segunda-feira, 21 de maio de 2007

LUPI VÊ CAMINHO ABERTO PARA O PESSOAL DA VARIG





O ministro Carlos Lupi com o vereador Pedro Porfírio e os dirigentes da APVAR e da AMVVAR Marcelo Duarte, Élnio Borges e Carlos Gouveia.

O governo está realmente empenhado em encontrar uma solução rápida para o pessoal da Varig e para os participantes do Fundo Aerus. “Essa solução pode sair mais rápida do que muitos esperam, pois o caminho nesse sentido já está aberto”.
Foi o que disse nesta segunda-feira o ministro Carlos Lupi, que recebeu o vereador Pedro Porfírio e os dirigentes das associações de funcionários da Varig, em audiência na Delegacia do Ministério do Trabalho do Rio de Janeiro. Ele considerou também “engenhosas” as idéias apresentadas pelos empregados para os dois casos e determinou à sua Assessoria Jurídica um rápido encaminhamento de uma proposta baseada nos entendimentos de ontem.
O encontro foi o desdobramento da audiência pública que realizamos no último dia 4 na Câmara Municipal do Rio de Janeiro e se destinava a aprofundar a busca de alternativas para dois problemas de emergência: 1. a situação dos participantes do fundo de Pensão Aerus, cujos aposentados poderão ficar sem pagamentos já no próximo mês, e 2. as dificuldades dos empregados do Grupo Varig, que foram demitidos no ano passado e até hoje não receberam nem os salários atrasados.
Saídas de emergência
O ministro Carlos Lupi foi objetivo ao informar de suas gestões no interior do governo para encontrar alternativas de emergência para a situação dos aposentados do fundo de pensão Aerus, que poderão ficar sem receber seus benefícios já a partir de junho.
Relatou também os contatos que vem mantendo junto aos colegas de ministério e às empresas de aviação com vistas à realocação dos trabalhadores demitidos da Varig no ano passado.
Para ele, na medida em que sejam encontradas soluções jurídicas no caso da dívida do governo com a Varig, a prioridade será o respeito a compromissos firmados, que incluíram a quitação da dívida da empresa com o fundo de pensão, de forma a assegurar os direitos dos seus participantes.
Em nome dos empregados da Varig, o comandante Élnio Borges, presidente da Associação dos Pilotos, mostrou que há saídas para uma solução negociada, através de uma fórmula criativa, que poderia ser suportada com tranqüilidade pelo Tesouro.
O ministro Carlos Lupi considerou engenhosa a idéia sugerida, manifestando sua confiança de que ela possa ser absorvida inclusive pela área econômica do governo. Ele disse que tem tido o apoio de vários ministros e do próprio presidente Lula nas iniciativas para o resgate do mercado de trabalho dos trabalhadores na aviação, incluindo uma melhor utilização do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.
Lupi achou plausível também a proposta sobre o aproveitamento pela Gol do pessoal da Varig sem as perdas dos direitos, mas dentro de um entendimento que consideraria também o momento da empresa que vai operar a chamada Nova Varig.
Pedro Porfírio saiu muito otimista da reunião: “Da minha parte, tive a sensação de que o ministro Carlos Lupi está respondendo as expectativas criadas desde a sua fala na audiência do dia 4”.

Um comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista desde 1961, quando foi ser repórter da ÚLTIMA HORA, PEDRO PORFÍRIO acumulou experiências em todos os segmentos da comunicação. Trabalhou também nos jornais O DIA e CORREIO DA MANHÃ, TRIBUNA DA IMPRENSA, da qual foi seu chefe de Redação, nas revistas MANCHETE, FATOS & FOTOS, dirigiu a Central Bloch de Fotonovelas. Chefiou a Reportagem da Tv Tupi, foi redator da Radio Tupi teve programa diário na RÁDIO CARIOCA. Em propaganda, trabalhou nas agências Alton, Focus e foi gerente da Canto e Mello. Foi assessor de relações públicas da ACESITA e assessor de imprensa de várias companhias teatrais. Teatrólogo, escreveu e encenou 8 peças, no período de 1973 a 1982, tendo ganho o maior prêmio da crítica com sua comédia O BOM BURGUÊS. Escreveu e publicou 7 livros, entre os quais O PODER DA RUA, O ASSASSINO DAS SEXTAS-FEIRAS e CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA. Foi coordenador das regiões administrativas da Zona Norte, presidente do Conselho de Contribuintes e, por duas vezes, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social. Exerceu também mandatos em 4 legislaturas na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, sendo autor de leis de grande repercussão social.