domingo, 16 de setembro de 2012

Vida honrada, coerência e experiência são garantias dos nossos compromissos

  Tenho uma trajetória que pode ser conferida por você. Quem tem o mínimo de informação sabe da minha combatividade e da minha honestidade. Da minha capacidade legislativa e do meu envolvimento com os destinos da cidade do Rio de Janeiro: primeiro, como jornalista; depois no exercício de cargos públicos.
Fui Coordenador das Administrações Regionais da Zona Norte (subprefeito) em 1983 e 1984.
Em meio a uma crise, depois do fracasso de três secretários no prazo de dois anos, fui chamado a assumir a complexa Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.
Com a mudança de prefeito, fui ser presidente do Conselho de Contribuintes da Secretaria de Fazenda.
Em 1989, com a volta do prefeito Marcello Alencar, fui reconduzido à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, de onde só saí, em 1992, para ser eleito vereador.
Fiquei na Câmara em 4 legislaturas, totalizando 12 anos de mandatos efetivos, aliando-me rigorosamente na defesa da ética e da causa pública, à margem de toda e qualquer “esquema” de interesses espúrios.
Nesse período, produzi leis de grande alcance social, entre elas:
Lei 3123/00 – que livrou 6 mil taxistas do regime perverso das diárias extorsivas;
Emenda 16 à Lei Orgânica do Município, que deu dignidade aos guardas municipais, com sua transformação em estatutários;
Lei 3475/02, que instituiu o programa de paternidade responsável, determinando aos hospitais municipais a realização de laqueaduras e vasectomias;
Lei 3475/02, que pune com multas erros de português em letreiros e cartazes;
Lei 2960/99, que tirou da informalidade o comércio nas áreas carentes;
Lei 3631/03, que obrigou a instalação de compressores de gás natural nos postos de combutíveis.
Lei 3158/00, que cria farmácias para idosos nos postos de saúde do Município;
Lei 3773/04,que obriga as concessionárias a enviar as contas com antecedência de dez dias do vencimento;
Lei 2910/99, que estende a gratuidade nos transportes aos “ônibus especiais” e aos microônibos;
Lei 2448/96,em parceria com a vereadora Jurema Batista, que garantiu o funcionamento da Feira dos Nordestinos, em São Cristóvão;
Lei nº 4766/2008, que reconhece a diversidade sexual e combate os preconceitos e a homofobia.
Resolução 1086/07, que acabou com a farra das viagens pagas pela Câmara e disciplinou as missões oficias;
Além disso, fui o autor do primeiro projeto de CÓDIGO DE ÉTICA da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, rejeitado pela maioria por seu muito rigoroso.
E de vários projetos, como
Projeto de Lei Complementar 48/07, que obriga a instalação de gerador de energia em edificações residenciais, comerciais ou mistas que possuem elevador e mais de quatro andares;
Projeto de Lei 2192/2004, que autoriza o Poder Executivo a tornar sem efeito as multas de trânsito aplicadas por guardas municipais, com base em entendimento da Justiça do RJ;
Projeto de Lei 142/01, que desautoriza multas por aparelhos eletrônicos (pardais) com base no Código de Trânsito diante da natureza do contrato, que paga 30% por multa à empresa terceirizada.
Projeto de Lei 1614/03, que autoriza os condomínios horizontais a controlarem os acessos e tomarem medidas de proteção à segurança dos moradores.

4 comentários:

  1. Meu grande irmão e amigo PORFÍRIO que bom fazer contato e saber que você continua aplicando sua honestidade,integridade e conhecimento ao povo carioca. Conte sempre com o meu apoio e de toda minha família.
    Abraços e boa sorte!
    Inaldo Mendes (Caramelo Zona Oeste)

    ResponderExcluir
  2. Caros Pedro Porfírio e Manoel Marcos.


    Sei que vc são candidatos a Vereador pela cidade do Rio de Janeiro assim como o candidato que estou apoiando.
    Como eu não posso me dividir em tres e o candidato a Vereador pelo PPS Aloysio Alberto me solicitou em junho de 2012 que eu o ajudasse na campanha dele e o fiz imediatamente. Infelizmente eu não posso me dividir em tres. Vcs dois assim como o Aloysio Alberto possuem credenciais muito boas para chegar a Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro. E espero que vcs dois + o Aloysio cheguem lá no dia 07 de outubro de 2012.
    É dificil sim, mas não impossível. Vc principalmente Pedro Porfírio já foi Vereador e sabe muito bem como é difícil chegar lá.

    Continuo até o presente momento fazendo, via Internet, a campanha do Aloysio Alberto
    Agora eu quero deseja aos dois uma excelente eleição em 07 de outubro de 2012 e se forem eleitos que sejam excelentes vereadores.
    Capacidade e honestidade principalmente vcs possuem. O meu candidato também é possuidor destas duas qualidades .
    Então muito Sucesso para vcs dois Pedro Porfírio e Manoel Marcos e Sucesso também para o meu candidato Aloysio Alberto.
    Que vcs tres cheguem lá é o que eu desejo.
    E se um de vcs chegar lá eu, Paulo Resende, estarei aplaudindo as boas escolhas, feitas pelo eleitores da Cidade do Rio de Janeiro, nesta eleição de 07 de outubro de 2012.

    Então Muito Sucesso para vcs tres.
    Que sejam eleitos e chegando na Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro façam o melhor para todos os Cariocas.

    Sucesso e muito Sucesso para vc Pedro Porfírio, para vc Manoel Marcos e para vc Aloysio Alberto na Eleição de 07 de outubro de 2012!

    Abraços fraternos do amigo Paulo Resende.
    José Paulo de Resende.
    Itaipu Niterói Rio de Janeiro.

    PS: Aqui em Niterói eu vou votar no PSOL. Paulo Eduardo Gomes e Flavio Serafini.

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.