sábado, 9 de maio de 2009

A Gripe suina, segundo cronologia do PRO MUNDI

http://www.youtube.com/watch?v=0K2LdGUca9w
No dia 9 de março, durante a visita de Nicolás Sarkozy ao México, foi anunciado investimento de 100 milhões de Euros para Sanofi-Aventis, para a construção de uma nova instalação no México, precisamente para a manufatura de uma vacina contra a gripe influenza.

Aqui está a própria comunicação da empresa:

http://www.sanofi-aventis.com.mx/live/mx/medias/F31D1225-F62B-4FF2-9B6D-C49A8B4C678C.pdf

No dia 23 de abril, o governo mexicano anuncia uma possível pandemia pelo novo vírus influenza.

No dia 29 de abril, Sanofis-Aventis anuncia que fez contato com as autoridades sanitárias para o desenvolvimento de uma vacina contra este novo vírus.

Aqui está a noticia no link abaixo. Prestem bem a atenção no último parágrafo que diz: “o sinal (para a produção de vacinas contra a gripe suína) não será dado antes de o alarme da OMS entrar na fase 5.
http://www.vanguardia.com.mx/diario/noticia/influenza/nacional/produciria_sanofi_aventis_una_vacuna_contra_la_influenza/342061

No dia 29 de abril, a OMS eleva o nível de alerta para o número 5
Aqui está o link, em espanhol:
http://www.elpais.com/articulo/sociedad/OMS/advierte/pandemia/gripe/porcina/inminente/eleva/nivel/alerta/elpepusoc/20090429elpepusoc_2/Tes

No dia 29 de abril, as ações da empresa farmacêutica Sanofi-Aventis, na bolsa de Paris, subiram 4.3%, seu maior aumento em dois meses, como se vê no seguinte link:
http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601087&sid=a8B_tllP_hcg&refer=home

No dia 30 de abril de 2009, leiam o que foi publicado no Diario Oficial mexicano:
http://dof.gob.mx/nota_detalle.php?codigo=5089064&fecha=30/04/2009

Nós brasileiros sabemos que, nos tempos da ditadura, era proibido formar grupos, pois grupos pensam juntos e podem entender o que esta acontecendo no sentido geral. No México, quando desta publicação do diário oficial, as pessoas passaram a se isolar, tiveram que permanecer em casa, sem ter força de grupo para protestar.

Além do mais, sabemos que a influenza mata ao redor de189 pessoas por semana, no Peru. Que a influenza mata, por ano, nos Estados Unidos, pelo menos 30.000 pessoas, o que significa que mata 82 pessoas por dia. Nos perguntamos: por que tamanho alarde relacionado com o México, quando as cifras são bem mais baixas do que as referidas acima?

Quando hoje ligamos os canais de televisão estrangeiras, vemos que a gripe suína já está deixando de ser noticia. Liguem suas televisões e ouçam as noticias:

A epidemia está controlada. Estamos salvos. As noticias em torno das cifras relativas ao desemprego, as economias mundiais passando por contrações, baixa de PIB etc. Mas isto não importa, pois nos sentimos vivos, pois fomos salvos de uma pandemia.

As acões da Sanofi-Aventis seguirão subindo;

Sanofi Aventis "descobrirá" ou isolará o DNA do vírus e, a Secretaria da Saúde do México comprará doses e doses de vacinas por ano, grandes contratos devem estar sendo esperados.

Assim, o Governo Mexicano retribuirá a inversão de 100.000.000.00 CEM MILHÕES DE EUROS prometida pela Sanofi.

Me pergunto se isto é paz? Me pergunto se isto é sossego? Pois paz sem voz não é paz, é medo.

Saudações ouvindo a música do Rapa no youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=SCTIEyVnpHU

2 comentários:

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.