quarta-feira, 16 de maio de 2007

MANIFESTAÇÃO EM PROTESTO CONTRA A HOMOFOBIA

No dia 17 de maio, às 12 horas, ONGS de Gays, Lésbica, Bissexuais, Travestis e Transexuais-GLBT ligadas a ABGLT promovem nas 27 capitais do Brasil uma manifestação na dia internacional contra a Homofobia. Neste ato os homossexuais reivindicarão que os senadores aprovem o projeto de lei da Câmara 122/2006 que proíbe a violência antigay. A expectativa é que 1.000 pessoas participem dos atos que devem contar com atendimento de psicólogos, advogados, assistentes sociais para familiares, vizinhos, trabalhadores e GLBTs vitimas de homofobia, aulas públicas sobre diversidade sexual, bênçãos de religiosos a gay, lésbica, bissexuais, travestis e transexuais, enquetes feitas por universidades sobre a opinião dos populares sobre o projeto anti-homofobia, recolhimento de abaixo-assinado, depoimento de conselhos profissionais, como CRM.CRP contra a intolerância. De acordo com dados do movimento, existem 18 milhões de homossexuais assumidos no Brasil. No ano passado, 6 milhões de pessoas participaram das paradas, 3 milhões se declararam GLBTs. A cada três dias um homossexual é assassinado no País por sua orientação sexual. A cada três minutos um GLBT é vitima de violência. 100% das travestis já sofreram discriminação e exclusão nas escolas, levando muitas adolescentes para a prostituição e marginalidade social. 35% de Gays, Lésbicas e travestis já foram expulsos de casa. 30% dos Estudantes acreditam que homossexualidade é doença. 95% dos padres, Bispos e Pastores no Brasil usam o rádio, a televisão e o jornal, diariamente para pregar o ódio e a discriminação aos homossexuais.
Em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde retirou o “homossexualismo” do código internacional das doenças.
Bianca Carillo e Juliana Ramos

2 comentários:

  1. Monica Adelaide11:45 PM

    A discriminação contra os homossexuais não tem o menor sentido. É hora de reconhecer cada um como um cidadão igual a outro.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11:41 PM

    Acho que as leis anti-violência devem ser em favor de todos sem discriminação.
    Lei de proteção à pessoa humana, seja ela homossexual ou não!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.