segunda-feira, 21 de março de 2011

Crônica de duas farsas que se entrelaçam no cinismo e na covardia

“Eu não sei o que será da Líbia nas próximas horas. Mas lamento profundamente que os governos pusilânimes com assento no Conselho de Segurança da ONU tenham cedido às pressões da França, Inglaterra e Estados Unidos, aprovando uma resolução que permite tudo, inclusive a intervenção militar, para o gáudio dos senhores das armas desse ocidente decadente e sem pudor.

Falar de zona de exclusão aérea é balela, é eufemismo típico de quem não tem o menor recato e acha que tem algum mandato divino para meter o bedelho no país dos outros, sobretudo quando esse país dos outros é um reservatório incomensurável de petróleo”.
Da minha coluna de 17 de março de 2011


Confesso que estou em dúvida sobre qual farsa comentar: se a representação burlesca protagonizada pelo preposto do grande ditador invisível, que destacou a renúncia gaiata de nossa soberania, estuprada pelo FBI por dois dias; ou essa macabra tragédia que configura a mais pérfida agressão estrangeira de alguns países sob batuta da fina flor do crime oficial.

Os dois embustes se entrelaçam até fisicamente: Barack Obama deu a entender que determinou os bombardeios da Líbia (já decidido antes mesmo da resolução do Conselho de Segurança) quando trocava figurinhas com nossa surpreendente presidente Dilma. Em ambos os casos, que consagram o cinismo e a covardia, nossa mídia deu mostras da sua essência irresponsavelmente mercenária e irremediavelmente comprometida, ao ponto de noticiar o massacre de inocentes em Trípoli como ações para proteger civis.

Desde o sábado, dia 19 de março, mergulhei numa profunda crise existencial provocada pela mais dramática impotência. Quarenta e oito horas antes havia escrito que aquela resolução da ONU era uma carta branca para dar um verniz “legal” à agressão tramada desde as primeiras agitações no mundo árabe. Diss e que a agressão estava em marcha.

Tinha razão e isso me abalou. Mergulhei numa terrível depressão ao constatar que nada podia fazer para mudar o rumo dos acontecimentos. Entre uma data e outra fiz aniversário, sem festas, como seria aconselhável. Mas a folhinha andou. E mostrou que hoje o mundo está mais degenerado do que antes. O desrespeito pela verdade campeia como uma massa envenenada irradiada aos quatro ventos. A vida humana se animalizou na renúncia dos valores essenciais que sempre serviram de bússolas.

Tudo o que vi e ouvi nesses dias me provocou torturantes sensações de vômito. Teve um certo momento em que tive vontade de chorar. Não podia imaginar jamais que o nosso governo se agachasse a tanto. Um vexame. Policiais alienígenas revistando ministros de Estado brasileiros, aqui, onde se crêem autoridades.


O histrião foi recebido num ritual da mais flagrante insolência. Exibiu-se e foi-se sem dizer a que veio. Não disse ele, nem disseram igualmente seus anfitriões. Mas a gente conseguiu ler nas entrelinhas o grande golpe que armou e que só explicitou entre quatro paredes no secreto colóquio com a nossa inexperiente chefa do Estado brasileiro.

Ele veio aqui em busca do ouro e faz qualquer negócio para dele se apoderar, inclusive brindar algumas vantagens pessoais para os que facilitarem a cobiça. Está mal na fita por lá e conta com uma reviravolta às nossas custas. Faz bico com as nossas pretensões e joga pesado com a idiotia que grassa.

Já nossa chefia parece que bebeu e ainda está de porre. Quer por que quer um apoio a algo que decididamente significa COISA NENHUMA. Ou você vê algum ganho significativo em sentar como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU?

Se souber, pelo amor de Deus, me informe. Até prova em contrário, essa parece uma tremenda conversa fiada, uma cortina de fumaça, um desejo diversionista absolutamente despropositado. Mas que é usado com a chancela até de professores de relações internacionais, que, igualmente, não explicam patavina, revelando as fábricas de encher linguiças em que se transformaram nossas universidades.

Mesmo se fosse top de linha, o Conselho de Segurança da ONU não confere a nenhum país permanente poderes capazes de melhorar a vida dos seus cidadãos. Não tem serventia conforme sua carta e ainda só serve para dar uma casca protetora ao decidido no complexo de poder das grandes corporações, representadas por indignos chefes de Estado, sempre de olho no alheio e no mar das propinas em dólares.

Agora mesmo, esse Conselho de Segurança, com o Brasil presente e acovardado, chancelou a fraude bélica que está tentando o que uma súcia de mercenários não conseguiu: afastar os obstáculos à conquista dos poços de petróleo líbios, instalando naquele país um governo títere e manso, como no Iraque e nesses sultanatos de nababos devassos e opressores.

Não adianta aqui repetir o óbvio sobre o cinismo que reveste a violação da soberania de um Estado constituído. Todo mundo sabe que a gana do Ocidente é a Líbia, que estava reconquistando uma posição proeminente no mundo do petróleo, graças a investimentos consideráveis em sua infra-estrutura, na educação e nas áreas sociais.

A derrubada de Muamar Kadhafi e a implantação de um regime fantoche têm preocupações mais qualitativas do que quantitativas. Obtém-se com o milionário bombardeio (cada míssil custa um milhão e meio de dólares) o repeteco da “legitimação” do “direito de agressão internacional”, conferido aos Estados Unidos e associados.

A próxima bola da vez, se essa agressão vingar, será a Síria e, no embalo, o Irã. Por estas paragens, a Venezuela está na mira, tanto como Cuba, que nunca teve paz e sossego e vive até hoje sob o mais criminoso bloqueio econômico. Tenho medo de estar certo mais uma vez. Infelizmente, porém, a voracidade dos poderosos não tem freio.

Enquanto isso, uma corriola de imbecis encastelados continuará possuindo o controle da mídia e inundando de sandices as descuidadas mentes cidadãs.

19 comentários:

  1. PEDRO - CONTINUAMOS COLONIA - NÃO COMENTO A VINDA DO PATRÃO PELO MOTIVO QUE TE LEVOU A DEPRESÃO. QUERO DIZER QUE MAIS UMA VEZ OS PAISES QUE PRATICARAM A ESCRAVIDÃO ESTÃO MASACRANDO O POVO DO LIBANO.
    A MIDIA BRASILEIRA JOGA CONFORME SEUS INTERESSES. VOCE É NOSSA VOZ NA IMPRENSA. FORÇA PEDRO - REGATTIERI

    ResponderExcluir
  2. Neusa Linhares8:41 AM

    Pedro
    Entendo você, sempre o achei passional. Mas, como você mesmo diz, um dia a casa cai.

    ResponderExcluir
  3. D´ARTAGNAN9:27 AM

    Desejo muitas felicidades pela passágem do seu aniversário natalicio. BEM: Quanto a LÍBIA.Os americanos sempre depois de arrumarem um PROBLEMA se despedem deixando os outros na fogueira.Agora chamam a intervenção da NATO em "FORÇAS ALIADAS" Tiram os ditadores e colocam novos no lugar desde que cumpram religiosamente as suas ordens.Eles estão testando AS OGIVAS de US$1.000.000,00 CADA para bombardear a LIBIA. Esses navios que estão no mediterraneo são da V frota estacionada em BAHREIN de onde podem atacar o IRAN. BAHREIN vive uma ditadura e lá os americanos não se metem e dizem aqui o PETRÓLEO é NOSSO.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo12:30 PM

    IN DOG WE TRUST !!!

    Se o GOD dos USA existir, ELE os destruirá, por serem representantes do DEVIL na Terra.

    Os governantes dos USA e da DMFMG8* acreditam mesmo é no DOG, DEMÔNIO, CAPETA, DIABO, o LADO MAU DA FORÇA.

    Serão "democratizados", na sequência:
    Líbia, Síria, Irã e ... Brasil (do ETANOL, renovável e limpo).

    *Ditadura Mídia-Financeira Mundial do G8 (na verdade G2):
    1- INGLATERRA (cérebro)
    2- USA (músculos)
    3- frança (pouca influência)
    4- canada (idem)
    5- itália (idem)
    6- alemanha (idem)
    7- japão (influência desprezível)
    8- rússia (idem)

    ResponderExcluir
  5. Anônimo10:38 PM

    Realmente não há engano da tua parte, é análise pura e simples de quem conhece bem esses cafagestes.
    A Líbia há muito tempo saiu do noticiário do terror, vem se dedicando exclusivamente a crescer, e como prova disto nesse êxodo forçado, quanta gente de fora estava lá trabalhando e vivendo decentemente. Bombardeio não protege ninguém, una bonba quando explode espalha brasa para tudo quanto é lado. Essa intervenção dita para proteger civis é a justificativa mais canalha que já vi na vida.
    Seria bom que estivesses errado em tua análise, porém ela está corretíssima.
    Enquanto isso nos Emirados Árabes também há protestos e o povo tomando porrada, nem a imprensa calhorda, e muito menos esses fantoches dirigentes falam qualquer coisa.
    Nem vou analisar a visita do mulatinho aqui, o único cometárido que faço, foi ter ordenado o ataque daqui de dentro do Brasil, flagrante desrespeito a nossa soberania, fez esta merda aqui de quintal deles. O resto nem comento.
    Um abraço Pedro, meu amigo.
    Wagner

    ResponderExcluir
  6. Prezado Pedro Porfírio, como sempre escreves a mais pura verdade... A Inglaterra (cérebro) determinada pelos gananciosos Rothschild & Cia enviaram Obama com a pastinha determinar novas regras de obediência para que continuemos o Brasil colônia dos banqueiros e que daquí possam extorquir e arrecadar o fruto do consumismo. Até o momento em que o Brasil será visto como estão vendo a Líbia hoje.
    Abraços,
    Marilda Oliveira

    ResponderExcluir
  7. Anônimo12:44 PM

    A População Civil da Líbia pode ficar tranquila:

    As bombas enviadas pelo atual PRÊMIO NOBEL da PAZ, mister Barack Obama, e pelos seus amiguinhos, são tão inteligentes e democráticas, que só explodem após detectarem se as vítimas são realmente militares inimigos.

    É tudo para o seu BEM, querida população da Líbia!!! Nós não queremos o seu PETRÓLEO, que é POLUENTE e FINITO!!!

    Idem, idem, para nossos queridos: iraquianos, iranianos, venezuelanos e brasileiros.

    Nós, também, não queremos as AGROENERGIAS brasileiras (etanol, óleos vegetais), que são LIMPAS e RENOVÁVEIS!!!

    Enquanto a maioria for de TROUXAS, os ESPERTOS continuarão comandando ...

    ResponderExcluir
  8. Salvador de Farias11:11 AM

    Porfírio,

    Kadhafi é um déspota, um tirano, que já está durando demais.

    Esse tipo de gente tem que acabar.

    Não me diga que você chorou por Saddam!?

    Quanto a essa pretensão do Brasil por um assento no Conselho de Segurança na ONU, ninguém me tira da cabeça que isso foi introduzido por algum gaiato em um documento qualquer e desde então vem sendo cegamente perseguido por nossos obtusos líderes.

    ResponderExcluir
  9. Thank you very much for sharing this very useful information, I am very happy to have found this information that I have been looking for this long
    Cara Cepat Mengeringkan Luka Diabetes Yang Sudah Parah

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.