sexta-feira, 22 de março de 2013

O fim do mundo e dos nossos sonhos


Enquanto o povo morre em replay na serra e na baixada, Dilma vai a Roma com séquito nababesco

É o fim da picada. O fim do mundo. É muito sofrimento. E muita indiferença. Isso por que estamos no gozo da democracia. Democracia? Sim, é de que se ufanam os próceres e os escribas.

Tragédia anunciada: só em Petrópolis, o número de mortos chega a 31 
O panorama visto da serra e da baixada é a insólita repetição de tragédias recentes. De avalanches mortais ao primeiro aguaceiro. As mesmas, com as mesmas dores e os mesmos prenúncios. Filme que se repete como uma afronta, numa sequencia macabra horripilante.  CRIMINOSA.

Antes das águas, milhões de reais rolaram por lá. Grana preta.  Dos nossos impostos. Do nosso sacrifício. Para onde foram? Para a reconstrução? Não. São raras e insignificantes as notícias de algo  sério e consistente.  Foram, como sempre, provavelmente,  para uma rede de quadrilhas famigeradas, de canalhas bem sucedidos na política e na vida empresarial.  Canalhas que deitam e rolam. Alguns até pilhados e afastados.  Mas quem está por cima da carne seca parece ter o único propósito: o enriquecimento fácil pela apropriação indébita do alheio, sem ligar para as consequências, por mais trágicas que sejam.

Tragédias em sequência

O antigo Hospital de Bonsucesso, que já foi excelência, deixou de fazer transplantes de rins em crianças por falta de médicos. Não há outro preparado para esse tipo de atendimento. Só depois do leite derramado o Ministério da Saúde resolveu correr atrás.  

Casas e apartamentos para vítimas de desabamentos em Niterói e Duque de Caxias ameaçam desabar. Obras que saíram de programas rocambolescos - dinheiro jogado fora. E não são as únicas nesse desmazelo.

Duas grandes redes privadas de ensino deram cano nos funcionários e nem iniciaram as aulas, afetando milhares de estudantes.  E a divulgação de redações com notas máximas no ENEM exibe erros grosseiros de ortografia, desprezados pelos examinadores.

No poder pelo poder para si

Essas são apenas algumas erupções de um organismo social e político em adiantado estado de putrefação.

Esses podres poderes se tornaram um fim pessoal para cada um dos seus pretendentes.  E nada mais. Sejam de direita, do centro, da esquerda ou das variáveis idas e vindas multicores. Só isso. Ganhar uma nesga qualquer do poder para dele se servir, servir os amigos, pagar "dívidas de campanha", locupletar-se descaradamente.

Já passei por esse chiqueiro. Resisti e hoje estou "queimado".  Nunca aceitei propinas, nem negociei por fora. Fui mal pra essa súcia de corruptos. Mas ao lado se fazia tudo do que se condenava quando fora do poder . No caso das obras públicas, as práticas desonestas se repetem. O empreiteiro pode fazer uma obra de borra, pode até não fazer obra nenhuma, nas se receber morre em 30%: 10 pra ganhar a "concorrência", 10 na fiscalização e 10% pra receber. É da práxis desde priscas eras, devidamente compensada no chamado BDI - boletim de despesas indiretas de 30% incluído no orçamento.  

Uma comitiva nababesca no beija-mão do papa

Enquanto o temporal castigava, madame Dilma se deslumbrava que nem rainha tropical com um séquito de fazer inveja aos sultões de Dubai no beija-mão do papa Francisco, numa extravagância perdulária que ninguém pode aceitar calado. Nem seus companheiros de sonhos perdidos.


O que fazia o ministro da Educação na viagem a Roma?
O que o Aloísio Mercante fazia lá no Vaticano? Aliás, como o ministro da Educação faz companhia à presidenta em suas viagens internacionais. Certamente ele não é a Rosemary da Dilma, mas certamente também não acrescenta bulhufas ao brasão tupiniquim no além-mar.

Se fosse só ele: essa viagem de três dias a Roma para ver o papa foi tão vexaminosa que para realizar o transporte de bagagens e equipamentos do  séquito foram necessários um caminhão-baú e dois furgões.

O que é isso, companheira? Os relatos não desmentidos mostram que a Dilma de hoje  não tem nada com a jovem rebelde que comia pão com linguiça nos "aparelhos" da luta armada. Mudou mais da conta, e mudou numa hora em que mais precisava ser modesta.

Veja lá, companheiro de pretéritos embates utópicos: a viagem que a presidente Dilma Rousseff fez junto à sua comitiva para acompanhar a missa inaugural do papa Francisco no Vaticano precisou do aluguel de 52 suítes de hotel e 17 veículos.

Dilma levou a tiracolo quatro ministros, assessores próximos e seguranças, que ficaram hospedados em 30 suítes do hotel Westin Excelsior, na Via Veneto, um dos mais luxuosos da Itália, comendo do bom e do melhor às nossas custas. Ma era tanta aspônio que alugaram ainda outros 22 apartamentos em hotéis próximos. Só faltou o Cabralzinho, que só não deve ter ido porque o Vaticano não é em Paris.

A diária de uma suíte presidencial no Westin Excelsior custa R$ 7.700: já o apartamento mais em conta sai por R$ 910. A frota que foi alugada incluía sete veículos sedans com motoristas, um carro de luxo e blindado, quatro vans executivas com capacidade para 15 pessoas cada uma, um micro-ônibus e um veículo destinado para os seguranças. 

Pra que essa caravana toda? Pra medir força com os argentinos? Pra dizer que Deus é brasileiro?

Tomasse uma lição de modéstia e austeridade com o companheiro Pepe Mujica, presidente do Uruguai, a nossa ex-"guerrilheira", como ele, não teria se prestado a esse fausto desnecessário, tão fora de esquadro,m tão direitista e tão afrontoso.

Pobre povo brasileiro. Governista por uma migalha qualquer, acha muito natural esse contraste alegórico entre o que passa o povo trabalhador com suas lideranças subornadas e o lumpesinato do bolsa-família nos barrancos de risco enquanto rola lépida e fagueira a esbórnia dos áulicos de Brasília.

 Pobre massa crítica que se evaporou no tempo e no espaço graças à mágica das milhares de ongs penduradas nas tetas de uma vaca sagrada, que sobrevive heroicamente a todos os farsantes e a todos os impostores de todos os matizes.

Pobre da história pobre dos nossos dias, onde se correr o bicho pega, se ficar o bicho  come.
Pobre de quem, como eu,  sonhou acordado e sacrificou a juventude e o futuro por um mundo melhor para todos. E não apenas para a panelinha da corte e para os senhores dos podres poderes locais que vão aproveitar as últimas tragédias para engordar seus haveres, em conluio com a elite insaciável que assedia os cofres públicos.

12 comentários:

  1. Anônimo4:53 AM

    Valeu Porfírio pelas críticas sustentáveis sobre esse governo podre!!

    TORÓ

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7:58 AM

    Não duvido da sua integridade pessoal Pedro. Mas também não duvido que um levantamento comparativo franco e desapaixonado do índice de hipocrisia política e grau de roubalheira do "socialismo versão PT" (e adjacências) e dos regimes antecessores (e adjacências) deverá gerar dados interessantes...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo8:33 AM

    Prezado Pedro Porfírio,
    Desnessário afirmar que sou teu admirador desde os tempos da saudosa Tribuna da Imprensa e imerecidamente fui presenteado com um exemplar de tuas "Memórias", que li e guardo na estante. Quando li as primeiras notícias sobre a pomposa visita da nossa presidente ao papa, enquanto por estas plagas tubiniquins rolavam as tsunamis de água, lama, destruição e mortes, fiquei estupefato. Sei que não mais deveria, mas fiquei. E indignado permaneço. Peço aceitar o fraterno abraço de teu irmão nordestino Claudio Ribeiro, de Casimiro de Abreu, RJ.

    ResponderExcluir
  4. José Jileno Sandes.11:05 PM

    Vergonha total.
    O PT e sua base de sustentação é hoje uma grande comitiva de políticos que só defendem os seus interesses pessoais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo1:38 PM

      Certo dia quando vi meu ídolo Pedro Porfírio defendendo este governo e seu partido que escarnece da miséria do povo brasileiro, eu bradei neste blog. Para Pedro! Pedro Para! Hoje estou feliz por ver que Pedro acordou,parou refletiu e viu que na comitiva milionária da dona Dilma à Roma, se São Francisco de Assis desse o ar das graças, ele seria enxotado pela sua humildade e pobreza. Parabéns Pedro, se até Deus despertou no Vaticano, eu sabia que você seguiria o criador.

      Leon Diniz

      Excluir
  5. Anônimo8:24 PM

    Este país parou após o advento dos petistas ao poder, essa cambada de ladrões e corruptos! É preciso com urgência colocar o Barbosão na presidência da república para varrer para o lixo toda essa rataria nojenta e imunda, inclusive essa Dilma demoníaca, guerrilheira, comunista e assassina, que mandou retirar dos gabinetes dos Deputados e Senadores em Brasília os crucifixos que ali se achavam e agora vai bajular o Papa, quando se sabe que o partido comunista, a que ela pertence, abomina o cristianismo! É safadeza e hipocrisia demais o que essa ordinária anda fazendo por aí!

    ResponderExcluir
  6. ASSINO, TUDO O QUE VOCE ESCREVEU. REGATTIERI

    ResponderExcluir
  7. POVO NA RUA, SERÁ QUE O POVO QUE VOTOU SABE DISSO..NA MIDIA SO RESTA VOCE PORFIRIO, E SEUS SEGUIDORES QUE AINDA, PROTESTA. REGATTIERI

    ResponderExcluir
  8. Adolfo Nobre9:15 PM

    Atualmente acho que esse povo maldito que eleva essa gentalha ao poder e nada faz para protestar essa vergonha total e em tudo,hospitais federais sem medicos,sem condicoes de atendimento,educacao de pior qualidade e tudo mais que ja sabemos,tem mais e que pagar cada vez mais caro mesmo,por tudo,porque nao consigo ver povo tao imbecil e otario como esse meu povinho brasileiro,que vai as igrejas para doar o que nao tem a pastores que se aproveitam de sua bestialidade,povinho esse que so se manifesta quando o assunto e futebol e carnaval,povinho que aceita tudo sem se rebelar,ainda reelegem Sergio Cabral,Eduardo Paes,Lula e Dilmas,entao,por isso acho mais que o mundo tem mais e que acabar mesmo,de preferencia que inicie por aqui.Pois nao creio que isso um dia venha a mudar,o ser humano ja perdeu completamente a nocao do coletivo e cada vez mais so pensa no proprio umbigo,cada um por si e mais nada,tudo isso me da nojo!

    ResponderExcluir
  9. PORFIRIO, NÃO PODEMOS CHAMAR DE DEMOCRACIA O QUE TODOS ESTÃO VENDO. LULA E DILMA TRAIRAM O POVO. EU VOTEI NOS DOIS, SINTO-ME TAIDO. DEMOCRACIA VERDADEIRA NÃO TERI-AMOS ESSE PESSOAL NO PODER. A TURMA DA ESQUERDA ESTA FAZENDO O JOGO DA DIREITA. FORAM TODOS ELEITOS PELO PODER ECONOMICO. COMO VOCE, VIVI NESSE MEIO PODRE. REGATTIERI

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.