apregoa 1 médico para 5.000 habitantes.

    Tudo pago a Cuba, que vai usar o nosso dinheiro para sustentar um regime ditatorial decadente que há décadas já deveria ter sido objeto de rejeição por todos os que defendem a liberdade humana. E junto com isso o governo vai fazer propaganda própria junto ao resto da população, jogando para as sombras a crise na saúde e a péssima, lamentável, gestão do atual Ministro Padilha, cuja única tática parece ser a de jogara culpa nos médicos por seu fracasso pessoal em conduzir uma ampla reforma no SUS.

    Desde o início do atual governo, a autoritária mandatária, conhecida pelas sessões de humilhações e esporros em seus assessores diretos e ministros, tem feito de tudo para boicotar e destruir propostas viáveis que mudariam o atual quadro de carência de médicos em regiões pobres do país, como a carreira federal de médicos. Agora sabemos o porque, sem a carência não haveria a desculpa de importar os escravos cubanos.

    O projeto é maior: Destruir o SUS e a medicina como classe, terceirizar tudo para os planos de saúde e montar apenas uma rede básica focal em bolsões de pobreza para doutrinar e evitar rebeliões ou crises sanitárias. Por isso tentou a medida provisória 568, promove o desmonte da Residência Médica via PROVAB e não deixa avançar no Congresso propostas de carreira única federal para médicos no SUS, boicota o CNS e promove o incentivo para os planos de saúde venderem mais e mais planos. Não custa lembrar que há pouco tempo o ministro Padilha, inimigo n° 1 dos médicos brasileiros, propôs desonerar os planos de saúde como forma de enterrar ainda mais o SUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não gosta de pobre não são os médicos e sim um governo autoritário que optou por dar costas ao povo e enterrar o SUS.

      Agora tentam inverter o discurso dizendo que os médicos são xenófobos, que importar médicos é um tabu. Não podemos aceitar um discurso contra os estrangeiros, o Brasil é formado por estrangeiros. O que não podemos aceitar é que o governo queira submeter a estes colegas cubanos uma agenda demagógica, degradante e sob trabalho escravo, tendo que se responsabilizar de cara por vilarejos inteiros em uma língua que não domina com tecnologias ao qual não teve acesso muito menos leis aos quais não sabe interpretar ou cumprir.

      Agora vamos focar esses colegas: é no mínimo estranho que um pequeno país como Cuba possa ceder tantos médicos a outros países. 6.000 médicos representam a soma do n°de médicos formados no Sudeste brasileiro por ano. 40.000 médicos cubanos em serviço no exterior é mais que muitos países grandes e desenvolvidos podem abrir mão.

      Como Cuba, que tem um suposto sistema de saúde de ponta, pode abrir mão de tantos profissionais?Como está a formação deste pessoal se no Brasil temos excesso de faculdades e não formamos tantos médicos assim, ainda mais para exportação?

      Como que Cuba tem um número muito menor de faculdades que o Brasil mas consegue formar tanta gente em Medicina? Sabemos que Fidel sempre priorizou a saúde e educação mas não podemos esquecer que Cuba vive uma transformação, seu sistema econômico vive questões dramáticas, como consegue formar tantos médicos assim? E ainda por cima de qualidade?

      Quem garante qualidade em formação de massa? Será que a população de Cuba não vai sentir a falta desses médicos? Sâo médicos mesmo? Por isso o Revalida é fundamental. A população brasileira tem o direito de saber que quem vai cuidar dos seus filhos possui um mínimo de competências.

      O governo Dilma parece que em sua lamentável política exterior, com o pior chanceler da história recente deste país, quer dar uma mãozinha para a sobrevivência do regime cubano, infelizmente usando a vida das pessoas pois, sabemos que estes colegas não virão de livre e espontânea vontade. 6.000 pais de família só deixam seu país quando ele vive uma guerra, catástrofe ou faliu como é o caso de Cuba.

      O Governo Dilma economiza com a saúde dos outros, expõe seus eleitores a médicos não referendados e a toda sorte de erros médicos advinda dessa postura demagoga. Mas ela está se lixando pra isso e para nós, pois quando passa mal ela e o Padilha sabem que terão as portas dos hospitais privados de São Paulo abertas para eles.

      Excluir
  56. nao tenho medo nem temor de medicos cubanos....basta passar na prova e pronto

    ResponderExcluir
  57. Anônimo5:49 PM

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    VCS ESQUERDISTAS, defendem o socialismo que é um sistema falido a uns 50 anos e que produziu os MAIORES ditadores da historia!!!!

    Nunca tiveram em suas mãos um paciente morrendo de Infarto Agudo do Miocárdio e simplesmente não ter um medicamento de 2 reais que o salvaria no plantão, tendo que mandar uma pessoa buscar na farmácia o medicamento que vc comprou com seu próprio dinheiro que ainda assim nao chegou a tempo.

    ACORDEMMM não trabalhamos no interior pq não tem as minimas condições, e nos locais que oferecem quase nada ainda recebemos em media 3 meses de 1 ano trabalhado! não venham me falar de ideologia ou sacerdócio, temos contas q pagar, sonhos a realizar e filhos para criar. Alguns de vcs trabalha de graça?????????????? Hipócritas!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  58. Anônimo5:51 PM

    Convido a todos os que falam muito e fazem muito pouco a atender UM dia em um Pronto Socorro sem estrutura adequada. E não precisa ir muito longe não! Qualquer cidade tem um desses! É desanimador prescrever um remédio e ele não estar disponível no SUS, pedir um exame e, o mesmo problema. Ter que atender 50 ou mais pessoas num período de 12 horas (já cheguei a atender 100).....Qualquer ser humano tem suas necessidades e limites.....acho que vocês só entenderão o dia que fizerem isso.
    O grande problema do brasileiro é que a medicina é encarada como sacerdócio! Acorda Brasil! Convido a todos os grandes críticos aqui a trabalharem sem as mínimas condições e por salários injustos! Existem maus médicos, sim, existem, assim como existem maus professores, engenheiros, advogados, cozinheiros, jornalistas e Presidentes! A formação e o estudo são fundamentais para que isso seja diminuído. E acreditem, condições de trabalho ruins aumentam muito insatisfação pessoal, desestimulo em melhorar e se aprimorar. Quem aqui quer Trabalhar de Graça? Para um bom médico se formar, são necessários no Mínimo 10 anos de dedicação exclusiva (isso inclui muitas horas semanais de plantão, jornadas triplas e sem remuneração). Após isso, o reconhecimento com um salário digno e um plano de carreira não acredito que seja pedir muito. Afinal, " a máfia branca" também precisa pensar no futuro.
    Agora vão me dizer que todos concordam com o sistema em que não há reprovações na escola fundamental: outro problema que o nosso "fantástico" governo empurrou para debaixo do tapete!
    Tudo o que eu desejo é que todos que falam muito, pensem, estudem, conversem com amigos que estejam na situação. O problema do Brasil é bem mais em baixo e creditar toda a culpa nos médicos, só faz a população ficar mais desesperançosa e o governo mais satisfeito, pois o foco novamente saiu da onde ele deveria estar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo7:37 PM

      caro doutor, sou usuário do SUS e vejo isso todo dia que presiso dele. Não gostaria de ser atendido por um extrangero, pois se nem entendo um brasilero estudado falando imagine alguem de outro pais.estou com medo do que pode acontecer. Imagino se estas pessoas que falaram asnera usam o SUS que nem eu....devem ter seu convenio medico....

      Excluir
  59. Anônimo7:19 PM

    Que absurdo saber que pessoas tão bem esclarecidas do nosso país estão agindo CONTRA o proprio pais e compatuando com essa idéia absurda do governo. Não é atoa que estamos como estamos e a culpa é de vocês!
    Antes de falar tanto absurdo Sr. jornalista vai até um hospital publico e converse com profissionais e doentes que lá estão morrendo (ambos) por falta de estrutura do governo, estutura que eu digo não é essa tecnologia de ponta que colocaste em teu post, estrutura é AGULHA, SERINGA, HIGIENE, LOCAL, FIO, REMEDIO... Isso não temos no Brasil!!! Com esses profissionais com formação inferior vamos ter um caos formado... e o governo? Se safando da falta de suas obrigações e fazendo o povo engolir guela a baixo que o problema da saude publica é a falta de médicos.
    Achei que o povo brasileiro não fosse tão tolo a ponto de acreditar nessa balela e ainda por cima apoiar esse absurdo. Se depender de quem realmente está se importando com a saúde isso não vai acontecer de maneira alguma.

    Desabafo de uma estudante de medicina do Brasil que luta diariamente por uma saúde mais digna!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo9:55 PM

      Porque voce acha que vindo médicos estrangeiros o caos estárá colocado? Ou que a qualidade vai cair??

      É só ver a situação atual dos médicos brasileiros...


      Estudos recentes mostram que quase 50% dos médicos brasileiros possuem qualificação insatisfatória. ATENÇÂO, quase metade dos médicos BRASILEIRO FORMADOS AQUI.
      FONTE: VEJA
      http://veja.abril.com.br/noticia/saude/quase-metade-dos-medicos-do-pais-nao-tem-especializacao


      Se os médicos brasileiros fossem submetidos à uma prova ampla como o REVALIDA, quase metade não passaria...

      Algo está errado, não?

      Excluir
    2. Luiz dos Santos11:01 PM

      Nesta questão de "importação de medicos " há um viés ideológico que complica tudo ! Os EUA - nosso exemplo gostem ou não - importam médicos desde que passem no MESMO EXAME Qque é aplicado aos médicos de lá e que é dificílimo!Entretanto, mesmo que não se exija o exame,porque não RESSUCITAM a diretriz do finado Jânio Quadros que chegou a cogitar de colocar todos os recém-formados como integrantes por dois anos do Exército Brasileiro, em locais do interior, COM APOIO E INFRAESTRUTURA ! Ou vcs ainda imaginam que o médico é um "milagroso pagé que bota a mão e cura ? Há que haver suporte estrutural e não estou falando só de tomómografos, ressonâncias magnéticas e outras modernosidades que tecnocratizaram a medicina-que-não-bota-a-mão-no-paciente...! Luiz dos Santos, Fisiatra, Médico do Desporto

      Excluir
  60. Anônimo8:17 PM

    http://www.therealcuba.com/Page10.htm

    ResponderExcluir
  61. Anônimo9:41 PM

    Pessoal, estudos recentes mostram que quase 50% dos médicos brasileiros possuem qualificação insatisfatória. ATENÇÂO, quase metade dos médicos BRASILEIRO FORMADOS AQUI.
    FONTE: VEJA
    http://veja.abril.com.br/noticia/saude/quase-metade-dos-medicos-do-pais-nao-tem-especializacao


    Se os médicos brasileiros fossem submetidos à uma prova ampla como o REVALIDA, quase metade não passaria...

    Algo está errado, não?





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:38 AM

      Prova AMPLA? PFV dá uma olhada na prova antes de falar merda. As provas NÃO tem nível alto... os Estrangeiros que não tem menor qualificação, nem metade dos 50% ruins do Brasil!

      Excluir
    2. Anônimo1:43 AM

      Prova ampla?? Se vc teve acesso à última prova do Revalida e soube do que se tratavam as questões, viu que as questões discurssivas só abordaram tuberculose, pré eclâpsia, apendicite e o básico do básico da pediatria. Isso é AMPLO p vc?? Qualquer bobo que vc colocar p decorar aprende isso!

      Excluir
  62. Anônimo10:57 PM

    Então façam o seguinte, quem vota na bosta do PT e é a favor dessa palhaçada, vão se tratar com esses cubanos. Só quem é a favor dessa piada são pessoas sem conhecimento e politíqueiros que brincam com a nossa saúde para conseguir votos, tratando os menos favorecidos com medicina de 3 qualidade que foi rejeitada até pelo paraguai. Ninguém quer ficar naquele país.

    ResponderExcluir
  63. Lamentavel! Acho que antes de sair escrevendo deveria ir atras de ambas as realidades a brasileira e a cubana. Saber o que está por trás, entender as circunstancias governamentais e culturais de cada uma. Se a saúde de Cuba é tão boa porque o modelo não é mundial? Ah, o capitalismo, não é? Francamente! Dizer que os médicos brasileiros não fazem prevenção, é mostrar que não tem vivencia de saúde pública, de políticas que são desenvolvidas e tem um grande impacto social. Fico triste com certas coisas que leio. Quanto a medicina, é uma lastima que seja tratada como mercadoria e como um joguete de ideiais politicos. Vão aos psfs, vejam as condiçoes, vejam como são implementadas as politicas, e, analisem a formação do novo médico no mercado. Mas, faz um favor, analisa cuba também, entende a máfia dos diplomas, ou melhor, vai na rede publica cubana e tenta ser atendido... Só para ajudar um pouco com a realidade... http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=350#.UYrb4eyWjj8.facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo10:03 AM

      Olá a todos e todas,

      Acho muito oportuno essa iniciativa de trazer médicos cubanos, ou de qualquer outro país em condições para ofertar esses profissionais, para atuarem na atenção básica onde os médicos brasileiros não atuam.
      E não é só "por falta de condições" que eles não atuam! É muito mais complexo que isso. Mesmo com "falta de condições", é muito comum no nordeste e no norte do país um médico trabalhar numa unidade de saúde da família apenas por 2 turnos semanais, ganhando verdadeiras fortunas por isso. Com certeza não se faz prevenção, nem promoção nesse contexto. O máximo que se faz é uma queixa-conduta, uma "clínica" extremamente pobre, e não é pelas "condições de trabalho" que isso ocorre! Isso é um cenário que muitos não têm interesse em mudar!
      Conheço muitos municípios pequenos que têm boas estruturas para fazer uma boa atenção básica e, mesmo assim, os médicos não se fixam lá.Os dados trazidos por Porfírio falam por si próprios. É uma questão de mercado e o CFM, com um discurso disfarçado de "preocupação com a saúde da população brasileira" não deixa claro que sua preocupação é exatamente essa: que mexam no mercado de trabalho médico e acabem com esse pacto silencioso e com esses discurso e discussão superficiais e lugar comum, que existe e que só prejudicam as pessoas que continuam sem acesso.
      Colocar as discussões na polaridade PT x PSDB, politicagem, questões eleitoreiras, etc. é um esforço desesperado de manter a discussão na superficialidade e não deixar vir à tona o que realmente está incomodando a categoria médica e as classes conservadoras etc. É uma tentativa de manter a névoa em torno dos problemas estruturais e que não que não têm sido enfrentados, pelo menos até agora.
      Conheço algumas pessoas que foram atendidas no sistema de saúde cubano e só tiveram elogios. Tive a felicidade de conhecer o sistema de saúde cubano e fiquei inspirado, enquanto militante do SUS! Conheci médicos, enfermeiros, assistentes sociais, etc. cubanos e me chamou a atenção a qualidade de sua formação e como os mesmos levam a sério a formação, a docência e a pesquisa! Formar numa Universidade Federal brasileira não é garantia de ter boa formação e todos sabem disso!
      Essa propaganda baixa, vil e produtora de desinformação, bem ao estilo da revista Veja, é lamentável e só está a serviço da manutenção de lógicas antigas e que muitos não têm o menor interesse de mudar!
      Quem venham os médicos Cubanos (que bom que são os cubanos!) ou de outros países, de forma séria, estuturada, com o objetivo de ofertar o que o povo brasileiro não tem tido durante décadas, enquanto as políticas estuturantes que vem sendo desenvolvidas na saúde e na educação superior no Brasil comecem a dar frutos!
      João André
      Médico Brasileiro
      Professor de Medicina
      Militante da Reforma Sanitária Brasileira e do SUS

      Excluir
  64. Anônimo11:43 PM

    Que droga, né? Agora essa história médico cubano. Por que ele não ficam no paraíso cubano? Por que médicos só de Cuba?
    Triste termos que decidir entre dois polos que são um lixo: PT e PSDB.

    ResponderExcluir
  65. Quero dar parabéns ao estado do Tocantins, que deu exemplo trazendo médicos cubanos e completou o quadro com alunos de medicina sem CRM.


    #vergonha

    ResponderExcluir
  66. Anônimo12:12 AM

    Quem escreve demonstra que é: EX-político e jornalista! Vendido nas duas cabeças!

    ResponderExcluir
  67. Anônimo1:36 AM

    Tão engraçado falar que nível do Revelida é difícil por 90% deles não terem passado!
    A prova está disponível na internet. Leve a qualquer acadêmico de 4° ano de qualquer instituição brasileira... é uma vergonha a prova. Tem questão que o enunciado responde. Desculpem, médicos cubanos não é a solução. Aliás, médicos no Brasil só estão concentrados pela ausência de políticas para que isso ocorra, que atue nas condições de trabalho e remuneração.

    ResponderExcluir
  68. Anônimo2:06 AM

    Infelizmente, penso que é muita gente opinando sem saber como as coisas realmente são. Sou estudante de medicina na Argentina, estudo em uma Universidade Publica e nunca imaginei estudar tanto na vida! Sou formada em um outro curso na área da Saúde no Brasil (também em uma instituição publica) e resolvi vir para fora estudar medicina não somente pela tão comentada "facilidade" de ingresso, mas por motivos pessoais.
    Bom, o ponto é que aqui realmente existe uma facilidade para entrar, não porque o ensino não seja de qualidade, e sim porque o país tem uma política de Educação para todos (todos que quiserem fazer medicina ou outro curso qualquer, tem DIREITO a estudar), um pouco diferente do Brasil onde as Universidades de medicina estão elitizadas, sem falar do comércio clandestino de compra de vagas( que todos sabem que existe). O fato, é que na Argentina o ingresso ao curso realmente é mais fácil que no Brasil, mas a exigência durante a cursada é imensa, aqui se o aluno não estuda 12 horas por dia, não aprova (muitos ingressam, mas poucos permanecem estudando, devido ao alto grau de dificuldade do curso). Portanto, A excelência do ensino é inquestionável, infelizmente não sei se podemos dizer o mesmo das Universidades do Brasil, principalmente das particulares. No entanto,as pessoas falam como se só o Brasil fosse capaz de formar bons profissionais, para essas pessoas quero dizer que EXISTEM EXCELENTES MÉDICOS EM OUTROS PAÍSES. Acho que este tema já é quase uma questão diplomática, é constrangedor ver pessoas falando que o ensino fora do país não tem qualidade, que só os médicos brasileiros são bons etc, etc, etc... Bom, vou repetir o que tantos já disseram, deem uma oportunidade para que os formados no exterior mostrem seu valor, fazendo uma prova de revalidação possível, não aquela como fizeram sob o crivo do corporativismo médico brasileiro. Façamos uma avaliação justa, que realmente observe o conhecimento necessário para que profissionais que se dedicaram a estudar medicina fora,possam atuar no seu país. Ou então, antes de criticar a qualidade de ensino em outros países, vamos submeter os recém formados do Brasil a mesma prova!(mesmo que só em caráter experimental). Penso, que só depois de se observar o exito dos médicos que estudaram no Brasil se pode acusar os médicos formados no exterior de incapazes e desqualificados.
    Por fim, convido aos pobres de cultura que pensam que só o Brasil tem ensino de qualidade, a pesquisarem sobre as excelentes Universidades Latino-americanas que são reconhecidas e servem de referência no mundo todo, com relação qualidade de ensino e pesquisas na área médica. Menos no Brasil, é claro.
    Por favor, somente depois de muita informação se arrisquem em comentários! Não vamos esquecer que Universidades ruins existem em todos os lugares, e certamente o Brasil não esta livre delas!
    Ahh, nem vou comentar sobre Cuba, que foi a grande inspiradora para o atual sistema de saúde do Brasil e de muitos outros países, a qualidade e capacidade dos médicos cubanos, ao meu ver dispensa comentários!
    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  69. No mundo inteiro os médicos cubanos são considerados como profissionais competentes e dedicados! NO BRASIL TEM UMA TURMA DE GRANDES CIENTISTAS DA MEDICINA QUE NEGAM A OPINIÃO DA GRANDE MAIORIA E SÃO TÃO INGÊNUOS QUE SE RETRATAM EXATAMENTE COMO SÃO: BURLÕES!
    Está aí a população mais pobre do Brasil que recorre ao SUS para provar a competência dos médicos brasileiros que ali trabalham, mas não só estes brasileiros, muitos daqueles que têm convênios médicos, podem atestar como são mal atendidos e nos pronto-socorros de todo o Brasil? São frequentes as reportangens dos telejornais mostrando o modo desumano como os doentes são tratados ou deixam de ser atendidos. Culpa dos maus administradores públicos? Também e muita, mas o médico que se preza trata dos doentes com humanidade, luta por eles se fôr necessário! Ser médico é um sacerdócio! Não é uma profissão qualquer de pontuar sucessos visando maiores salários, mas de alcançar sempre maior competência profissional de modo a atender cada vez melhor seus semelhantes, doentes ou com saúde a prevenir! Não tenho o diploma de medicina, mas já estudei e pratiquei medicina muito mais que a grande maioria dos médicos dos países que conheço, tendo feito muitas cirurgias de emergência em pleno mato sem anestésicos, sem gaze, práticamente com o bisturi e pouco fio de sutura, mas salvei vidas! Isso que interessa! Salvar vidas! Ajudar o próximo! Ser gente para poder opinar com conhecimento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo11:45 PM

      Alguém trás de volta o medicamento desses aqui que surtou...

      Excluir
  70. Anônimo10:25 AM

    Vcs médicos brasileiros, SALVO exceções, são no geral um bando de picaretas loucos por dinheiro. Já que querem tanto enriquecer, por que não cursaram arquitetura, economia, mecatrônica?? A dedicação ao próximo que vcs apresentam é inversamente proporcional à ganância que perseguem. MERCENÁRIOS. VIVA A MEDICINA CUBANA!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo12:14 PM

      Tem muita carreira melhor pra enriquecer, caro amigo. Vai você exercer medicina sem mínima infra-estrutura e colocar anos de estudo em jogo, se acha que é tão fácil assim.

      Se fosse pelo dinheiro, não passava anos estudando e noites em claro. Há jeito muito mais fáceis de ganhar dinheiro. E quem não AMA, garanto, NÃO AGUENTA!

      Excluir
  71. Anônimo11:32 AM

    Caro Pedro, muito bem seu texto

    Apenas uma observação:

    Médico NÃO é DOUTOR como citado no texto. Doutor é quem faz DOUTORADO com defesa de tese perante a uma banca de no mínimo 5 especialistas de renome.

    Se o médico fez doutoramento, então ele é um MÉDICO DOUTOR.

    abracao

    ResponderExcluir
  72. Anônimo12:05 PM

    Não tenho medo de afirmar que nem 2% dos médicos brasileiros passariam nesse mesmo exame do Revalida, que é aplicado a extrangeiros. Pois a intenção deste crivo, é eliminar a concorrência extrangeira. Não se iludam, médicos brasileiros, vocês são péssimos. Vocês são a escória da medicina mundial. Vocês não sabem de nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo12:11 PM

      Ninguém sabe tudo. Mas muitos, MUITOS, recorrem ao estudo no exterior sem tentar as provas de vestibulares aqui. Fácil é correr pra estudar onde se pode passar. E quem ralou para passar aqui?

      Excluir
    2. Anônimo12:32 PM

      fala extrangeiro!!!!!!!!!!!!! vai aprender a escrever antes de publicar filho!!!!

      Excluir
  73. Anônimo12:08 PM

    Achei muito bom seu texto, apenas gostaria de comentar que o maior problema de todos não é carreira, salário que os médicos brasileiros querem. Não há condições de trabalho em determinadas regiões. Falar que os médicos só querem salário é fácil, difícil é entender que não é só ter o médico para a solução dos problemas: precisamos de estrutura, medicamentos; sim, o mínimo de instrumentos - para proteção do paciente e do médico. Os médicos cubanos não são mágicos, não é só TER médico que resolve os problemas da saúde. Os problemas começam muito antes disso, a destacar primeiramente, a educação no Brasil.

    ResponderExcluir
  74. Há muito desejo que a validação ocorra. Será um grande benefício para a população. Parabéns ao governo brasileiro pela iniciativa.
    Stela Pastore

    ResponderExcluir
  75. Caro Porfírio:

    Tomando como verdadeiro o seu raciocínio, para resolvermos as mazelas do Brasil, bastaria que tomássemos somente as seguintes providências(sem quaisquer outras medidas complementares):

    1o.) Na segurança pública - importar 6.000 policiais da Suíça (não precisaríamos comprar mais armas, nem mais veículos, nem mais coletes à prova de bala, nem aparelhar melhor as delegacias e presídios, nem alterar as leis lenientes com a criminalidade);
    2o.) No combate às drogas - importar 6.000 soldados da Colômbia (sem precisar investir em aparelhamento técnico nenhum);
    3o.) Na corrupção do colarinho branco - importar 6.000 políticos da Finlândia (sem precisar investir nada no maior rigor da vigilância da sociedade e do poder público);
    4o.) No transporte público - importar 6.000 motoristas de ônibus do Canadá (sem precisar comprar um ônibus a mais sequer);
    5o.) Na educação - importar 6.000 professores da Coréia do Sul (sem nem precisar ensinar o Português a eles).

    Que tal lhe pareceria?

    ResponderExcluir
  76. Anônimo2:44 PM

    Vamos trazer também 6.000 cozinheiras francesas para acabar com a fome no Brasil !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Dos 371.788 médicos brasileiros, 260.251 estão nas regiões Sul e Sudeste
    ******* Dos 190 milhões de brasileiros 110 milhões estão no sul e no sudeste. Segundo esse tal de IBGE..... Vai ver que é por isso que há mais médicos no sul e no sudeste......

    Quer dizer que só a saúde pública que é ruim no Brasil? E todos os outros serviços são de alta qualidade????? ahhahahahahaha

    Penso, logo existo. Copio e colo, logo blogo! AUHAHUAUHAUHAUHAUH

    ResponderExcluir
  77. Anônimo3:09 PM

    Pra mim tanto faz se o médico é brasileiro, cubano, espanhol, chinês... Ele tem é que ser competente, tem que honrar a profissão e trabalhar com dignidade.. Todos os profissionais deveriam passar por uma validação da sua formação, como fazem os advogados...
    TODOS CUBANOS e BRASILEIROS deveriam passar por uma avaliação de conhecimentos por que com vidas não se brinca!!!
    E daí fica a pergunta... Quantos por centos dos médicos brasileiros seriam aprovados????

    ResponderExcluir
  78. Certíssimo:

    EXAME DA PROVA DA ORDEM, JÁ, PARA TODOS!
    (para todos os professores, jornalistas, veterinários, contadores, pedreiros, domésticas, marceneiros, policiais, comerciantes, vendedores, feirantes, ambulantes, lavradores, engenheiros, arquitetos...)

    ResponderExcluir
  79. Márcio6:08 PM

    Eu gostaria de ver os próprios médicos brasileiros fazendo essa prova do Revalida, pra ver quantos deles iriam ser aprovados...

    ResponderExcluir
  80. Anônimo6:32 PM

    Como confiar nos resultados de uma ditadura ? seram verdades ou so mentiras contadas a grande escala ?
    Gostaria de ver sim eram os cubanos agora falaram que Brasil é uma merda como falavam antiguamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhor anônimo, quantas vezes fosse à Cuba? Quantos anos vivesse lá?
      ¿Al menos hablas el español?
      Vai lá ser um observador internacional da ONU/UNESCO/OMS/OPS cujas embaixadas estão no bairro de Vedado no centro de Havana.
      Queres dizer que estes orgão que são os que divulgam e monitoram os números da saúde de Cuba são ditadores, é isso!?
      Vc precisa estudar história, sociologia, atropologia e política, meu caro pq o teu texto tá alienado, fora de contexto e ultrapassado. Lamentavelmente Não existe neutralidade, nem imparcialidade. Onde a emoção fala mais alto que a razão, dá nisso. Vamos construir um DeLorean, ir para o futuro, e quem sabe lá encontraremos os 170 mil médicos que temos de deficit agora. Sabem quanto se tem que investir para chegar a esse numero? Sabem em quantos anos vamos chegar a isso, senhores anônimos do Brasil? Sabem quantas pessoas morrem no Brasil sem nunca ter se quer visto a um médico nas suas vidas? Sabem baseado em que está nossa constituição? Será que foram os franceses que nos deram esse legado com o seu iluminismo séculos atrás? Será que houve resistência a essa mudança naquela épóca? Será que existe alguém melhor que alguém neste país ou no mundo?

      P.S.
      Desafio a qualquer um encontrar uma melhor solução que a proposta pelo governo, e é a que vai ser aprovada, pq não temos um DeLorean para irmos ao iluminismo e muito menos ao utópico futuro onde cada cidadão brasileiro será tratado como o ser humano que é.
      Fica o desafio para os anônimos e brilhantes cérebros que nos vão conduzir a ser uma superpotência, digo, superprepotência médica, que alías, já somos.

      Excluir
  81. Anônimo10:27 PM

    Se os médicos cubanos tem a tal de "formação humanística", por quê eles querem migrar para países onde são bem melhor remunerados, esquecendo o "sacerdócio" para o qual foram preparados pelo "belo regime cubano"? Dilma e Lula não foram se tratar em Cuba. Procuraram o Sirio-Libanês!!!! Por quê será????? quanto as imbecilidades ditas pelo Cristovan Buarque vai ser divertido uma cidade de 30000 habitantes receber médicos ,engenheiros, advogados ,pedagogos, arquitetos , dentistas ,enfermeiros e toda a gama de profissionais formados em faculdades públicas com dinheiro´público ,ou seja dinheiro de impostos extorquidos dos pais destes estudantes que pagaram para seus filhos escolas particulares até o fim do 2º grau pelo governo !!!! Onde o Cristovan prestou seus serviços "devolvendo" o $ que foi gasto em sua formação em faculdade pública???? Parece que a formação dele , ao contrario da de um médico, não muda em nada a vida de uma cidade de 30000 habitantes. Aliás , como moradora de Brasilia, conheci de perto a incompetência administrativa dele ,na saúde, na educação ,transportes públicos, habitação etc....etc..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba teu texto tá alienado, fora de contexto e ultrapassado. Lamentavelmente Não existe neutralidade, nem imparcialidade. Onde a emoção fala mais alto que a razão, dá nisso. Vamos construir um DeLorean, ir para o futuro, e quem sabe lá encontraremos os 170 mil médicos que temos de deficit agora. Sabem quanto se tem que investir para chegar a esse numero? Sabem em quantos anos vamos chegar a isso, senhores anônimos do Brasil? Sabem quantas pessoas morrem no Brasil sem nunca ter se quer visto a um médico nas suas vidas? Sabem baseado em que está nossa constituição? Será que foram os franceses que nos deram esse legado com o seu iluminismo séculos atrás? Será que houve resistência a essa mudança naquela épóca? Será que existe alguém melhor que alguém neste país ou no mundo?

      P.S.
      Desafio a qualquer um encontrar uma melhor solução que a proposta pelo governo, e é a que vai ser aprovada, pq não temos um DeLorean para irmos ao iluminismo e muito menos ao utópico futuro onde cada cidadão brasileiro será tratado como o ser humano que é.
      Fica o desafio para os anônimos e brilhantes cérebros que nos vão conduzir a ser uma superpotência, digo, superprepotência médica, que alías, já somos.

      Excluir
  82. Anônimo10:48 PM

    Os resultados do projeto-piloto criado pelos Ministérios da Saúde e da Educação para validar diplomas de médicos formados no exterior confirmaram os temores das associações médicas brasileiras. Dos 628 profissionais que se inscreveram para os exames de proficiência e habilitação, 626 foram reprovados e apenas 2 conseguiram autorização para clinicar. A maioria dos candidatos se formou em faculdades argentinas, bolivianas e, principalmente, cubanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que pessoas tão letradas percam o foco. Em primeiro lugar, o MEC publicou em 2001 as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para as graduações da Saúde. Ou seja, desde então, TODAS as faculdades de Medicina (além dos outros cursos) vem aprimorando seu currículos no sentido de formar profissionais mais atentos às demandas de sua população e com perfil mais crítico e reflexivo. Isso não precisamos importar de lugar nenhum.
      Em segundo lugar, JÁ HÁ um imenso número de médicos no Brasil. Por que não aproveitá-los oferecendo-lhes carreiras de estado dignas com condições para o trabalho? É fácil transferir a culpa de todo um sistema subfuncionante para uma única classe de profissionais e ainda chamá-los de mercenários (Será que se fossem importar 6000 enfermeiros o COREN diria: "Eba!! Que venham!! E não precisam revalidar diplomas!! Não precisa ter proficiência em língua portuguesa!!). Será?
      Em nenhum momento afirmei que nosso médicos são melhores. Conheço os problemas das escolas médicas atuais, apenas que acredito que DEVEMOS LUTAR PARA APRIMORAR NOSSO MÉDICOS, NOSSAS FACULDADES e não acreditarmos que a transferência imediata de uma legião de sacerdotes possa resolver nossos problemas. Isso não é xenofobia, e sim um grito para a valorização do profissional da casa.

      Excluir
    2. Anônimo11:31 PM

      O que ta parecendo é que os médicos do Brasil estão com medo de perder espaço, e não poder mais vender seus serviços a preço de ouro. Para a população, quanto mais profissionais da saúde disponíveis melhor (com qualidade,claro, é isso que interessa.

      Excluir
  83. Testes de revalidação ou de aprovação para exercício de uma carreira já se mostram muito pouco eficazes. O conhecimento tecnicista cobrado nas provas em nada se compara ao necessário a prática. E pior: as faculdades começam a adotar os modelos das escolas de ensino médio, tornando os profissionais meros "repetidores" do aprendizado que se diz o único correto. Ao invés de formar cabeças pensantes, foram cabeças robotizadas... Não é a toa que quando se colocar um estudante brasileiro frente a uma situação nunca vista ele não sabe por onde começar a resolver o problema. E isso se reflete no modelo das provas: como o exigido é aquele conhecimento tecnicista e detalhista demais, fora dos padrões que a prática necessita e, além disso, dentro de uma lógica do "correto puro e simples", o estudante/profissional formado para pensar se dá mal! O REVALIDA e o EXAME DE ORDEM são grandes exemplos! Já vi péssimos alunos passarem em tais exames simplesmente porque decoraram o que seus professores disseram ser o correto. Muitos alunos bons, até mesmo geniais, reprovaram não só uma, mas as vezes muitas vezes, tendo uma dificuldade tremenda de passar em testes estáticos como esses por serem cabeças pensantes de verdade... O modelo atual não valoriza quem pensa.

    ResponderExcluir
  84. Apesar de não atuar profissionalmente na área médica, e por isso mesmo talvez eu não tenha a devida competência para analisar a questão aqui debatida, presentemente me coloco diante da discussão com base na experiência que alguns anos de cadeira docente me proporcionaram.
    Tenho visto que, não somente a Medicina, como também a Educação, têm sido, neste país, relegadas aos interesses do mercantilismo mercenário. Notadamente, enquanto sujeitos partícipes de uma sociedade capitalista e neoliberal, que somente visa a geração de riquezas que fiquem concentradas nas mãos dos detentores dos meios de produção, observamos atonitamente que,a Economia é a bússola que rege todo o direcionamento das mais diversas atividades humanas.
    Devemos reconhecer que a dinâmica da sociedade em que vivemos é sistematicamente orquestrada para que as instituições, sobretudo as que gerem a coisa pública, seja regida em direção ao abismo do fracasso. São escolas, hospitais, clínicas, laboratórios e até mesmo profissionais vitimados pela desvalorização e que passam a atuar segundo à ordem adjacentemente estabelecida, sem notarem que estão se corrompendo em detrimento dos interesses de grupos elitistas e aquéns do real compromisso que deveriam efetivar.
    Enquanto vivermos em uma sociedade em que a ciência e os catedráticos forem orientados à lógica do capital, que poucos parecem entender,e continuarmos assistindo o conhecimento humano, que deveria ser aplicado ao bem comum da humanidade, sendo tratado como mercadoria, realmente, o poço da discussão será tão profundo e obscuro quanto à própria situação em que mergulharam a Educação e a Saúde no Brasil.Um mundo em que a ciência é mercenária e só se dedica, só a título de exemplo, a formular um medicamento tão somente interessada na lucratividade que ele possa gerar, já diz a realidade em que vivemos.

    ResponderExcluir

  85. Sou médico e entendo a tua, a minha, a nossa luta. Não entendo o preconceito, a descriminação, a prepotência e a xenofobia. Venha de onde venha. Tão tratando o tema como uma espécie de palanque de campanha. A questão não é política e sim social. E nada melhor pra mudar a nossa sociedade, a nossa realidade, que novas idéias, novas discursões algo que não estaria acontecendo, se não fosse pela vinda desses médicos. Eles chegam pra somar como mão de obra. Além disso teremos o tema em evidência e isso que tá acontecendo aqui não é novo. Já acontece na Argentina, no Uruguai, no Paraguai, no Chile, no México, nos EUA tem suas restriçoes, mas toda Europa, Ásia e África estam repletos de equipes de médicos de ponta, formados em Cuba. Cubanos que só chegaram para somar. Aconselho a todos baixar a guarda pq isso é uma tendência mundial e o Brasil não ta fora do planeta e não é melhor que ninguém. Muito pelo contrário deveriamos está felizes. Pq? Em breve todos veram, pq eles vem pra ficar, e depois deles viram dezenas de milhares mais, e isso de saber a qualidade desses médicos é algo a ser bem debatido, pq a forma que temos hj em dia, não dá. Afinal, o Brasil não inventou a médicina, o Brasil não é melhor que ninguem formando médicos, nem outros profissionais, exceto jogadores de futebol, e olhe lá! Não podemos fechar as portas pros médicos extranjeiros, cubanos ou não, devemos ter uma prova de proficiência pra médicos, assim como temos pra advogados. Aí, quero ver se vamos ter médicos nos hospitais. Sabem pq? Vejam o último provão feito pelo CREMESP com mais da metade dos formandos reprovando. E olha! Que estamos falando de São Paulo. Quantos deixaram de receber o diploma? Nenhum! Todos se graduaram, mesmo reprovando. Pra jogar pedra no telhado dos outros temos que blindar o nosso que é de vidro bem fininho do tipo SUS!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.
Google Analytics Alternative