terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Um trincheira que cai: Hélio Fernandes parou de escrever

Essa notícia é um verdadeiro golpe na mídia independente.  Hélio é único e,  aos 90 anos, ainda é  uma referência para milhares de brasileiros.

Veja o seu comunicado no site do blog http://www.tribunadaimprensa.com.br/

"segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 11:06

COMUNICADO IMPORTANTE
Helio Fernandes

A partir de hoje, este blog não tem mais nada a ver com Helio Fernandes ou Tribuna da Imprensa. Foi bom enquanto durou, mas as coisas não duram para sempre. Vários fatores contribuíram para a decisão, que é exclusivamente minha, pessoal, pensada e decidida. Algumas pessoas que souberam, antecipadamente, fizeram apelos, desculpem, não posso atender.

Agradeço aos comentaristas que participaram livre e desassombradamente. Ao Carlos Newton, que perdeu dias de sono e dias de trabalho para que as matérias saíssem. Um dia, na distância dos tempos, é possível que jornalisticamente nos encontremos. Mas não como financiadores ou financiados. Isso jamais existiu na minha vida e não existirá. O lamento é de não escrever, o que fiz a vida inteira. Mas lamentar faz parte da vida".

O jornalista Carlos Newton, que editava o blog, ainda tenta uma fórmula de mantê-lo. Mas sem Hélio Fernandes será muito difícil. TRIBUNA E HÉLIO se completam.

Colunista da TRIBUNA desde 1968 (com as interrupções obrigatórias, como no ano e meio de prisão e nos anos seguintes, em que estava totalmente proibido e marginalizado pela ditadura) considero que devemos fazer alguma coisa para convencer Hélio a voltar a escrever. Já me coloquei à sua disposição.

Se você também acha que devemos trazer HÉLIO FERNANDES de volta ao seu blog, escreva-me ou diretamente para o blog da TRIBUNA.  Vou reunir os comentários que receber e fazer chegar a ele.

O Brasíl sem a presença crítica de HF  na mídia não será o mesmo.

Clique aqui e saiba mais sobre Hélio Fernandes

20 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Isso é terrível! A tribuna não pode perder um de seus gigantes do jornalismo independente.

    Deixo aqui registrado o meu apelo pelo retorno de Hélio Fernandes.

    Ass.: Leonardo Lourenço - leitor e admirador da Tribuna da Imprensa

    ResponderExcluir
  3. Franklin Ferreira Netto4:23 AM

    Porfírio, vivemos um momento em que carecemos de jornalistas e escritores independentes. Como o próprio Hélio disse: "nem financiadores nem financiados".
    A internet tem revelado vários bloguistas escrevendo e tentando levantar verdades, independentes da Mídia dominante. Mas nenhum de nós tem o alcance do Hélio
    Fernandes, pela sua história, o tempo que atua na Imprensa, a credibilidade conquistada.

    Sem nos desfizermos dos que estão nessa trincheira de resistência e mantendo a utopia de alcançarmos tempos melhores e mais dignos, o Hélio tem mais da metade do alcance de todos nós juntos. Ao lado dele, e no mesmo grau, ainda há o Porfírio, que se sentiria isolado no seu espaço sem a continuidade do Hélio. Respeitamos os 90 anos do HF. Mas, felizmente a sua parada não parece ser por impedimento de saúde. Sendo assim, o Brasil com dignidade ainda precisa do sacrifício de Hélio Fernandes. Acredito que para ele será mais doloroso interromper seu trabalho intelectual do que manter-se em atividade.
    Força, Hélio, porque vontade e desejo você tem!
    Abraços do admirador,
    Franklin Ferreira Netto

    ResponderExcluir
  4. Heli. faço um apelo ao Sr...O Sr é uma das poucas figuras periodísticas que considero RESERVA MORAL de nosso amado Brasil...Nos necessitamos a sua presença botando sempre a Boca no Trombone, denunciando os abusos na maladada administração PETRALHA.. Volta par nos por DEUS!!!

    ResponderExcluir
  5. Ricardo Américo Xavier Moreira8:14 AM

    Durante muitos anos acompanhei, diàriamente a "Tribuna da Imprensa". Era, para mim, a única forma de escapar do repulsivo mesmismo da mídia financiada.
    Há alguns anos, me mudei para uma cidade onde este jornal não chega e, mesmo pela Internet, tive dificuldade em acessá-lo. Ainda bem que recebo, por e-mail, os artigos do nosso querido e bravo Pedro Porfírio.
    Quanto ao nosso, também, bravo e não menos querido Hélio Fernandes, penso que sua decisão não pode ser alvo de críticas ou julgamento. A idade pesa e acredito que ele, como bom comentarista de futebol, deva ter sido influenciado pelo Ronaldo, outro fenômeno. Agora ele merece vestir o pijama e desfrutar a vida como espectador.
    Deixo, finalmente, minha sugestão:
    Por quê não promovermos uma festa de despedida?

    ResponderExcluir
  6. PORFÍRIO.

    VOCÊ TEM TODA RAZÃO,HELIO FERNANDES
    NÃO PODERIA SAIR DOS JORNAIS. SERÁ
    UM IMENSA FALTA PARA TODOS NÓS.
    RESTA-NOS A ESPERANÇA DE QUE HELIO
    FERNANDES SENTIRÁ QUE NÃO PODERÁ
    SAIR DE SUA LUTA E CONSEGUIR UMA
    FÓRMULA DE RETORNAR AOS JORNAIS, NOS PREMIANDO COM SEUS FATÁSTICOS
    ARTIGOS.

    ResponderExcluir
  7. Um golpe irrecuperavel não apenas para o jornalismo, mas a todos aqueles que buscam informação independente e com conteúdo.
    Triste notícia.
    Desde que "descobri" a Tribuna da Imprensa, não consegui mais parar de ler os textos de Hélio Fernandes.
    Em verdade, é um dos únicos colunistas que leio assiduamente.
    Sua ausência é a falta de um alicerce fundamental.
    Externo meus rogos para que Hélio Fernandes volte a escrever.

    ResponderExcluir
  8. Maria Helena8:47 AM

    Tribuna da Imprensa, para mim, é sinônimo de Hélio Fernandes. Fui apresentada a esse jornal pelo meu saudoso pai e lá tomei conhecimento de um homem que não tinha medo de falar o que todo mundo queria saber, sem medo. É incontestável a falta que ele faz e fará. Principalmente nesses tempos de informação instantânea, em que todo mundo copia todo mundo, em que as fontes não são seguras, etc. Um jornalista comprometido com a verdade dos fatos e que não mede palavras para esclarecer as maracutaias da vida política nacional e regional. Jornalista sem rabo preso é fundamental. Volte, Hélio!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo9:33 AM

    Porfírio,

    Fale para o Hélio voltar, ou, pelo menos, escrever um LIVRO sobre a história do Brasil vivida por ele.

    Nada é permanente (só a "impermanência"), tudo é transitório e mutante...

    ResponderExcluir
  10. Agradeço os comentários a respeito de Hélio Fernandes e a necessidade que ele se mantenha na ativa. levarei os mesmos ao seu conhecimento, através de fax.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo4:14 PM

    Meu amigo Pedro, pouco tenho entrado no blog, mas com certeza nos momentos em que me é permitido pela labuta diária consigo dar uma lida em todas as matérias.
    Em todas essa padada do grande Helio Fernandes, destemido doutor honoris causa da nacionalidade, e defesa da Pátria.É lamentável sua parada, mas certamente o grande guerreiro cansou, entendo a atitude dele, mas lamento sem poder mais ler suas matérias, suas análises, suas denúncias destemidas, suas críticas conscientes, farão falta a todos nós, é a felicidade dos verdugos da Pátria. Certamente ele cansou de um povo que não se mexe também, quantas vezes mestre Hélio denunciou as tramoias de todos os tempos, pois ele é a História viva não só do jornalismo brasileiro, mas autência enciclopédia viva dos fatos históricos políticos deste nosso Brasil
    Sua parada é uma perda inimaginável as liberdades de pensamento desta terra.
    Teve-se inúmeras oportunidades de guindá-lo ao congresso, mas o povo não entendeu nada, vota e continua votando em salafrários.
    Transmita a ele em meu nome um grande abraço deste leitor de décadas. E se ele tiver vontade de vez enquando dar algumas linhas para alento dos que sabem pensar neste país agradeceremos.
    Um grande abraço
    Wagner Amenta.

    ResponderExcluir
  12. ... Sem o Hélio e sua Tribuna, a informação no Brasil emudece! Enquanto lamentamos essa grande e importante perda, os apátridas cantam loas para os farsantes da midia "brasileira." Que lástima!!!

    ResponderExcluir
  13. ... Sem o Hélio e sua Tribuna, a informação no Brasil emudece! Enquanto lamentamos essa grande e importante perda, os apátridas cantam loas para os farsantes da midia "brasileira." Que lástima!!!

    ResponderExcluir
  14. ... Sem o Hélio e sua Tribuna, a informação no Brasil emudece! Enquanto lamentamos essa grande e importante perda, os apátridas cantam loas para os farsantes da midia "brasileira." Que lástima!!!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.