domingo, 19 de agosto de 2007

Porfírio e Lupi avaliam posição em defesa dos trabalhadores da Varig e do Aerus.



O vereador Pedro Porfírio voltou ao ministro Carlos Lupi, em audiência no Ministério do Trabalho, em Brasília, quando voltou a conversar sobre a situação da Varig, Aerus e do seu pessoal. Ambos fizeram uma avaliação e consideraram que, além das gestões que vêm sendo feitas, teve ampla repercussão a Ação Direta de Inconstitucionalidade que Lupi impetrou junto ao STF em nome do PDT.
O ministro reafirmou que vai até o fim na defesa da causa do pessoal da Varig, inclusive nessa ADIM, contra a qual o jornal o GLOBO publicou mini-editorial, em sua edição do último dia 13. No estilo de intriga, o jornal reclama do ministro Carlos Lupi ter assinado tal ADIM “contra a Lei de Falências, aprovada com o apoio do governo de que faz parte”.
Porfírio disse, por sua vez, que essa iniciativa teve a melhor repercussão porque é uma contribuição jurídica contra uma monstruosidade – pela qual os trabalhadores ficam a ver navios enquanto a empresa passa a outras mãos. “Isso mostra que Lupi sabe muito bem preservar a sua condição de líder de um partido que nunca concordou nem com essa Lei e nem com o massacre do pessoal da Varig e do Aerus. Não vai ser o cargo que vai desviá-lo de sua linha de coerência”.

Um comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.